Documento sem título

 


Documento sem título
PORTAL DE M. VERDE

Associação Comercial

Câmara M. Camanducaia 

Cartão Postal - Mte. Verde

Edições anteriores
Emancipação

Fale conosco

Fórum moradores
Fotos da Cidade
História de Mte. Verde
Horário de ônibus

Hotéis-Mte. Verde

Índice por assunto

Mapa das trilhas

Mapa das ruas
Mapa de Localização
Prefeitura/Camanducaia
Zé Verdinho/prefeito
ROTEIROS
Gonçalves
Cachoeira dos Pretos
Campos do Jordão
SERVIÇOS
Câmara Federal
CEP

DETRAN-SP

Direito - portal

Lista telefônica
Esoterismo - portal

Receita Estadual-MG

Receita da Fazenda

Senado Federal
Tribunal Sup. Eleitoral

Sup. Tribunal de Justiça
Sup. Tribunal Federal
Tribunal de Contas-MG
BANCOS
Banco Real
Bradesco
Caixa Federal
Banco Itaú
Banco do Brasil
Nossa Caixa-SP
Unibanco
IMPRENSA
Fórum de imprensa
Jornais Brasileiros
Jornal dos Bairros-SP
Voz da Terra-Assis-SP
PORTAL REGIONAL
Cachoeira dos Pretos
Camanducaia-dados
Camanducaia - história
Prefeitura-Cambui-MG
Prefeitura de Extrema

VOZ DA TERRA
Jornal de Monte Verde 

Diretor Responsável: Egydio Coelho da Silva - Diretora de redação: Suely Silva
Rua dos Eucaliptos, 61 - Monte Verde - Camanducaia - MG - Brasil
Fone: 35-3438-2035 - Fale Conosco

- Bem-vindo !
FÓRUM DE MONTE VERDE / CAMANDUCAIA
MENSAGENS RECENTES NO FINAL DA PÁGINA


FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 05 DE JUNHO DE 2.006

De: Célio de Faria Santos, prefeito municipal

Cidade:  Camanducia. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Adiada a concorrência da Estrada Monte Verde / Camanducaia

Lamentavelmente fomos surpreeendido com edital abaixo. Pedimos a intervenção do Ministro do Turismo Mares Guia e do Ex-Secretario de Obras do Estado de Minas Gerais Agostinho Patrus para avaliarem a situação e trabalharem para a antecipação do prazo, se for possível.
Cordialmente,
Célio de Faria Santos
Prefeito Municipal

Concorrência para Execução de Obras Rodoviárias
EDITAL Nº 074/2006 - AVISO DE ADIAMENTO
O Diretor Geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais, DER/MG, torna público que em virtude de alterações a serem processadas no orçamento da CONCORRÊNCIA para execução dos trabalhos de melhoramento e pavimentação do trecho Camanducaia - Monte Verde, sub trecho Monte Verde - Rio Jaguari, com 12,66 km de extensão e sub trecho Rio Jaguari - Camanducaia, com 15,99 km de extensão, em rodovia de Ligação, integrante do “Programa de Pavimentação de Rodovias Turísticas e Ecológicas”, anteriormente marcada para o dia 06 de junho de 2.006, fica ADIADA para o dia 07 de julho de 2.006, às nove horas (9:00h). As empresas que já adquiriram o edital, deverão trocá-lo na Assessoria de Custo e Licitação do DER/MG, 10º andar, sem qualquer ônus, à partir do dia 06/06/06, e revalidar as garantias de propostas.

EDITAL Nº 074/2006 - AVISO DE LICITAÇÃO
- O Diretor Geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais, DER/MG, torna público que fará realizar, através da Comissão Permanente de Licitação, às nove horas (9:00h) do dia 06 de junho de 2.006, em seu edifício-sede, à Av. dos Andradas, l.l20, sala l.003, nesta capital, CONCORRENCIA para Execução dos trabalhos de melhoramento e pavimentação do trecho Camanducaia - Monte Verde, sub trecho Monte Verde - Rio Jaguari, com 12,66 km de extensão e sub trecho Rio Jaguari - Camanducaia, com 15,99 km de extensão, em rodovia de Ligação, integrante do “Programa de Pavimentação de Rodovias Turísticas e Ecológicas” , conforme Edital nº 074//06, que estará à disposição dos interessados na sala 1.009. Maiores informações poderão ser obtidas pelo telefone 3235-1272 ou pelo site www.der.mg.gov.

 

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 05 DE JUNHO DE 2.006

De: Ane Galardi de Mello

Cidade:  Monte Verde. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Conservação da Estrada Monte Verde / Camanducaia

Prezados Senhores,
parece que não há, por parte do Estado, um grande interesse na melhoria da estrada, o que só vem a prejudicar os interesses dos habitantes e comerciantes de Monte Verde. E, ainda, por conseqüência, o interesse do município de Camanducaia, pela renda gerada pelo turismo em Monte Verde. Assim, sugiro que ao menos seja feita a manutenção da estrada para esta temporada de inverno já iniciada, passando máquina que a nivele. A estrada atualmente está muito esburacada, com trechos até perigosos em virtude de coincidir a necessidade do desvio dos buracos com as várias curvas existentes.
Atenciosamente,
Ane Galardi de Mello

 

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 08 DE JUNHO DE 2.006

De: Nico Queiroz

Cidade: Monte Verde. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Estrada Mte. Verde / Camanducaia

Senhor Prefeito, senhor editor, amigos e companheiros de infortúnio, cujos automóveis não saem da oficina por causa de nossa "estrada", aí vai uma sugestão: ao invés de ficarmos anos e anos esperando e torcendo pelo "misterioso" asfaltamento da estrada Camanducaia/Monte Verde que, por motivos de "forças ocultas", como diria Jânio Quadros, não sai nunca, que tal partirmos para esta solução: quebrar os pedaços de "asfalto" da estrada, com a ajuda daquele trator com rodas dentadas, transformá-los em pedras, passar um rolo compressor em cima deles, misturando-os com a terra e fazer saídas de água para que a mesma não emposse. Teríamos uma estrada muito boa, bonita e natural, sem a necessida de asfaltar. Faríamos uma economia enorme para o Estado e a felicidade reinaria pelo resto de nossas vidas. Esta sugestão é uma pequena colaboração para um problema que vai acabar enlouquecendo toda uma comunidade. FREQUENTO MONTE VERDE HÁ 32 ANOS, AQUI ME ESTABELECÍ E NÃO AGUENTO MAIS CONVIVER COM O PROBLEMA DA ESTRADA MAU CONSERVADA! QUE MISTÉRIO TERRÍVEL ENVOLVE ESTES POUCOS QUILOMETROS QUE DESAFIAM ADMINISTRAÇÃO APÓS ADMINISTRAÇÃO? Saudações, Nico Queiroz. Pousada Nico on the Hill - Monte Verde.

 

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 08 DE JUNHO DE 2.006

De: Márcio Silva Ferreira

Cidade: Camanducaia. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Terminal turístico em Monte Verde

Com relação a sugestão da nossa amiga Danielle Alves, sobre uma rodoviária em Monte Verde, uma causa bem pensada, mas duma forma bem diferente, gostaria de sugerir ao nosso Exmo. Sr, Prefeito Dr. Célio que no distrito de Monte Verde caberia ao meu ver um Terminal Turístico para ônibus ao qual disciplinaria as empresas de Ônibus, onde elas deixariam seus passageiros, onde os hotéis e pousadas ficariam responsáveis de buscar seus hóspedes com vans e neste terminal, onde os turistas teriam todas as informações, toda estrutura, pessoal treinado, todos uniformizados, de preferência belíngues, onde duma forma organizada o munícipio ganharia reconhecimento pela grande prestação de serviços que viera a realizar, trazendo mais dividendos para o engrandecimento do turismo de serras e montanhas.

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 08 DE JUNHO DE 2.006

De: Márcio Silva Ferreira

Cidade: Camanducaia. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Estrada Gonçalves/Mte. Verde-Cinturão de segurança

Dr. Célio, outro dia enviei uma e.mail ao nobre deputado Dalmo Ribeiro sobre o projeto de asfalto entre Camanducaia à Gonçalves, se na assembléia seria possível de se concretizar o projeto ligando estas duas cidades,incluindo se possível no projeto "PRÓ-ACESSO" do governo estadual, expliquei a importância, de um caminho para o Vale para Camanducaia, uma saída para a cidade de Gonçalves para São Paulo, etc, e ele me respondeu, através de sua assessoria, até para minha surpresa, pois nem achava que me ia responder, ele confirmou que poderá sim em breve sugerir este projeto a apreciação na casa, para que assim aprovado encaminhar ao DER a elaboração dos projetos de engenharia. E também para sua surpresa comuniquei ao Sr. Exmo. Sr. Governador Aécio Neves em relação ao projeto Cinturão de Segurança, que o governo está trazendo para as fronteiras, projeto este de se introduzir uma polícia militar de elite, no caso a ROTAM, sugestão no sentindo de se resguarnecer a fronteira de Camanducaia - São José dos Campos - SP, onde passam criminosos advindos do Vale do Paraíba e também que se comunica-se a receita estadual sobre fronteira sem fiscalização, construindo-se por lá um Posto Fiscal e com isto o asfalto - Camanducaia - São José dos Campos - SP (Distrito de São Francisco Xavier - SP) - (Joanópolis - SP) de apenas 11 km da divisa até na estrada de Monte Verde talvez se tornaria realidade. É de fato notório que logo logo o governo do Estado de São Paulo autorizará a construção do trecho Joanópolis - São José dos Campos - São Francisco Xavier - SP), e isto fará que somente um trecho de 11 km sem asfalto separará o nosso município do isolamento do Vale, por isto peço que se faça um certo lobby ao nobre deputado e a demais autoridades. Para que se faça uma parceria com o município de Gonçalves junto a seu prefeito para que busquem recursos a esta obra e que com certeza o sr. terá exito. Obrigado.

