VOZ DA TERRA - jornal impresso e virtual de Monte Verde

Diretor: Egydio Coelho da Silva

 

Rúbens Mungioli: março de 2001 a julho de 2004

 VOZ DA TERRA – 26 DE MARÇO DE  2.001

Texto do debate, coordenado por Walter Monacci  em Monte Verde

De: Vereador Rubens Mungioli

Reunião Extraordinária em 23/03/01

Entraram dois Projetos de Lei na quarta-feira passada para serem analisados em regime extraordinário e de urgência. Fiz a convocação para a sexta-feira dia 23.

A Reunião realizou-se às 19:30 horas e o recinto estava completamente lotado, como tem acontecido. Isto nos deixa feliz, porque, mostra que hoje, a Câmara é o lugar onde o cidadão pode apresentar livremente sua opinião e fazer a sua reivindicação. Penso estar cumprindo o meu compromisso com os Vereadores Juninho, Celino, Odair, Gentil, Hélio, Carlos, João Costura, Ademir, Dionísio e Reginaldo que é o de mostrar à população o trabalho, (que é muito mal compreendido) que exercemos. Estamos muito no início e nos preparando para a prometida visita a todas as localidades do Município.

* Projeto de Lei 295/01 - "Dispõe sobre o reajuste ao funcionalismo municipal e dá outras providências”

Aprovado por unanimidade.

O Proj. propõe um reajuste de 37,5% a todo o funcionalismo municipal e, apesar de não ser da competência do Executivo, exclui deste aumento os salários do Prefeito (R$ 4.400,00) do Vice-Prefeito (R$ 807,00), dos Secretários Municipais (R$ 1.510,00) e dos Cargos de Confiança (salários variados). O valor destes últimos salários é de iniciativa da Câmara, porém, acho que não faz mal se o Executivo corroborar ou ratificar o que já é o nosso pensamento.

Como os Srs. podem ver, estamos corrigindo todas as injustiças da administração anterior, cujos funcionários ficaram sem reajuste durante quatro anos, em que pese um projeto que autorizava um aumento de 27,5% em abril de 2.000 e que na época foi rejeitado por 8 x 2.

* Projeto de Lei 296/01 - "Dispõe sobre a instituição da função gratificada de que trata os Artigos 62 e 65 da Lei nº 001/73 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município da Camanducaia e dá outras providências”.

Este Projeto regularizou uma situação de fato nos salários das funções gratificadas. Por exemplo: um funcionário tinha um salário base de R$ 500,00 mais gratificação de R$ 600,00 e horas extras (não cumpridas) de R$ 120,00 o que dava R$ 1.220,00. Não havia lei que permitisse esta situação. Apenas regularizamos estes salários, já que os mesmos são irredutíveis por força de lei.

Para os matemáticos estas duas Leis provocarão um aumento de apenas R$ 74.885,11 mensais. Faça a sua análise:

Receita em Janeiro R$ 677.657,19

Receita em Fevereiro R$ 492.700,72

Média Aritmética R$ 585.178,96

Portanto teremos que a folha de pagamentos representará 47% da receita. Considerando-se a entrada prevista de R$ 1.000.000,00 de IPTU, esta porcentagem deverá cair. Lembro que o limite legal com folha é de 60%.

Não posso deixar de lembrar que o mandato anterior estava com uma folha 37,5% mais barata e não fez um poste em 4 anos. Muuuuiiito estranho. Já estão em campanha.

Não pretendia comentar nada, mas, a ponta dos dedos está coçando. Tivemos umas duas ou três pessoas, que nunca foram vistas antes, reclamando de seus baixos salários dos últimos anos e que este aumentinho de 37,5% era muito pouco.

Haja garganta larga para engolir esse tipo de sapo! ! !

VOZ DA TERRA – 26 DE MARÇO DE  2.001

Texto do debate, coordenado por Walter Monacci  em Monte Verde

De: Vereador Rubens Mungioli

Reunião Extraordinária em 23/03/01

Entraram dois Projetos de Lei na quarta-feira passada para serem analisados em regime extraordinário e de urgência. Fiz a convocação para a sexta-feira dia 23.

A Reunião realizou-se às 19:30 horas e o recinto estava completamente lotado, como tem acontecido. Isto nos deixa feliz, porque, mostra que hoje, a Câmara é o lugar onde o cidadão pode apresentar livremente sua opinião e fazer a sua reivindicação. Penso estar cumprindo o meu compromisso com os Vereadores Juninho, Celino, Odair, Gentil, Hélio, Carlos, João Costura, Ademir, Dionísio e Reginaldo que é o de mostrar à população o trabalho, (que é muito mal compreendido) que exercemos. Estamos muito no início e nos preparando para a prometida visita a todas as localidades do Município.

