Documento sem título

 


Documento sem título
PORTAL DE M. VERDE

Associação Comercial

Câmara M. Camanducaia 

Cartão Postal - Mte. Verde

Edições anteriores
Emancipação

Fale conosco

Fórum moradores
Fotos da Cidade
História de Mte. Verde
Horário de ônibus

Hotéis-Mte. Verde

Índice por assunto

Mapa das trilhas

Mapa das ruas
Mapa de Localização
Prefeitura/Camanducaia
Zé Verdinho/prefeito
ROTEIROS
Gonçalves
Cachoeira dos Pretos
Campos do Jordão
SERVIÇOS
Câmara Federal
CEP

DETRAN-SP

Direito - portal

Lista telefônica
Esoterismo - portal

Receita Estadual-MG

Receita da Fazenda

Senado Federal
Tribunal Sup. Eleitoral

Sup. Tribunal de Justiça
Sup. Tribunal Federal
Tribunal de Contas-MG
BANCOS
Banco Real
Bradesco
Caixa Federal
Banco Itaú
Banco do Brasil
Nossa Caixa-SP
Unibanco
IMPRENSA
Fórum de imprensa
Jornais Brasileiros
Jornal dos Bairros-SP
Voz da Terra-Assis-SP
PORTAL REGIONAL
Cachoeira dos Pretos
Camanducaia-dados
Camanducaia - história
Prefeitura-Cambui-MG
Prefeitura de Extrema

Jornal de Monte Verde
MG-Brasil.

 

- Bem-vindo !

Monte Verde, fazenda que virou cidade


No dia 29 de novembro, Monte Verde comemora o seu aniversário, data esta levantada em pesquisa feita por Voz da Terra.

Os pioneiros de Monte Verde são Verner Grinberg e sua esposa dona Emília e o sobrenome da família deu o nome à cidade: “grin”, verde, e “berg”, monte.
A família Grinberg chegou ao Brasil em 1.913 (Verner com três anos de idade), antes da Primeira Guerra Mundial.
Conforme conta Roberto Stikan (marido da neta de Verner) " Sr. Verner, inclusive, muitas vezes mencionava que ele teve a grande felicidade de não ter visto nenhuma das duas grandes guerras que envolveram a Europa, ao contrário de muitos dos seus patrícios e amigos letos.
De início, se instalaram em Pariquera-Açu. Depois, por volta de 1916, se mudaram para São José dos Campos. Foi somente em 1922, quando chegou um grupo de aproximadamente 2.000 imigrantes da Letônia, que ele se mudou para a Colônia onde o grupo de letos recém imigrados iria se instalar, que se chama Palma.
Foi somente entre 1923 e 1924 que Varpa teve seu início. Palma também não existia antes de 1922, quando da chegada dos letos. Ambas colônias (Varpa, hoje é distrito, Palma, apenas uma fazenda) estão localizadas no município de Tupã.
Paraguaçu Paulista e Quatá são cidades próximas. Digo isso não somente por conhecimento da história do Sr. Verner, mas também meus bisavós, avós e outros parentes (contemporâneos do Sr. Verner) também fizeram parte do grupo de 1922 e residiram em Varpa e Palma até o final da vida deles. Sr. Verner faleceu aos 96 anos de idade, nasceu em 26.05.1910, faleceu em 13.08.2006."
Ao se casar com dona Emília Leismeir, resolve passar sua lua de mel em Campos do Jordão, região parecida com a sua terra natal; o jovem casal se empolga com o clima de montanha e com as paisagens da Serra da Mantiqueira. 
Em 1.936, ouviu falar dos Campos do Jaguari, hoje Monte Verde, lugar de clima e paisagens semelhantes a Campos do Jordão, "mas, a paixão pela região já vinha de tempos anteriores, da época em que Verner, ainda menino, trabalhara com seu pai, Ernesto Grinberg, madeireiro, em Campos do Jordão."
Imbuído de espírito empreendedor, sobe até o pé da Serra da Mantiqueira em lombo

 

lde burro, abrindo picada no meio do mato. Em 1.938, ali adquire terras e inicia a formação de uma fazenda. 
Conta Stican: "Eles sempre quiseram viver em uma região semelhante mas saudável. Campos do Jordão, na época, era local de tratamento de tuberculosos... foi nesta época que ouviram falar pela primeira vez dos “Campos do Jaguari”, local semelhante a Campos do Jordão (clima, montanhas e madeira abundante) mas sem tuberculosos. Não conseguiram, no entanto, precisar onde exatamente se localizavam os Campos do Jaguari. Foi somente vários anos mais tarde, depois já de casado, que o Sr. Verner ouviu, de outro leto, Sr. Pumpurs, sobre a localização dos tais “campos”.
Esta região também ficava junto a Serra da Mantiqueira, distante em linha reta apenas 50 quilômetros de Campos do Jordão, embora no Estado de Minas Gerais.
Em 1936, Verner e seu pai decidem finalmente conhecer a tal “Campos do Jaguary”. Levaram dois dias de viagem para chegar ao local. Tomaram um trem da capital de São Paulo a Piracaia, dali a Joanópolis foram de automóvel, e para seguir adiante somente mesmo em lombo de um burro.
Não havia estrada até o local, somente picadas entre as montanhas e ali permaneceram a 1500 metros de altitude num vale que ficava na base do Pico do Selado.
Durante três dias tentaram adquirir terras, mas não havia ninguém interessado em vendê-las. Para a salvação dos viajantes já cansados, quando já estavam regressando, alguém veio correndo atrás dos Grinbergs, montados em seus burricos, perguntando se estavam interessados em adquirir alguma gleba.
Esse foi o início de uma fazenda que foi sendo formada pela família".
Ele, Dona Emília, o pai e um casal de primos montaram uma barraca de lona com dois quartos (homens em um e mulheres em outro) exatamente onde é o centro de Monte Verde.
Logo surge a primeira casa.
Com o passar do tempo, muitos de seus amigos e conhecidos começaram a sentir atração pelo lugar. 
Por isso, decidiu vender aos amigos e parentes, geralmente adeptos de sua religião, a batista, lote de terreno para que construíssem casa e viessem morar na fazenda, a qual assim foi se transformando em uma vila. 
Foi em 29 de novembro de 1.950 (data considerada como fundação da cidade), que Verner vendeu os dois primeiros lotes de terreno e, em 10 de julho de 1.955, registrou o primeiro loteamento de parte da fazenda. 
Os primeiros, que mais se interessaram, foram os europeus, que transformaram a antiga fazenda em vilarejo tipicamente alpino. Texto de:
Egydio Coelho da Silva

 

Documento sem título
LOGIN
Usuário:
Senha:
Documento sem título
TEMPO
Documento sem título
COTAÇÕES

Documento sem título
PARCEIROS
© Copyright 2003 Jornal Voz da Terra Monte Verde-MG ® - Todos os direitos reservados