 

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 16 DE JUNHO DE 2.006

De: Suely Silva

Cidade: Monte Verde. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

 

Assunto: inverdades, construção do quartel.

 

Ao Fórum de debates:
No jornal "Em Ação"da AHPMV no dia quatro de junho, página 11, divulgou sobre a reunião do CONSEP que ocorreu na Casa de Pedra. Veja o texto " ... Outros lembraram do dinheiro da ACMV arecadado no quartel, que somado ao do Bradesco já chegaria próximo ao valor planejado. Mas a maioria disse- esquece este dinheiro..já era...se quisessem devolver já teriam feito..nem prestação de conta fizeram...já se passaram dois anos e nada..."
Como secretaria do CONSEP e responsável pela ata das reuniões devo esclarecer que jamais foi dito isto em reunião. Portanto, o tal texto "taxativo" e "manipulável" do jornal Em Ação é uma mais uma inverdade. Veja o que consta na ata da reunião do dia 24 de maio relacionado com a construção do quartel:
Ata do CONSEP dia 24 de maio de 2006-06-07
Aos vinte e quatro de maio de dois mil e seis às dez horas e vinte e sete minutos, na Casa de Pedra, o Presidente do Consep-MG, Jeremias Bueno de Oliveira abriu a reunião e pediu para a secretária Sueli ler a última ata. Iniciada a pauta do dia, o presidente falou sobre a prestação de contas do uniforme doado aos funcionários da prefeitura que trabalham no Portal de entrada. A arrecadação foi de oitocentos e cinqüenta reais, citou o nome de todos que contribuíram e falou que ainda falta receber de alguns.  A Iara lembrou sobre a construção do quartel na entrada. O vice-prefeito Dante se manifestou e disse que foi adiado o acordo do senhor Adolfo em comprar parte da travessa da rua Rolinha na qual pertence à prefeitura. Dante explicou que ele pagará cem mil em dez vezes que será revertido para o inicio das obras que estão previstas para janeiro de dois mil e sete. O Senhor Dalton questionou sobre o custo do projeto exposto e perguntou se não há nada mais acessível no mercado. Ricardo Horno explicou que se baratear o sistema não terá durabilidade. Iara lembrou que já existe duas câmeras instaladas no Portal, mas não tem boa resolução, mas continuará sendo utilizada. O presidente Jeremias pediu a palavra e sugeriu uma votação para saber se iriam arrecadar dinheiro com a comunidade. Todos concordaram mas lembraram que o monitoramento humano é de suma importância também. Depois de aprovado o projeto por unanimidade por volta das onze e cinqüenta e oito da manhã na Casa de Pedra, a diretoria do Consep marcou para as catorze e trinta o reinicio da reunião, na qual outra empresa apresentaria proposta de monitoramento do Portal. As catorze e quarenta e cinco reiniciou a reunião do Consep, onde a empresa Expert de São Paulo apresentou projeto similar ao da WPS Brasil Ltda, apresentado na reunião da manhã. Câmeras de alta qualidade da marca Bosch, com prova de marca dágua aceito em tribunais, explicou o representante Nilton Dias. Sendo o mesmo esquema do anterior com três cancelas e monitoramento com câmeras contra vandalismo, cujo custo em torno de sessenta e três mil reais. Logo após apenas a diretoria se reuniu para fazer uma lista de arrecadação que ficará com membros do Consep, onde constará todo empresário, comerciantes, associações para angariar fundos para a execução do projeto de monitoramento no Portal de entrada. As quinze e trinta a reunião foi encerrada pelo presidente que disse o número da conta do Consep: Agência Bradesco 1020-0 Conta corrente 7058-0, aceitando apenas depósito identificado. Nada mais constando, eu secretaria do CONSEP redigi a presente ata.

Cara Suely:

Na verdade, a Prefeitura pelo volume de impostos altíssimos que cobra em Monte Verde, se realmente estivesse interessada em oferecer mais segurança aos moradores e turista, de  há muito já teria iniciado as obras do quartel. Não precisaria vender um patrimônio público de Monte Verde para construir um quartel, pois, inclusive já recebeu de graça um terreno para isso. Além disso, há ainda um valor depositado no Bradesco, que não terá outro destino que não seja a construção do quartel. Muitos, inclusive o Prefeito, já pleitearam que esse dinheiro fosse aplicado em compra de filmadora. Nós, porém, temos um raciocínio muito simples: o dinheiro entrou no banco para o quartel e dali somente sairá para a sua construção. 

Mentiras e calúnias não nos afastarão desse objetivo, pois, acredito que somente a construção do quartel dará mais segurança aos moradores, comerciantes, veranistas e turistas. Temos elogiado o Prefeito por ele acreditar na potencialidade do turismo gerado por Monte Verde, mas tem sido infeliz na escolha de alguns de seus auxiliares, que desgastam a sua imagem. Egydio Coelho da Silva

 

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 15 DE JUNHO DE 2.006

De: JOSE LUIZ DE SOUZA

Cidade:  Monte Verde. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Encaminha abaixo assinado ao Prefeito, estrada e construção do quartel, etc.

Monte Verde, 15 de junho de 2006.
À 
Prefeitura do Município de Camanducaia.
At: Excelentíssimo Sr. Prefeito Célio.......
Na qualidade de cidadãos e no exercício pleno de nossos direitos, nós abaixo assinados, moradores, eleitores, proprietários e comerciantes do sub distrito de Monte Verde, comarca de Camanducaia, vimos através desta carta protesto, manifestar nossa absoluta e total indignação e repulsa com os recentes atos praticados em sua gestão e desde já requerer nos seja disponibilizado cópia do ato licitatório, bem como, do contrato formalizado com a empreiteira encarregada das obras para construção da entrada e do asfaltamento de Monte verde.
Nossa indignação tem inúmeros motivos, podendo ser destaque dentre eles a constatação de que o asfalto que será objeto da obra, o cognominado “KINDER OVO” tão criticado na gestão de ex-prefeito, venha a se tornar realidade também na gestão de V. Excelência. 
Merece ainda ficar consignado, e muito bem anotado, para que não caia no esquecimento futuro, que essa obra que nos foi prometida concluída para antes do feriado de Corpus Christi do ano de 2006, não poderá e não será entregue de forma nenhuma no prazo assinalado e reafirmado várias vezes por V. Exa e por seus séqüitos.
Acresça-se ainda, que todos os funcionários, máquinas, caminhões e material necessário para esta obra, foram ao que tudo indica, (desviados) não se conhecendo os verdadeiros motivos, para o asfaltamento de ruas transversais em frente à Igreja Católica, sem que se denote urgência para tal atitude. Poderíamos indagar porque não a Av Sol Nascente, Mantiqueira, Serrana, Av das Montanhas.
Pergunta-se diante desse total descaso com a população; qual o verdadeiro motivo dessa preferência de poucos em detrimento do bem estar da totalidade dos moradores que estão ávidos por um pouco mais de atenção e de uma cidade mais acolhedora? A resposta deve ser dada por V. Exa de modo a convencer a população.
Acresça-se o fato de que este tipo de atitude encontra eco não só na totalidade da população já cansada de promessas, mas principalmente nos turistas que não compreendem o descaso das autoridades com uma cidade já não tão visitada como outrora e que depende exclusivamente do turismo como fonte de renda.
Queremos deixar ainda registrado, que no dia 13 de junho pretérito, funcionários da Prefeitura de Camanducaia, realizavam obras de drenagem em frente a propriedade da Sra. Linda Conde, e gostaríamos de saber se tais obras constam de alguma licitação ou se o motivo das mesmas tinha urgência em detrimento da obra principal acima referenciada.
Aproveitando o ensejo, apreciaríamos receber de forma oficial e não mais a título oficioso ou de promessas não cumpridas, inclusive aquela festejada por ocasião do comparecimento do ilustre Secretário de Turismo do Estado de Minas Gerais, em Monte Verde em passado recente, quando foi euforicamente comunicado o início das obras da estrada ligando Camanducaia à Monte Verde para o início do mês de março de 2006, quando de fato a festejada estrada sairá do papel e das falácias politiqueiras para a realidade.
Ante a total ausência de credibilidade dessa administração, que vem abalando cada vem mais de modo significativo a confiança da população, nossa solicitação deverá ser respondida por escrito, visando desta forma dar ares de formalidade e de rigor legal acabando de forma definitiva com qualquer tipo de evasivas e promessas vãs.
Pedimos ainda um breve relato sobre a programação da construção do alojamento das policias, outra obra tão esperada pela nossa população. 
Aguardando o cumprimento da solicitação, subscrevemo-nos.
Atenciosamente.
JOSE LUIZ DE SOUZA
YARA BATISTA FIORETTI
MARCELO NOVAES
EGON BOETCHER
FLAVIO MARX
MARIA DE LOURDES POLIDORO
ALEXANDRE BITTENCOURT NORONHA
EUGENIO MAZON
CLAUDIA MAZON
RUY DE CASTILHO
IVANI FORTUNADO DE CASTILHO
E DEMAIS MORADORES, COMERCIANTES E TURISTAS, CUJA RELAÇÃO SE ENCONTRAM A DISPOSIÇÃO NO BAR DO ZÉ.

Comentário do coordenador:
É louvável a iniciativa da comunidade em se manifestar sobre os problemas de Monte Verde e pleitear do Chefe do Executivo municipal explicações. Pois, os boateiros de plantão, 24 horas por dia, contam mentiras, que repetidas sempre, viram verdade, como sugeriu Maquiável em sua carta ao Príncipe. Veja o caso das mentiras contra a Acmv, que primeiro era acusada pelo arauto da Prefeitura de se omitir na construção do quartel. Depois, de comprovado que o terreno fora doado à Prefeitura e somente ela poderia construir, mudou de mentira. Agora a Acmv arrecadou dinheiro e não quer repassar à Prefeitura. 