* Projeto de Lei 295/01 - "Dispõe sobre o reajuste ao funcionalismo municipal e dá outras providências”

Aprovado por unanimidade.

O Proj. propõe um reajuste de 37,5% a todo o funcionalismo municipal e, apesar de não ser da competência do Executivo, exclui deste aumento os salários do Prefeito (R$ 4.400,00) do Vice-Prefeito (R$ 807,00), dos Secretários Municipais (R$ 1.510,00) e dos Cargos de Confiança (salários variados). O valor destes últimos salários é de iniciativa da Câmara, porém, acho que não faz mal se o Executivo corroborar ou ratificar o que já é o nosso pensamento.

Como os Srs. podem ver, estamos corrigindo todas as injustiças da administração anterior, cujos funcionários ficaram sem reajuste durante quatro anos, em que pese um projeto que autorizava um aumento de 27,5% em abril de 2.000 e que na época foi rejeitado por 8 x 2.

* Projeto de Lei 296/01 - "Dispõe sobre a instituição da função gratificada de que trata os Artigos 62 e 65 da Lei nº 001/73 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município da Camanducaia e dá outras providências”.

Este Projeto regularizou uma situação de fato nos salários das funções gratificadas. Por exemplo: um funcionário tinha um salário base de R$ 500,00 mais gratificação de R$ 600,00 e horas extras (não cumpridas) de R$ 120,00 o que dava R$ 1.220,00. Não havia lei que permitisse esta situação. Apenas regularizamos estes salários, já que os mesmos são irredutíveis por força de lei.

Para os matemáticos estas duas Leis provocarão um aumento de apenas R$ 74.885,11 mensais. Faça a sua análise:

Receita em Janeiro R$ 677.657,19

Receita em Fevereiro R$ 492.700,72

Média Aritmética R$ 585.178,96

Portanto teremos que a folha de pagamentos representará 47% da receita. Considerando-se a entrada prevista de R$ 1.000.000,00 de IPTU, esta porcentagem deverá cair. Lembro que o limite legal com folha é de 60%.

Não posso deixar de lembrar que o mandato anterior estava com uma folha 37,5% mais barata e não fez um poste em 4 anos. Muuuuiiito estranho. Já estão em campanha.

Não pretendia comentar nada, mas, a ponta dos dedos está coçando. Tivemos umas duas ou três pessoas, que nunca foram vistas antes, reclamando de seus baixos salários dos últimos anos e que este aumentinho de 37,5% era muito pouco.

Haja garganta larga para engolir esse tipo de sapo! ! !

VOZ DA TERRA – 26 DE MARÇO DE  2.001

Texto do debate, coordenado por Walter Monacci  em Monte Verde

De: Vereador Rubens Mungioli

Para: Debate

Data: 24/03/01

A reunião que realizamos na Escola, com o Sub-Tenente da PM Dr. José Hamilton Silveira serviu para darmos um pequeno passo. Pessoalmente não gosto de sair de alguma reunião sem alguma coisa concreta, nem que seja uma migalha.

Foram 2 horas de conversa proveitosa e positiva, chegamos a seguintes conclusões:

* é necessário aumentar o efetivo em pelo menos mais um soldado. - Estarei oficiando via Câmara, ao Comando Geral da PM, solicitando aumento de efetivo e oficiando à Secretaria de Segurança Pública do Estado solicitando um Delegado para Monte Verde.

* é necessário conversar com os donos de bares a respeito da venda de bebidas alcoólicas.- Farei um convite a todos eles para conversar com o Sub-Tenente em uma próxima reunião.

* é necessário que tenhamos um Comissário de Menores. - Depende de algum "cristão" da comunidade que esteja disponível a, junto com o próprio Sub-Tenente fazerem batidas periódicas nos bares. Alguém se habilita?

* é bom termos o Conselho Municipal de Segurança. - O Sub-Tenente vai enviar-me um modelo de Projeto de Lei para apresentarmos à Câmara e depois voltarmos para uma reunião e elegermos este conselho.

* um Juizado de Pequenas Causas pode ajudar muito. - Já ofereci uma ótima sala, na Admin. Distrital, para a instalação do Juizado. Precisamos de mais dois ou três advogados para servirem de mediadores. Alguém se habilita?