Maquiável tinha razão: uma mentira repetida muitas vezes vira verdade. Portanto, é louvável que se exija que o Poder público fale a verdade. É o mínimo que o contribuinte e o eleitor devem exigir dos governantes. Abçs. e grato pelo envio deste abaixo assinado. Egydio Coelho da Silva.

 

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 16 DE JUNHO DE 2.006

De: Célio de Faria Santos, prefeito municipal

Cidade:  Camanducaia. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Resposta do Prefeito ao abaixo assinado acima.

É sempre um prazer estar respondendo aos questionamentos dos cidadãos monteverdenses, pelo que passo a fazê-lo consoante tópicos abaixo articulados:
1).- Da divulgação dos atos administrativos: é importante esclarecermos aos munícipes que os editais das atividades administrativas são publicados no Órgão Oficial do Estado, conforme determina a lei e os contratos ficam arquivados no Setor de Licitação da Prefeitura, ambos à disposição não só dos solicitantes como de qualquer outro cidadão do Município;
2).- Do “KINDER OVO”: embora jamais tenhamos usado esta designação pejorativa ao asfalto ou a outra obra da gestão anterior, quero deixar claro em respeito aos signatários ou aos outros cidadãos que possam ter sido correligionários do ex-Gestor. A atual gestão lavrou um contrato dentro dos princípios do Código Civil Brasileiro e obedecendo ao estatuído na ABNT, os quais regem as obras e obrigações no território nacional. Portanto, os problemas da qualidade ou defeitos das obras serão resolvidos na forma da lei;
3).- Quanto à data aprazada: realmente prometemos que a obra do portal seria entregue nesta data (15/06), mas por questões técnicas a mesma teve que ser adiada e deverá ser reiniciada na próxima semana. Isto não significa que a obra foi interrompida. O importante é que façamos a obra que mesmo sem terminar está melhor do que situação anterior. É importante consignarmos que as razões são decorrentes de várias causas entre as quais destacamos: "se fosse colocado o asfalto para atender a este requisito fatalmente correríamos o risco de causar maiores danos aos signatários, aos outros comerciantes e aos turistas, já que teríamos que interditar o trânsito durante o período de”cura" e isto entende que seria mais prejudicial ao movimento do feriado. Imaginem o turista reclamando de que seu carro foi manchado pelo asfalto...; 
4).- Quanto ao local das obras: com o devido respeito, cabe-nos dizer que entre o poder da Administração Pública está o Poder Discricionário, ou seja, de escolha pelo agente político. Destaco a faculdade de determinar o local para o início das obras com uma faculdade da gestão dentro do princípio deste poder. Tenho dito que se houvessem recursos disponíveis faríamos todas as obras de Monte Verde e do Município. Não posso também me restringir à vontade de um Pequeno Grupo. Veja por exemplo: no ano passado asfaltamos a rua Rolinha em parceria com os moradores. Moradores do Bairro dos Farias nos questionaram a razão de termos colocado "asfalto gratuito" para pessoas abastadas... E, eu respondi: todos são iguais perante a lei... 
Durante uma das reuniões que tivemos na Escola Karlis Kempis sobre segurança estava chovendo muito. Terras e pedras das ruas acima rolavam para as ruas abaixo ali pavimentadas. Como se tratavam de ruas adjacentes à referida escola que em tempo de chuvas causam transtornos aos alunos, resolvemos iniciar as obras por aquele setor. Nossa meta é pavimentar toda Monte Verde, mas o Município não dispõe de recursos para tanto. Assim, na medida que forem sendo disponibilizados recurso estará atendendo toda população, principalmente a do bairro dos Farias que será a nossa próxima meta, pois ali estaremos aplicando na qualidade de vida de pessoas menos privilegiadas economicamente falando;
5).- Obras desviadas e descasos administrativos: creio que a questão se nos apresenta mais como uma visão político-partidário. Há 50 anos Monte Verde vem sofrendo com o descaso das administrações e não seria em um ano e meio que iríamos atender todas as necessidades acumuladas nestes anos. Basta dizer que somente no dia 14/06 pp. conseguimos sensibilizar nossos Vereadores para o saneamento ambiental (esgoto) e mesmo assim tivemos dois (2) votos contra: o do Dr. Wagner (médico - PFL/PSDB) e do Zé da Pedra (PMDB). Perdemos muito tempo numa questão óbvia, quando poderíamos estar trabalhando para outras necessidades. Este projeto tramitou por dois anos na Câmara Municipal (desde a gestão anterior).
Há dois meses chegaram aos nossos conhecimentos de que "políticos locais e tradicionais" estariam trabalhando com seus deputados contra o asfalto da estrada de MonteVerde/Camanducaia. Não acreditei porque se a questão era entravar o meu futuro político, eles poderiam ficar despreocupados, pois meu objetivo de carreira profissional nunca fora político. Hoje faço política por idealismo e não como profissão. Agora me causa espanto o fato de que um servidor do DER, acostumados aos processos licitatórios tenha errado na nota técnica da estrada... 
Mas o que os signatários precisam entender que não é só Monte Verde que existe no Município: temos a sede, o Distrito de São Matheus de Minas e a zona rural - uma extensão de 529 k. Herdamos as necessidades de resolvermos problemas como o Lixão, o Esgoto, a Estrada de Monte Verde, as estradas vicinais, a falência da Santa Casa que funcionava como curral eleitoral e entre outros tantos problemas. 
Estamos iniciando 22 (vinte e duas) obras em todo o Município, conforme se pode ver no Setor de Licitação e que em breve será publicado uma a uma...
A verdade é que Monte Verde nunca teve a atenção que hoje dedicamos;
6).- Dos benefícios a uma moradora: quando licitamos as obras de Monte Verde o fizemos como um todo, ou seja, a entrada e as ruas. Não conhecemos a cidadã em questão ( Linda Conde), mas sabemos que é uma contribuinte e não analisamos o fato de quem mora na rua para receber benefícios. Estes benefícios são resultantes de uma parceria com o Estado e destinados pelo então Secretário de Obras Deputado Agostinho Patrús. É óbvio que esta senhora paga seus imposto como qualquer um e tem os mesmos direitos como qualquer um de ter melhorias em sua rua. É racional que se a sua rua estiver no conjunto licitado terá os mesmos direitos dos moradores da Rua Rolinha ou de outras ruas;
7).- Quanto às notícias veiculadas: nós repassamos o que nos informam, antes sequer informavam aos cidadãos monteverdenses e todo mundo achava ótimo, pois sempre reelegiam o mesmo mandatário. Hoje temos uns políticos distribuindo adesivos criticando a estrada, quando ele deveria ter vergonha de integrado um partido que tinha a obrigação de ter resolvido o problema que crítica, pois permaneceu por longos anos na gestão municipal.
Se existem entraves burocráticos o que poderemos fazer? A verdade é que o convênio foi assinado para a recomposição da estrada - vide DER. A verba, o Ministro do Turismo repassou para o Estado de Minas Gerais - vide Nota de Empenho do Ministério do Turismo. O Governador várias vezes me afirmou que a obra sai. A licitação será no dia 07 de julho pv. O que mais poderia ser feito???
Agora em momento algum prometemos que faríamos a obra com recursos do Município, pois a maior parte das obras de Monte Verde estão sendo feitas em parceria com recursos da esfera federal ou estadual - vide licitações, pois com recursos do Município Monte Verde teria somente as mesmas obras que sempre tive nas gestões anteriores... 
8).- Quanto à credibilidade desta gestão - antes das acusações sem embasamentos os signatários deveriam solicitar esclarecimentos aos setores competentes. Na gestão pública tudo é burocrático. O que não pode existe é desonestidade como as que se tem noticiais. Vejam só hoje Monte Verde tem uma Subprefeitura, um Subprefeito, um Presidente do Contur, um Secretário de Turismo, têm maquinários e veículos próprios, Serviço Social, distribuições de cestas básicas e remédios, merenda gratuitas aos alunos, transportes a professores e universitários, funcionários em número compatível com os recursos e as necessidades. E anteriormente o que tinha: será somente credibilidade ou nem isto?...
9).- A construção do alojamento dos policiais militares - foi um iniciativa da Associação Comercial de Monte Verde. Ela quer transferir a herança ao Município. Não creio que o problema da segurança seja o alojamento e sim a falta de policiais que o Comando Geral da PMMG não consegue nos atender e não foi por falta de não estarmos pedindo. Desafetamos uma rua que está sendo licitada para angariarmos recursos para construirmos o citado alojamento da PMMG. Segurança é um dever do Estado não do Município. Espero que juntando com os recursos da Associação possamos construir o alojamento e com isto sensibilizarmos o Comando para nos enviar novos policiais. O que não podemos é alocar recursos vinculados do Município para suprir a função do Estado;
10).- Da parceria com o Estado – cabem-nos, finalmente, consignar que como se trata de obra realizada em convênio do Município com o SETOP ( Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas),que inclui 100 toneladas de CAP 20, esta será fiscalizada e recebida pela Secretaria de Estado de Obras. Portanto a qualidade deverá ser garantida pela empreiteira. Só temos é que agradecer a mais esta obra possível ao Dep. Agustinho Patrus - Ex. Secretario de Obras.
ATENCIOSAMENTE, esperamos ter atendido as suas reivindicações e caso não, me coloco ao inteiro dispor na Prefeitura ou na Subprefeitura. Cordialmente, Célio de Faria Santos,prefeito municipal.
Comentário do coordenador:
Não deixe de merecer elogios também a boa vontade como o prefeito se dispõe a responder.

Cabe apenas retificação quanto à informação de que a construção do quartel foi iniciativa da ACMV,  pois, todas as pessoas de boa fé sabem que ela não tem poderes jurídicos para isso. Mesmo porque teria que receber em doação o terreno,  o que só é possível quando feito à Prefeitura. 

A iniciativa do ex-presidente Roberto de Lucas foi apenas de coordenar um desejo de moradores de ajudar a Prefeitura com dinheiro do próprio bolso (além dos impostos que já paga) para que ela construísse o quartel. Pois, tinha o compromisso do então prefeito de Camanducaia, Emydio Moreira Filho, de iniciar a sua construção logo após o eleição, o que não pode acontecer porque Emidinho não foi reeleito.

O Quartel ou posto policial, junto ao portal, é um bem público universalmente aceito por todas as pessoas, que sabem que a presença da autoridade policial na entrada da cidade oferece não só a sensação de segurança, mas também mais segurança a todos, inclusive a turistas. E o melhor a certeza de "menos segurança" para os desonestos.

Entendo que se discute muito um assunto provavelmente com objetivos eleiçoeiros em vez de haver mais vontade política em atender ao desejo da população de Monte Verde e oferecer mais segurança a todos. Abs. a todos e grato pela participação. Egydio Coelho da Silva, presidente da Acmv.

 

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 22 DE JUNHO DE 2.006

De: JOSE LUIZ DE SOUZA

Cidade:  Monte Verde. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Algumas perguntas que teriam ficado sem resposta

Recebi texto longo enviado por José Luiz de Souza, reclamando que algumas perguntas teriam ficado sem resposta do Prefeito. Abaxo as perguntas, que ele gostaria que o Prefeito esclarecesse:
1- Asfaltamento da estrada que liga Camanducaia a Monte Verde, 2- Se a estrada de fato será realizada nesta gestão;
3- Se verba para construção é de origem Federal e parte Estadual, será permitido pela lei eleitoral obras licitadas em época de eleição ?

4- alojamento dos policiais militar também sabemos que foi uma iniciativa da Associação Comercial de Monte Verde, porém houve uma escritura de doação do Família Grinberg para a Prefeitura de Camanducaia?
5- Como está ocorrendo uma licitação de um terreno da Prefeitura de Camanducaia, para angariar recursos para esse fim?

6- Outro resposta que gostaríamos de ter é se a licitação do terreno já foi efetuada ?
7- E se existe alguma amarração para que o valor a ser arrecadado fique vinculado a construção do alojamento ?
Corre boato em MV que esse dinheiro não virá para cá.

Outras dúvidas e pedidos de informação:

a) No que se refere aos esclarecimentos da Copasa, nada foi postulado a respeito, todavia, agradecemos a informação.
b)Houve apenas pedido de esclarecimentos se a licitação para o asfaltamento do Portal incluía outras ruas. 

c) o asfalto está sendo colocado em final de semana se fosse durante a semana não seria melhor para evitar transtornos a turistas e moradores?
Jose Luiz de Souza, Yara Batista Fioretti, e demais assinantes da solicitação de 15.06.06

 

VOZ DA TERRA DE MV ON LINE EM 22/JUNHO/2006

Festa de São Gonçalo

 

Primeira Festa de São Gonçalo em Monte Verde
A Primeira Festa de São Gonçalo agitou a rua do Córrego, na Vila da Fonte, no sábado dia 17. Fogueira, churrasquinhos, bolos, tortas, quentão e vinho quente esquentou o fim de semana dos moradores. O festeiro, senhor Zé do Gás, organizou tudo em frente a sua casa. Um palco foi armado para receber os violeiros Filhos das Mantiqueira. O sr. João Fróes abriu a festa e todos se emocionaram com o canto e a dança de São Gonçalo. A barraquinha de churrasco foi liderada pelo Ditão da padaria e as mulheres ficaram com as barracas de bolos, tortas e canjica. A festa se estendeu até a madrugada, onde os moradores puderam se divertir após trabalharem muito no feriado prolongado.Parabéns ao organizador, o senhor Zé do Gás pela alegria contagiante que ele passa para o povo monteverdense.

 

VOZ DA TERRA DE MV ON LINE EM 23/JUNHO/2006

Deputados propõem facilidades 

que podem beneficiar Monte Verde

 

O Projeto de Lei (PL) 3.234/06, do deputado Dilzon Melo (PTB), que dispõe sobre o reconhecimento de localidade como estância climática, foi discutido em reunião nesta quinta-feira (22/6/06) da Comissão de Meio Ambiente e Recursos Naturais da Assembléia Legislativa de Minas Gerais. 

Durante o debate, foram apresentadas sugestões para aprimorar o projeto, entre elas a necessidade de cada estância climática ter um plano diretor, independente do número de habitantes. 
O presidente da comissão, deputado Laudelino Augusto (PT) sugeriu colocar algum critério para aumentar o repasse do ICMS ecológico para as localidades reconhecidas como estâncias climáticas.

A iniciativa da proposta também recebeu o apoio da diretora de Projetos da Secretaria de Estado de Turismo, Amanda Valle. 
A necessidade do projeto de lei também foi reforçada pelo assessor jurídico da Diretoria de Normas da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Leonardo Maldonato. 
Copasa - Ainda durante a reunião, o deputado Laudelino Augusto concordou com a idéia, já defendida por outros deputados, de que o PL 3.374/06, do governador, que cria subsidiárias da Copasa, seja desmembrado. "Há consenso quanto à criação da subsidiária para cuidar das águas minerais do Sul de Minas, e isso é urgente", afirmou o parlamentar. 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - 31 -

2108 7715

 

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 29 DE JUNHO DE 2.006

De: Célio de Faria Santos, prefeito municipal

Cidade:  Camanducaia. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Inauguração e início de obras em Monte Verde

Senhor Diretor,
Peço-lhe a gentileza de publicar que na terça-feira (04-07-06, as 20 horas) estaremos não só inaugurando as obras concluídas, como também dando ordens de serviços para a execução das seguintes obras em Monte Verde:
1).- Construção da Quadra que dará início as obras do futuro Ginásio Coberto de Monte Verde;
2).- A pista de skate;
3).- Reforma do Posto de Saúde;
4).- Reforma e construção dos banheiros na Escola Karlis Kempis e
5).- Construção das primeira 25 casas populares, iniciando o Projeto de Melhoria na Qualidade Habitacional de Monte Verde;
Cordialmente, Célio de Faria Santos, Prefeito Municipal

 

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 03 DE JULHO DE 2.006
De: Célio de Faria Santos, prefeito municipal
Cidade:  Camanducia. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Resposta a diversas perguntas e comentários

Caro Egydio,
Tem este o objetivo de responder aos questionamentos abaixo e conforme solicitação:

Comentário:
" Na verdade, a Prefeitura pelo volume de impostos altíssimos que cobra em Monte Verde, se realmente estivesse interessada em oferecer mais segurança aos moradores e turista, de há muito já teria iniciado as obras do quartel. Não precisaria vender um patrimônio público de Monte Verde para construir um quartel, pois, inclusive já recebeu de graça um terreno para isso. Além disso, há ainda um valor depositado no Bradesco, que não terá outro destino que não seja a construção do quartel. Muitos, inclusive o Prefeito, já pleitearam que esse dinheiro fosse aplicado em compra de filmadora. Nós, porém, temos um raciocínio muito simples: o dinheiro entrou no banco para o quartel e dali somente sairá para a sua construção. Mentiras e calúnias não nos afastarão desse objetivo, pois, acredito que somente a construção do quartel dará mais segurança aos moradores, comerciantes, veranistas e turistas".
RESPOSTA DO PREFEITO:
a.- DOS TRIBUTOS:
Célio: Não corresponde a verdade a afirmativa acima: " pelo volume de impostos altíssimos que cobra em Monte Verde ..." - sic. Analisando somente o recolhimento do ISSQN de alguns dos estabelecimentos comerciais do Distrito de Monte Verde, verificaríamos que se aqueles empresários auferissem somente a receita que os tributos refletem, certamente em três meses estariam falidos.
Portanto, não há o que se falar em impostos altíssimos. Com o devido respeito trata-se de uma afirmação distorcida da verdade. Na realidade o que ocorre e uma altíssima inadimplência.
Não diferem nos demais tributos e taxas a analise, cuja inadimplência nos impedem de maiores investimentos no Distrito. Vale dizer que estamos realizando uma análise do custo do Distrito englobando a educação, a saúde, a infra-estrutura e as obras ora realizadas ou a serem realizadas.
No quadro abaixo estamos demonstrando apenas um setor, que pode ser considerado o termômetro econômico do Distrito. É fácil cobrar direitos, o difícil é cumprir deveres.
Veja o demonstrativo abaixo:
Situação das empresas na Avenida Monte Verde
Fiscalização Municipal realizada entre os dias 03 à 24 de junho de 2006.
Dos 58,32% irregulares
DEVEM O ANO DE 2006: 25,76%
DEVEM O ANO DE 2005: 12,20%
DEVEM O ANO DE 2004: 6,13%
DEVEM O ANO DE 2003: 6,08%
DEVEM O ANO DE 03 e 04: 3,23%
DEVEM O ANO DE 2002: 2,78%
DEVEM MAIS DE 2 ANOS: 2,14%
Obs.: Foram visitados 200 comércios na Av. Monte Verde
b.- DO QUARTEL:
"... viabilizar a construção do Quartel no Portal de Monte Verde..." (sic - Proposta de Governo do candidato Célio de Faria Santos). O termo é claro, ou seja, desenvolver trabalhos ou esforços para a sua edificação. Em nenhum momento foi dito que iríamos construir o Quartel com recursos do Orçamento Municipal.
A venda do imóvel do Município foi uma das fórmulas que achamos para conseguirmos os recursos para viabilizar a construção. A afirmativa de que o Município não precisaria vender um imóvel é vaga, pois basta uma pesquisa no orçamento e constataríamos a impossibilidade do erário.
No nosso orçamento não existe verba para a tal finalidade e nem foi objeto do orçamento participativo quando das Audiências Públicas do Legislativo, tanto que a proposta sequer foi alocada pelos Vereadores.
Repito: entre as atribuições do Estado está a segurança e a construção de seus prédios - vide Constituições. Em nenhum ponto da nossa legislação encontramos amparo à afirmativa de que o Município seja o responsável pela segurança ou pela construção de seus prédios. Mas estamos desenvolvendo este trabalho por estarmos sensíveis à causa e ao povo monteverdense.
Pergunta-se quanto é o valor orçado inicialmente da obra e o valor em moeda sob a guarda da ACMV no Bradesco?
Onde está a prestação de contas reiterada várias vezes e que nunca foi publicada, discriminando os doadores, a receita e as despesas desta verba? Isto é do bom senso e ético.
Chegamos a exaustão por tantas vezes termos reiterado pedido ora formulado (Veja resposta a esta questão no final da página).
Segundo a Secretaria de Obras o projeto original foi orçado em trezentos mil reais e qual seria a contrapartida da ACMV? Segundo informações, não oficiais, foram recolhidos trinta e seis mil entre os doadores, mas que hoje existe apenas vinte mil reais aproximadamente - 6,6% do custo da obra.
E a verdade, onde está? Justificaria a construção de um alojamento tão caro para quatro policiais e em que isto melhoria a segurança de Monte Verde? Caso seja efeito psicológico poderíamos substituir os policiais por bonecos como ocorrem em algumas capitais.
Não me recordo ter sugerido a compra de filmadoras. Mas vejo que a importância que esta no caixa da ACMV nem para isto talvez viesse servir....
Comentário: "Temos elogiado o Prefeito por ele acreditar na potencialidade do turismo gerado por Monte Verde, mas tem sido infeliz na escolha de alguns de seus auxiliares, que desgastam a sua imagem. Egydio Coelho da Silva
RESPOSTA - Obrigado por acreditar que realmente trabalhamos para o turismo de Monte Verde. Eu e meus assessores. A escolha dos meus assessores veio em decorrência da parceria e suas habilitações profissionais verificadas durante a campanha ou por indicação dos diretamente interessados no turismo, como foi o caso do Secretário de Turismo e do Presidente do Comtur. Entretanto, não somos perfeitos, mas posso dizer com orgulho que até a presente data não pesa sobre eles nenhuma suspeita de corrupção.
B).- Novos reclamos de Zé Luiz, Yara e Companhia:
Recebi texto longo enviado por José Luiz de Souza, reclamando de que algumas perguntas teriam ficado sem resposta do Prefeito. Abaixo as perguntas, que ele gostaria que o Prefeito esclarecesse:
1- Asfaltamento da estrada que liga Camanducaia a Monte Verde
RESPOSTA - desde a nossa posse estamos trabalhando para que a estrada de Camanducaia a Monte Verde saia realmente. Reitero a resposta dada ao Manifesto.
"....7).- Quanto às notícias veiculadas: nós repassamos o que nos informam, antes sequer informavam aos cidadãos monteverdenses e todo mundo achava ótimo, pois sempre reelegiam o mesmo mandatário. Hoje temos uns políticos distribuindo adesivos criticando a estrada, quando ele deveria ter vergonha de integrado um partido que tinha a obrigação de ter resolvido o problema que crítica, pois permaneceu por longos anos na gestão municipal.
Se existem entraves burocráticos o que poderemos fazer? A verdade é que o convênio foi assinado para a recomposição da estrada - vide DER. A verba, o Ministro do Turismo repassou para o Estado de Minas Gerais - vide Nota de Empenho do Ministério do Turismo. O Governador várias vezes me afirmou que a obra sai. A visita técnica será no dia 07 de julho pv. E a obra será licitada no dia 14-0706. O que mais poderia ser feito???
Agora em momento algum prometemos que faríamos a obra com recursos do Município, pois a maior parte das obras de Monte Verde estão sendo feitas em parceria com recursos da esfera federal ou estadual - vide licitações, pois com recursos do Município Monte Verde teria somente as mesmas obras que sempre tive nas gestões anteriores..." (sic)
2- Se a estrada de fato será realizada nesta gestão;
RESPOSTA - Aguarde e vocês verão. Estamos trabalhando desde o resultado das eleições para vermos isto acontecer e temos certeza que vocês partilharam desta vitória conosco. O que nos entristece e saber que existem pessoas que parecem trabalhar contra esta tão importante realização para Monte Verde.
3- Se verba para construção é de origem Federal e parte Estadual, será permitido pela lei eleitoral obras licitadas em época de eleição ?
RESPOSTA - será Federal e Estadual, já assinei o convênio. A obra não é de edificação da estrada que já existe, mas sim de restauração. Este fato não tem impedimento da Lei Eleitoral, segundo entendimento da SETOP.
4- Alojamento dos policiais militar também sabemos que foi uma iniciativa da Associação Comercial de Monte Verde, porém houve uma escritura de doação do Família Grinberg para a Prefeitura de Camanducaia?
RESPOSTA - Com relação a Escritura o Senhor Roberto Stikan, representante da familia Grinberg nos disse não querer o terreno de volta e sim o quartel construido ali e envidaremos esforços como prometido para isso. O restante ... : vide resposta acima.
5- Como está ocorrendo uma licitação de um terreno da Prefeitura de Camanducaia, para angariar recursos para esse fim?
RESPOSTA - após lei autorizativa do estamos procedendo com a licitação na forma legal.
6- Outro resposta que gostaríamos de ter é se a licitação do terreno já foi efetuada?
RESPOSTA - Não. Segundo Setor de Licitações a Concorrência Pública será realizada no dia 06 de julho de 2006, 'as 08 horas.
7- E se existe alguma amarração para que o valor a ser arrecadado fique vinculado a construção do alojamento?
Corre boato em MV que esse dinheiro não virá para cá.
Outras dúvidas e pedidos de informação:
RESPOSTA - O Município não trabalha com amarração e sim com previsão ou autorização legal. Existe uma lei vinculando o produto à finalidade.
a) No que se refere aos esclarecimentos da Copasa, nada foi postulado a respeito, todavia, agradecemos a informação.
RESPOSTA - Sempre à disposição.
b)Houve apenas pedido de esclarecimentos se a licitação para o asfaltamento do Portal incluía outras ruas.
RESPOSTA - Foram licitadas 22 (duas) obras. No Processo n.052-06 esta a pavimentação da entrada, das ruas da Vila da Fonte e das substituições de pontes de madeiras por tubos metálicos no Bairro dos Farias, todos em Monte Verde e da pavimentação das ruas no Bairro Quedas Verdes em Camanducaia.
c) o asfalto está sendo colocado em final de semana se fosse durante a semana não seria melhor para evitar transtornos a turistas e moradores?
RESPOSTA - Há um prazo contratual para ser cumprido pela empreiteira, apenas optamos que o portal aguardasse o transcurso do feriado, pois o movimento de veículos e muito maior do que um final de semana. Sem falar que o planejamento da execução das obras e feito pela empreiteira após estudo do melhor andamento para as obras. Para nos apenas o cumprimento do prazo contratual e importante.
Hoje o portal já esta pronto. Foi apenas uma questão de paciência. Nem todas as obras acompanham inflexivelmente o cronograma. Há sempre alguns problemas que requerem a sensibilidade das pessoas. O importante e que estamos realizando obras em Monte Verde que não ficarão somente nestas:
CONVITE
Convidamos os monteverdenses para no dia 04 de julho de 2006, as 20 horas, para a entrega oficial do portal e quando estaremos dando ordens de serviços para as seguintes obras:
1).- Construção da Quadra que dará início as obras do futuro Ginásio Coberto de Monte Verde;
2).- A pista de skate;
3).- Reforma do Posto de Saúde;
4).- Reformas e construcoes dos banheiro na Escola Estadual Karlis Kempis e
5).- Construção das primeira 25 casas populares, iniciando o Projeto de Melhoria na Qualidade Habitacional de Monte Verde;
6).- entrega de um caminhão okm para a SubPrefeitura.
Cordialmente, Célio de Faria Santos, prefeito municipal
Egydio, Sueli, Zé Luiz, Yara e outros assinantes do manifesto: me coloco às suas disposições para conversarmos sobre todas as suas dúvidas, pois pessoalmente poderíamos dialogar democraticamente e sem quaisquer possibilidades equívocos e de desagrados.
Talvez vocês possam contribuir e muito para os futuros projetos, inclusive dando sugestões ou alternativas que possam mobilizar os monteverdenses para uma parceria em prol do Distrito de Monte Verde.
Creio que nunca na historia de Monte Verde um Prefeito fez um lançamento de tantas obras em um so "pacote", que certamente não ira parar por ai. Nossos planos são maiores, mas alem das criticas precisamos de colaborações.
Cordialmente,

Resposta sobre o dinheiro arrecadado para ajudar a Prefeitura a construir o quartel:
a) Quem teve a iniciativa de motivar os moradores e comerciantes a contribuir na ajuda à Prefeitura na construção (compromisso assumido por Emydio Moreira Filho, que não se reelegeu para poder cumprir sua promessa) foi o ex-presidente da ACMV, Roberto de Lucas.
Só podemos elogiá-lo e agradecer a ele a iniciativa, pois, o desejo de que haja um posto policial junto ao Portal é de todos em Monte Verde há cerca de duas décadas.

Da mesma forma que a PM de Monte Verde lhe é agradecida por haver conseguido arrecadar dinheiro e comprar a viatura que ela utiliza em Monte Verde.