* é necessário darmos apoio às crianças e famílias com problemas. - Estaremos evitando problemas futuros, com a formação de um grupo de "benfeitores abnegados e caridosos" somados ao Serviço Social da Prefeitura. Precisa ser estudado com carinho. Estamos aceitando propostas e idéias e principalmente pessoas.

* é necessário que a viatura circule mais. - o Sub-Tenente emitirá a ordem para que a viatura circule mais e pare menos na porta do Bradesco.

Enfim, todos os presentes à reunião, saíram mais informados e conscientes das nossas limitações, mas, uma coisa é certa, estamos fazendo algo.

OUTRO ASSUNTO - ESGOTO NA AVENIDA

Estou recolhendo a Pesquisa/Termo de Adesão da obra de canalização de esgotos na Avenida. Proximamente estarei passando o resultado, mas posso ir adiantando o seguinte:

1 Discorda da Obra.

1 Concorda com ressalva e, se for o caso que seja feita em Agosto.

1 Sem opinião, embora diga que deva ser feita em Out/Nov.

3 Concordam com a Obra, 1 em Abril e 2 em Out/Nov.

NA PARTE DOS COMENTÁRIOS TEMOS:

"...a canalização não resolve o problema..."

"...preocupação com o tempo da obra ..."

"... não adianta canalizar se não tratar..."

"... os cavalos também causam mal-cheiro..."

"... parabéns pela iniciativa..."

" ... (sem comentários, faça logo ) ..."

DEVO ESCLARECER O SEGUINTE:

Vamos focar a questão e não dispersar. Vamos opinar a respeito da proposta. Cavalos, tratamento, etc., são importantes, mas, não agora. A proposta é simples - A INTENÇÃO DA OBRA, NESTE MOMENTO É O DE APENAS TIRAR O MAL-CHEIRO E O ESGOTO DA AVENIDA.

O esgoto canalizado irá para o mesmo lugar para onde está indo hoje - o Ribeirão do Cadete - porém sem fedor na avenida.

Em uma segunda etapa, há a intenção de canalizarmos o efluente.

Em uma terceira etapa, o tratamento com lagoa de decantação.

A COPASA já enviou para MV, 800 metros de manilhas de barro, que estão estocadas, na Administração Distrital. Talvez estejam supondo, que por aqui, as coisas sejam fáceis.

Eu penso que a obra deve gastar uns 30 dias, mas, de posse do projeto (que já solicitei à COPASA) e mais um técnico, poderemos fazer uma avaliação mais precisa. Se fizéssemos um mutirão, este tempo poderia ser menor, com certeza.

Tudo isso, se o pessoal da Avenida concordar com a obra. Parece uma pergunta óbvia, para muitos. Mas não é bem assim que acontece.

De qualquer forma, se chegarmos a conclusão que o mal-cheiro deve permanecer ali. Que seja feita a vontade do povo! ! !  

 

VOZ DA TERRA – 05 DE ABRIL DE  2.001

Texto do debate, coordenado por Walter Monacci  em Monte Verde

 

De: Vereador Rubens Mungioli

Quero informar a todos que, a Presidência da Câmara Municipal de Camanducaia já enviou as cartas solicitadas, pelos presentes nas 2 últimas reuniões em Monte Verde.

1 - Carta à COPASA - solicitando cópias do Projeto Técnico de Saneamento Básico para Monte Verde.

2 - Carta à Secretaria de Segurança Pública do Estado de Minas Gerais - solicitando efetivo da Polícia Civil para Monte Verde ( Delegado, Escrivão e detetives).

3 - Carta ao Comandante do 20º Batalhão de Polícia Militar em Pouso Alegre - solicitando aumento de efetivo da PM para Monte Verde.

Estamos aguardando as respostas.  

VOZ DA TERRA – 09 DE ABRIL DE  2.001

Texto do debate, coordenado por Walter Monacci  em Monte Verde

 

De: Vereador Rubens Mungioli

Projeto de Resolução 027/01 - "Cria Comissão de Petições"

Aprovado por 8 x 2 - votaram contra os Vereadores Hélio e Dionísio

De iniciativa da Mesa Diretora ( Rubens, Juninho e Reginaldo ) esta Resolução cria a Comissão de Petições que terá a tarefa de transformar em lei, a pedido de qualquer cidadão, algum projeto que seja da iniciativa da Câmara, sem necessidade de apresentar a moção com 5% do eleitorado. É um instrumento democrático avançado que está à sua disposição. Penso ser a única Câmara do Brasil que possui este recurso.

Projeto de Lei 293/01 - " Dispõe sobre instituição de comodato sobre imóvel pertencente à Câmara Municipal de Camanducaia e dá outras providências".