Quanto à prestação de contas, tenho informações de que aqueles que contribuiram têm tido informações detalhadas de Roberto de Lucas e de Leandro Rosa sobre os valores arrecadados e que foram totalmente depositados na conta exclusiva da ACMV, criada para esse fim no Bradesco de Monte Verde. Aqueles que não contribuiram e caluniam entendo que não desejam a construção do quartel.
Parece-me que essa intriga parte do seio dos auxiliares do Prefeito em Monte Verde. Eles cometem crime de injúria contra Roberto de Lucas e Leandro Rosa, que era o tesoureiro dos valores arrecadados, quando se coloca em dúvida a honestidade de ambos. E quem divulga injúria, sabendo que é injuria, também comete o mesmo crime.
Essa acusação contra Roberto de Lucas e Leandro Rosa só pode ter motivação política ou se trata de estratégia utilizada por "aspones" que não querem a construção do quartel e, com isso, enfraquecem a vontade política do Prefeito em executar essa obra. Att. Egydio Coelho da Silva, presidente da ACMV

 

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 03 DE JULHO DE 2.006
De: Geraldo Antônio da Silva
Cidade:  Santos Dumont. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Poluição visual

Email: geraldo4335@yahoo.com.br
Sou o Secretário Municipal de Serviços Públicos da Prefeitura de Santos -MG,e também fico extremamente revoltado quando vejo uma cidade carregada de poluição visual.Aqui o nosso povo também tem a cultura de poluir a cidade com colação de faixas nas ruas,colar cartazes nos postes,etc.Por isso,se vocês tiverem um modelo de lei contra poluição visual,ficaria imensamente agradecido se me enviassem uma cópia.
grato.

Caro Geraldo:

Acho que infelizmente Monte Verde ainda não serve de modelo de cidade sem poluição visual. Há sim um decreto que regulamentou o combate à poluição visual, o qual inclusive atribuía à Associação Comercial - ACMV a obrigação de fiscalizar placas irregulares. Foi alterado tirando essa obrigação, que ela, de qualquer forma, não conseguia cumprir.

Agora, temos Subprefeitura, Secretaria de Turismo, etc, mas parece que piorou muito. Lamento não poder ajudá-lo. Abçs. Egydio Coelho da Silva

 

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 03 DE JULHO DE 2.006
De: Renate Wechsler
Cidade:  Clearwater. Estado: Flórida.  País: Estados Unidos (EUA)
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Nos EUA procura amigo de Monte Verde

Passei minhas ferias de jovem em Monte Verde e adorei encontrar sua historia como D. Emilia e S. Verner. Procuro saber de Hans Braun e de Dr. Paulo Yasbek Jr. amigo de juventude e de sua irma Magnolia e de seu primo Francisco Assad.. Moro na Florida e gostaria de visitar Monte Verde mais uma vez. Meus pais Heinz e Helene Schueler possuim terreno la e meu pai era astista em mosaico conhecido. Como posso escrever para estas pessoas? Pode me ajudar, fico agradecida de antemao, com saudades daquele tempo bom, do tempo da comida de D. Martha. Da amiga, Renate Wechsler.

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 03 DE JULHO DE 2.006
De: Walter C. Monacci
Cidade: Monte Verde. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Estrada, previsão de que não sai

Caro Sr. Egydio,
Há alguns meses eu já previa, e disse aqui, que se a estrada não sair nesta gestão, seria péssimo, politicamente, para o Dr. Celio.
Pelo enredo das discussões e cobranças que eu tenho visto, eu não estava nada equivocado...Quem viver, verá ! Abraços,

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 07 DE JULHO DE 2.006
De: Nico Queiroz
Cidade: Monte Verde. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Estrada: mutirão para resolver o problema

Senhor Prefeito, senhor editor, amigos e companheiros de infortúnio, cujos automóveis não saem da oficina por causa de nossa "estrada", aí vai uma sugestão: ao invés de ficarmos anos e anos esperando e torcendo pelo "misterioso" asfaltamento da estrada Camanducaia/Monte Verde que, por motivos de "forças ocultas", como diria Jânio Quadros, não sai nunca, que tal partirmos para esta solução: quebrar os pedaços de "asfalto" da estrada, com a ajuda daquele trator com rodas dentadas, transformá-los em pedras, passar um rolo compressor em cima deles, misturando-os com a terra e fazer saídas de água para que a mesma não emposse. Teríamos uma estrada muito boa, bonita e natural, sem a necessida de asfaltar. Faríamos uma economia enorme para o Estado e a felicidade reinaria pelo resto de nossas vidas. Esta sugestão é uma pequena colaboração para um problema que vai acabar enlouquecendo toda uma comunidade. Freqüento monte verde há 32 anos, aqui me estabeleci e não agüento mais conviver com o problema da estrada mal conservada! Que mistério terrível envolve estes poucos quilômetros que desafiam administração após administração? Saudações, Nico Queiroz. Pousada Nico on the Hill - Monte Verde.

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 03 DE JULHO DE 2.006
De: Célio de Faria Santos, prefeito municipal
Cidade:  Camanducia. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Reivindicar transparência
Senhor Egydio.
Reivindicar transparência não constitui crime de injuria, pelo menos nos termos do que estatui a nossa legislação penal.
Dizem alguns que a maior arma de defesa de quem se vê sem argumento é atacar. Apenas questionei e não sei a razão de tanta resistência em nos atender publicando a prestação de contas, já que também somos partes interessadas pois nos sobrou a missão de cumprir promessa alheia - construir o quartel.
O Ex-Presidente (advogado) e o Ex-Tesoureiro (hoje nosso parceiro e por quem temos imenso respeito) devem ter prestado contas a atual direção da ACMV, pois sei que são pessoas honestas e cumpridoras de seus deveres. Públicar contas de associações ou sociedades civis é dever da diretoria no exercício do cargo, inclusive o procedimento poder ser cobrado pelo Ministério Público que é o Curador das Entidades deste gênero.
Quanto a poluição visual há legislação específica para policiar e o interessado pode reivindicar junto a Subprefeitura as medidas necessárias. É para isto que se criou um setor no Distrito de Monte Verde.
Esperamos merecer deste Veículo de Comunicação matérias sobre as obras que estão sendo feitas em Monte Verde e que tem sido do agrado da maioria das pessoas.
Cordialmente, Célio de Faria Santos. Prefeito Municipal.
Caro Prefeito,
Talvez minha resposta tenha sido desproporcional ao questionamento sobre o problema gerado por uma escrituração perfeita, que deveria ter sido feita pelo Leandro Rosa, com a supervisão do Roberto de Lucas.
Na realidade, na minha gestão, anterior a do Roberto, eu mantinha três funcionários, que escrituravam vendas de guias, cartão postal, telefonemas interurbanos e pagamento de mensalidade de associados. O dinheiro arrecadado era depositado totalmente na conta bancária e as saídas somente com cheque assinado pelo tesoureiro e presidente. Os balancetes eram elaborados mensalmente, enviados aos associados e disponibilizados na internet.
Quando Roberto Lucas assumiu a presidência, foram demitidos os três funcionários, que tinham prática do serviço. A escrituração, pagamentos e recebimentos ficaram totalmente acumulados no Leandro Rosa.
Ele, como qualquer outro abnegado, que trabalha de graça nas ongs e entidades, não teve condições de escriturar tudo que entrava e saía. Acrescente-se ao volumoso trabalho de controle financeiro já existente na rotina da Acmv a decisão de Roberto de arrecadar dinheiro para suprir omissão da Prefeitura de Camanducaia quanto à fiscalização, varrição de ruas de Monte Verde e segurança, comprando viatura e tentando ajudar a Prefeitura a construir um quartel junto ao Portal de Monte Verde.
Evidentemente que Leandro Rosa não teria condições de fazer balancetes, como eu fazia e que estão disponíveis na internet, com ampla transparência o que deveria ser imitado pelos órgãos públicos, pelos que recebem altos salários e exercem cargos públicos.
Estes sim deveriam disponibilizar na internet o que ganham, inclusive sua variação patrimonial, isto é, qual era seu patrimônio quando iniciaram seus mandatos e qual é o patrimônio agora e qual será quando deixarem o cargo público.
Porém, quando assumi novamente a presidência da Acmv verifiquei os documentos, inclusive os canhotos de cheques, todos corretamente preenchidos pelo Leandro Rosa e especificando a que pagamento eram destinados. Por isso, não tenho a menor dúvida da honestidade de Leandro Rosa e de Roberto Lucas. E o que eles me exibiram, eles, com certeza, exibem a quem colaborou e lhes pede explicações.
Na minha opinião, quem os calunia e divulga calúnia contra eles são movidos por má-fé ou por problemas políticos. Tenho por ambos respeito e admiração pelo trabalho que desenvolveram em prol de Monte Verde e a certeza absoluta da honestidade de ambos.
De qualquer forma, a sua cobrança de transparência em todas as entidades - como se fossem parceiras da Prefeitura e recebessem dinheiro público - é louvável.
Pena que os eleitores e contribuintes não tenham igual disposição em cobrar dos homens públicos a mesma transparência que o prezado Prefeito exige da ACMV. Abs. e grato pela sua participação neste Fórum de moradores. Egydio Coelho da Silva.

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 08 DE JULHO DE 2.006
De: Francisco José Wanderley Osterne
Cidade: Fortaleza. Estado: CE.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Uma frase para se pensar
Gostaria que publicassem a frase abaixo.
Grato Francisco Osterne
"Todo homem luta com mais bravura por seus interesses do que por seus direitos e, quase sempre, esquece dos seus deveres".

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 10 DE JULHO DE 2.006
De: Célio de Faria Santos, prefeito municipal
Cidade:  Camanducia. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Gastos com as obras do portal

Senhor Diretor,
Tem este o objetivo de contestar comentários de que foi a VISA quem fêz as obras do Portal. Divulgar o valor gasto pela Prefeitura tanto nas obras de drenagem como de pavimentação e guias e sargetas é um dever do Gestor Público, embora este trabalho seja feito pela Imprensa Oficial quando da licitação.
Os "opositores de plantão" ja estão nos atacando e dizendo que assim é fácil fazer obras com a VISA pagando tudo.
É importante ficar claro que a VISA ficou responsável pelo paisagismo, conforme lei autorizativa para parceria.
A participação da Prefeitura Municipal que ora prestamos contas, em razão dos impostos pagos pelos cidadãos e em parceria com a Setop ficou assim:
ENTRADA DE MONTE VERDE:
a.- Pavimentação .................................................R$198.850,00;
b.- Drenagem, Guias e Sargetas ............................R$102.901,20;
Total....................................................................R$301.751,20
( trezentos e um mil, setecentos e cinquenta e um reais e vinte centavos). Cordialmente, Célio de Faria Santos, prefeito municipal

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 10 DE JULHO DE 2.006
De: Bianca Kazitoris (Email: bianca.kazitoris@uol.com.br )
Cidade: Campinas. Estado: SP.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Segurança em Monte Verde já preocupa
(Provérbio russo: "Não se economiza em segurança"

Olá. gostaria de colocá-los a par da situaçao preocupante da segurança em monte verde..Eu e os turistas/moradores dessa cidade gostariamos que fosse divulgado. Segue abaixo o comunicado que fiz aos frequentadores da cidade: Ola gente...
vim escrever aqui, pq cmo vcs
eu amo monte verde...mas nao sei
se posso voltar la cmo smp...
eu,minhas primas e meus tios fomos para la nesse domingo e iamos ficar ate sexta..tivemos q voltar hj, pois uma coisa inacreditavel aconteceu..estavamos no chale, uma hr da manha, qnd bateram na porta..achamos estranho e perguntamos quem era, ngm respondeu, perguntamos denovo e a pessoa disse q vendia lenha..meu tio achou estranho e abriu a janela, qnd um homem encapuzado sacou uma arma e atirou duas vezes...nao aconteceu nd com ngm, mas os assaltantes tentaram arrombar a janela p entrar...e o mais incrivel(alem d isso acontecer em MV) eh q a policia nem sequer atendia o telefone..imaginem se algo de grave tivesse acontecido?o chale eh afastado e nao teria ngm p recorrermos.
Entao, escrevo aqui para alerta-los..ficamos nesse msm chale desde q nasci e nada nunca aconteceu..estou decepcionada e triste...espero q divulgando isso, os moradores q participam da comunidade possam fazer alguma coisa em relaçao a falta de atitude da policia e espero q essas coisas nao voltem a acontecer...  obrigada, Bianca Kazitoris
 

VOZ DA TERRA DE MV ON LINE EM 10/JULHO/2006

Circo Zanni espetáculo que faz bem para a alma

 

Suely Silva
Se sua cidade amanhecer diferente, mais colorida e alegre, pode crer, o circo chegou. Você não quer saber de onde veio, pra onde vai, mas é legal ele estar ali. Junto com ele, uma troupe de heróis anônimos da arte. Andando de um lado pro outro do país, levando uma arte antiga e alegre. O Circo Zanni chegou em Monte Verde trazendo alegria e fazendo um espetáculo de lavar a alma e encher nossos olhos. Quem não gosta de sorrir e viajar por um mundo encantado a cada espetáculo. Afinal, “dentro de todos nós adultos há sempre uma criança. É esta criança que se empolga e sorri interiormente quando vê a lona armada de um Circo”.
O Circo Zanni é formado por jovens artistas que buscam resgatar a alegria, a comicidade e através da música ao vivo conduz o público ao universo único que é o Circo. Os artistas se revezam atuando em performances, acrobacias e na música que é uma das atrações que mais nos chamam a atenção, pela qualidade.
Bailarinas, palhaços, acrobacias, comicidade e música de alto nível fazem parte do espetáculo que fica até o dia 30 de julho. Quando nos adentramos na lona do circo tudo muda e fica diferente e mais gostoso, a pipoca mais saborosa, o pirulito mais doce e as pessoas ficam mais alegres e felizes quando saem do espetáculo. Dá um frio na espinha ver as acrobacias e ver que as pessoas que estão dividindo o espaço dentro da lona estão mais felizes e de alma lavada, afinal é sempre bom apreciar uma arte, principalmente quando faz bem a nossa alma.
Espetáculo de quarta a domingo
Preços 10, 15 e 30 reais,

 

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 18 DE JULHO DE 2.006
De: Rosiláine Aparecida Rosa
Cidade:  Brasília de Minas. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Quer notícias de Camanducaia

Gostaria de ter notícias mais recentes sobre Camanducaia, pois nasci em Cambuí e fui criada em Camanducaia, em minha adolescência fui para Pouso Alegre, me casei e vim morar em Brasília de Minas - MG, porém sinto muito falta de Camanducaia, pois foi lá que fiz amigos, estudei e passei parte da minha vida. Por favor aguardo respostas o mais breve possível.
Grata. Rosiláine

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 18 DE JULHO DE 2.006
De: Célio de Faria Santos, prefeito municipal
Cidade:  Camanducia. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Venda de imóvel: valor irá para construção do quartel

Prezados Senhores,
Assinei nesta data o contrato n.109/06, que trata da venda de imovel do Municipio, conforme Lei n.977/2006, cujo valor apurado foi de cem mil reais, o qual sera pago em dez parcelas.
Portanto, o Municipio ja esta fazendo a sua parte na construcao do alojamento dos policiais no portal.
Cordialmente, Celio de Faria Santos. Prefeito Municipal

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 19 DE JULHO DE 2.006
De: Walter Monacci
Cidade: Monte Verde. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Polícia civil em Monte Verde

Texto enviado retransmitindo a opinião da Professora Dra. Angélica Carlini que, entre outras coisas, diz:
"Precisamos ter polícia civil para investigar, com escrivão e investigador morando em MV, conhecendo os hábitos, os costumes, os problemas e se aproximando da populaçào para poder funcionar com informantes e denúncias anônimas. Isso é o que está sendo feito com sucesso em todos os cantos do país". Caro Walter e Dra. Ângela:
Acho que hoje há uma preocupação geral, como em todo Brasil e até no mundo com a segurança. Há a notícia de que agora o Quartel sairá junto ao Portal.
Mas o  mais importante é o trabalho abnegado e consciente dos que participam do Consep - Conselho de Segurança Pública, que é o caminho mais correto de integração entre a população e as autoridades, para enfrentar o problema com inteligência e competência. Nunca é demais citar o provérbio russo: "Não se economiza em segurança" Acho que o sentido é amplo: não economizar dinheiro e serviço.
Abs. e grato pela participação. Egydio Coelho da Silva

 

VOZ DA TERRA DE MV ON LINE EM 21/JULHO/2006

Prefeitura explica taxa

 

Em texto, entregue para divulgação a Prefeitura explica a taxa de conservação de ruas. Eis a explicação na íntegra:

 

"Nota de esclarecimento
Aos munícipes do distrito de monte verde.
A prefeitura municipal de camanducaia vem a público esclarecer que foi criada a taxa de cascalhamento, para melhorar as ruas sem calcamentos ou asfaltos, já que estes foram os pedidos mais freqüentes dos moradores de monte verde no ano passado.
É uma taxa no valor R$1,97 por metro de frente para ruas de terra e de R$2,50 para conservação das ruas calçadas ou asfaltadas.
Este valor é calculado em função do tamanho das frentes de cada imóvel e será revertida integralmente para manutenção das ruas de monte verde.
Este sistema é mais justo porque todos contribuem e quando todos contribuem, se paga menos.
As melhorias das ruas não vinham sendo feitas por falta de recursos, pagando esta taxa você poderá exigi-las.
Na impressão do carnê houve equívoco na identificação da taxa de cascalhamento, sendo impresso como taxa de conservação de calçamento".

 

VOZ DA TERRA DE MV ON LINE EM 24/JULHO/2006

Oposição questiona validade jurídica

 

O advogado Roberto Lucas enviou email à redação de Voz da Terra, dizendo que "não se trata de política de oposição", apenas informa que em "reunião realizada na sub-prefeitura de Monte Verde com o Pastor Marcelo"  preiteou o não pagamento da "Limpeza de rua" e da "Conservação de Calçamento", por ser ilegal, pois, "nunca tivemos ruas e estradas tão precárias". 
Ele entende que taxa é cobrada apenas do cidadão que solicita "o serviço previsto para ela, diferentemente do imposto que não depende de utilização de qualquer tipo de serviço. E se entendêssemos como contribuição de melhoria, mesmo assim seria ilegal uma vez que tal contribuiçao deve cumprir os requisitos previsto no código tributário".
 Diz ainda: "Eles nos cobram prestação de contas do quartel, a qual já foi feita à presidência da ACMV. No entanto eles nunca fizeram uma prestação de contas dos recursos arrecadados em Monte Verde, bem como suas despesas inclusive com folha de pagamento. E, ainda, recentemente, asfaltaram a frente do hotel do vice-prefeito mas não prestaram contas de quanto foram gastos ali , em benefício quase que de um contribuinte".  E finaliza:
"Acredito que está política distorcida é praticada apenas no distrito, pois do que eu conheço o Célio é uma pessoa correta e de bom senso". Solicita ainda que Voz da Terra publique o modelo de requerimento de impugnação, que poderá ser utilizado por qualquer pessoa". E esclarece que "o requerimento deve ser protocolado na Prefeitura até o dia 28/07/2.006, indenpendentemente se o contribuinte já pagou ou não o IPTU".

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 27 DE JULHO DE 2.006
De: Jaqueline Ruza (Pousada Torre Branca)
Cidade: Monte Verde. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Estrada: "falta esforço determinado"

Egydio,
Já estamos entrando na segunda metade da temporada de inverno e eu, assim como provavelmente todos os comerciantes/pousadeiros/hoteleiros, enfim todos nós empreendedores desta região, já perdemos a conta das milhares de vezes em que escutamos os apelos, as explanações, as reclamações, as reinvindicações, as sugestões e todas as outras "ões"; que nossos clientes, os turistas, declinam sobre a malfadada estrada.
Certamente, parte desses turistas nuca mais visitarão Monte Verde pois, além dos gastos que terão, ao retornarem a seus lares, com a forçosa e inevitável revisão de amortecedores e rodas de seus veículos, eles saem daqui com a sensação de que nós, comunidade e investidores, não nos importamos verdadeiramente com essa calamidade.
Penso que dentre tantas promessas (e algumas ações) que as autoridades municipais, estaduais e federais desencadearam neste e em mandatos anteriores, faltou-lhes dedicar-se diariamente ao ir e vir por esses 30 km, para que um esforço determinado, contundente e cabal, fosse verdadeiramente efetuado. Penso eu.
Mas...entre alhos e bugalhos, agora surge em nossas vidas uma nova palavra.... cascalhos...
Que rima com outras palavras, não tão nobres assim, mas que são muito utilizadas pelas pessoas que trafegam por essa estrada. Att.Jaqueline Ruza

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 28 DE JULHO DE 2.006
De: Wagner Augusto Maciel - Vereador(PSDB)
Cidade: Camanducaia. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Saneamento básico e COPASA

Caro Egydio
Primeiramente gostaria de agradecê-lo pela oportunidade de, democraticamente, expor opiniões e debater, mesmo que virtualmente, sobre problemas e soluções para nosso município.
Na questão Saneamento Básico, acho que temos dois caminhos a seguir:
1) Criação de uma autarquia municipal para captação, transporte e tratamento de esgoto. Ou,
2) Assinatura do convênio com a COPASA.
Na primeira alternativa, digo que não se cria uma autarquia dessa natureza da noite para o dia. Esse estudo já deveria estar sendo feito pela prefeitura desde o inicio do mandato da atual gestão.
Visitas técnicas de outras empresas, capacitação profissional, interação, debates que nem foram pensados. Esse tipo de empreendimento geraria empregos, abriria caminho para a municipalização do sistema de abastecimento de água com o término do convênio com a COPASA., criaria uma tecnologia nos sistemas de abastecimento de água, tratamento de esgoto e, ainda abriria os caminhos para nosso próximo problema: lixo. Desde que fosse uma autarquia autônoma, formada por profissionais técnicos capacitados e não virasse uma cabide de emprego existiria toda posibilidade de funcionar.
Existem exemplos em outras cidades do mesmo porte da nossa onde essas empresas são as "meninas dos olhos" da administração.
O problema é que a prefeitura queria entregar para a COPASA o sistema de esgoto já implantado no município.
No inicio falava-se em indenização pelo sistema já implantado, hoje não se fala mais em indenização (não sei como anda isso). Nós temos um sistema de coleta e transporte (em Camanducaia) em funcionamento, bem ou mal, que esta funcionando parcialmente (o esgoto não é tratado e sim despejado "in natura" no Rio Camanducaia).
Esse sistema, hoje, não gera custo aos munícipes, a não ser a taxa de ligação. Porque então que com apenas uma canetada o sistema começaria a ser cobrado dos munícipes sendo que o serviço oferecido seria, literalmente, o mesmo? Se a COPASA fosse implantar um novo sistema de captação e coleta, isso até que seria justo, mas, da forma como foi proposto ela passaria a cobrar a manutenção de um sistema que ela não investiu nada. Esse é o ponto que emperra na assinatura do convênio do jeito que ele foi apresentado. Poderíamos então pensar numa forma de assinar sem passar por cima do sistema já implantado e pensar na seguinte possibilidade:
nas ligações já existente com o sistema municipal e não conectado á estação de tratamento - não cobra
nas ligações do sistema municipal conectadas à estação de tratamento - cobra 45% da conta de agua
nas ligações novas em linhas da COPASA não conectadas ao sistema de tratamento de esgoto - cobra 45% da conta de agua nas ligações novas em linhas da COPASA conectadas à estação de tratamento de esgoto - cobra 90% da conta de agua. ( Conforme consta no último boletim da COPASA que informa sobre reajuste e novas taxas).
Como se lê Sr. Egydio, há sempre a possibilidade de abrirmos novas frentes de diálogo; dessa forma estaríamos formalizando o convênio com a COPASA sem infringir os conceitos solicitados pela Câmara. Acho que dessa forma a Câmara teria mais possibilidade de aprovar o convênio com a COPASA.
Ainda existe a primeira possibilidade, mas duvido que o Poder Executivo esteja disposto a enfrentar essa empreitada.
Espero que isso torne a situação mais clara para o Sr e que sensibilize o poder Executivo.
Atenciosamente:Wagner Augusto Maciel - Vereador(PSDB)
Caro Wagner,
Sempre entendi que a COPASA, por ser uma autarquia estadual, não visa lucro, apenas objetiva ter retorno ao investimento feito, inclusive para continuar a fazer investimento em outros municípios. Portanto, dentro do razoável tudo é questão de diálogo para se chegar a bom termo.
Por isso, embora respeitando seus argumentos, não consigo entender esse impasse entre o Legislativo e o Executivo de Camanducaia como um gesto no desejo de melhor governar o município e encontrar solução para o sério problema de saneamento básico.
A intransigência pode levar o eleitor e o contribuinte entender que existe apenas desejo de ambos os poderes em obter ganhos políticos e eleitorais. Tenho esperança de que na próxima eleição o povo escolha políticos, que tenham projetos de governo e não apenas projetos de poder.
Há quem ache que isso é fruto do estatuto da reeleição, que leva os políticos a se preocuparem com a eleição e não em governar. Talvez seja um problema cultural e  não político. Desculpe-me a sinceridade, mas o problema é muito sério para não ser tratado com sinceridade.
Abraços e grato pela sua participação. Egydio Coelho da Silva

FÓRUM MONTE VERDE / CAMANDUCAIA 28 DE JULHO DE 2.006
De: Wagner Augusto Maciel - Vereador(PSDB)
Cidade: Camanducaia. Estado: MG.  País: Brasil
Para: Fórum de Moradores

Assunto: Alienação de rua em Monte Verde

Projeto em tramitação na Câmara
Dispõe sobre alteração da Lei 977/05 e dá outras providências
A Câmara Municipal de Camanducaia, Estado de Minas Gerais, por seus legítimos representantes APROVOU e eu, Célio de Faria Santos, Prefeito Municipal, SANCIONO e PROMULGO a seguinte lei:
Art. 1.º - O Art. 2º da Lei 0977/05 datada de 21 de dezembro de 2.005 passa a ter a seguinte redação:
“ Art. 2º - A alienação será precedida de licitação, na modalidade concorrência, e o valor total poderá ser parcelado em até 10 (dez) vezes sem juros e correção”.
Art. 2º - Revogadas as disposições em contrário esta lei entrará em vigor na data de sua publicação. Prefeitura Municipal de Camanducaia, em 18 de janeiro de 2006
Célio de Faria Santos. Prefeito Municipal.
Caro Wagner:
Estranho sua informação de que o projeto acima, que você envia para este fórum, esteja ainda em tramitação na Câmara.
Houve manifestação do prefeito Célio Faria de que já havia inclusive assinado a escritura da alienação de via pública para custear a construção do quartel na entrada de Monte Verde. Gostaria que você ou o prefeito Célio esclarecesse esse fato. Grato. Egydio Coelho

Clique aqui e veja as mensagens anteriores deste Fórum

1) Se você se sentir prejudicado com qualquer notícia aqui divulgada ou no jornal impresso VOZ DA TERRA e quiser se utilizar do direito de resposta, favor enviar email para:
vtmv@monteverdemg.com.br,
que a sua opinião será divulgada com o mesmo destaque.
2) O coordenador não repassa textos, que contenham ataques ou críticas pessoais. A discussão é para encontrar solução para os nossos problemas.

 

Primeira página de Voz da Terra - Monte Verde-MG

Participe e/ou fale com o coordenador deste Fórum (por email)

Participe ou fale Conosco de qualquer computador

(Não esquecer de escreve o nome completo e a cidade de onde envia o email)

 

“Se tivesse que decidir se devemos ter governo sem jornais ou jornais sem governo, eu não vacilaria um instante em preferir o último” . Thomas Jefferson, (1743 - 1826), estadista e ex-presidente dos EUA).

Clique aqui para ver mais pensamentos e máximas sobre liberdade de imprensa

 

FÓRUM DE IMPRENSA, mensagens por email

Escolha o assunto: leia e participe enviando sua mensagem. Não importa sua profissão, grau de instrução, nacionalidade, etc.

Coordenador: Egydio Coelho da Silva

(Em elaboração iniciada em 05-01-2001)

Ultima alteração: 22-09-2005

Acesso à informação  - leis, que permitam

Jornalismo regional

Auto-censura  

Jornalismo virtual

Censura da Justiça Eleitoral

Lei de imprensa - projeto em discussão

Censura do jornalista pela empresa

Leis da mordaça

Censura do Judiciário

Censura por ongs moralistas

 Menor criminoso - proibição de publicar nome 

Crime pela intenção de difamar, caluniar

Monopólio da imprensa

Conselhos regionais de jornalismo

Pensamentos e máximas sobre liberdade de imprensa

Denuncismo e instiuições

Político dono de veículo de comunicação

Diploma de jornalista

Processos contra Voz da Terra-Assis-SP

Entidades representativas de jornais e jornalistas

Propaganda subliminal

Falta de ética entre as empresas jornalísticas

Seqüestro e omissão

Fórum de Imprensa, vale a pena?

Sigilo da fonte-direito constitucional

Imagem – danos morais, direito à informação

Tiragem dos  jornais

Imunidade tributária dos jornais

Veja também:

Indenização imoral por dano moral

Fórum dos jornais de bairro de S. Paulo

Jornalismo "chapa branca"

Todas as mensagens do Fórum de imprensa

Documento sem título
LOGIN
Usuário:
Senha:
Documento sem título
TEMPO
Documento sem título
COTAÇÕES

Documento sem título
PARCEIROS
© Copyright 2003 Jornal Voz da Terra Monte Verde-MG ® - Todos os direitos reservados