As Comissões solicitaram prazo para fazer algumas alterações.

Projeto de lei 294/01 - "Dispõe sobre abertura de créditos suplementares e dá outras providências"

Aprovado por unanimidade.

Trata-se de remanejamento de verbas que retira R$ 125.000,00 de "assess. jurídica", "amortização de dívida", "aquisição de imóveis", etc para "compra de ônibus para a educação" e para "merenda escolar"

CONVOCAÇÃO DO DR. WANDERLEY JOSÉ MOREIRA (assessor do Prefeito ) para explicar divergências na prestação de contas do mandato ( Sr. Emydio ) de 1.996.

Houve uma diferença nas contas do exercício de 96 de R$ 7.548,00 referente ao patrimônio. Esta diferença aconteceu devido a um simples erro de soma, que foi explanado aos Vereadores que compreenderam a ressalva do Tribunal de Contas.

CONVOCAÇÃO ATRAVÉS DE NOTIFICAÇÃO EXTRA-JUDICIAL DO SR. EIRAN CILBERG - proprietário da Núcleo Bordados que está usando há 3 anos um galpão de propriedade da municipalidade com uma autorização "de boca" do ex-prefeito.

Solicitamos a presença do Sr. Eiran para regularizarmos a situação com uma contrapartida compatível com o imóvel.

Ofícios Entrados:

Do delegado, Dr. João solicitando estudo de um Proj. de Lei para a regulamentação do serviço de guinchos no município.

Será encaminhado à Comissão de Petições, recém-criada.

Do Prefeito, Sr. Emydio respondendo a Indicações dos Vereadores.

Indicações:

Entraram indicações de número 044 a 06

 

VOZ DA TERRA – 09 DE ABRIL DE  2.001

Texto do debate, coordenado por Walter Monacci  em Monte Verde

 

Caro Vereador Rubens,

 O Jornal VOZ DA TERRA VIRTUAL do início de janeiro do corrente ano estampou matéria do nosso Prefeito informando que em fevereiro consertaria os buracos da nossa estrada até a Ponte do Guilherme e que até março p.p. terminaria o conserto.

Não estive em Monte Verde neste fim de semana, mas no anterior os trabalhos não ainda não haviam sido iniciados.

Gostaria perguntar-lhe qual a programação atual da recuperação do asfalto da estrada , também considerando que em vossa mensagem de 13/03/01, o senhor nos informou que a licitação já havia sido feita e que o asfalto e o pedrisco já estavam em Camanducaia, na Usina existente ao lado do Poliesportivo.

 Volto a frisar que não estive em M.V. neste fim de semana (08/04). 

De qualquer forma, caso o trabalho já tenha sido iniciado, transmitiremos a boa notícia de imediato a todos.

A propósito, para quem não tem ido a M.V., informo que no fim de semana anterior notei que foi feita uma proteção de madeira nas laterais da Ponte de Madeira do Rio Jaguari, o que, a meu ver, deve evitar novos acidentes como o da Professora Ana Beatriz e daquele outro casal cujo carro, agora em fevereiro ou março, também caiu no rio.

Desde já agradeço, assim, informações sobre o asfalto, lembrando que a alta temporada de Monte Verde se avizinha e o feriado da Semana Santa está aí.

 Abraços,

WALTER

VOZ DA TERRA EM 10 DE JUNHO DE 2.001

Vereadores fazem reuniões com a população para elaborar orçamento

 

Os vereadores, liderados pelo presidente Rúbens Mungioli, estão se encontrando com todos os segmentos sociais e regionais do Município para formar opinião e elaborar o orçamento de 2.002.

Vereadores ouviram sugestões para o orçamento.

Em Monte Verde as reuniões aconteceram no último dia 27 de maio, às 10h com os moradores e às 15h com os empresários.

As principais reclamações dos moradores foram com relação à saúde, educação e segurança.

Os empresários falaram do abandono administrativo da cidade, que resulta em animais soltos nas vias públicas, buracos nas ruas e na estrada, falta de fiscalização da poluição visual e de ambulantes. Reclamaram – e muito – da poluição dos riachos.

Dante Bachi sugeriu que o investimento em turismo implicasse na criação do cargo de secretário de turismo, que, em tempo integral, poderá implantar uma política, que, como em outras cidades, se mostrou eficiente.

Os vereadores começaram a se reunir com a população desde o dia 19 de maio.

A primeira reunião foi em São Mateus. De acordo com Rubens, o diálogo foi bastante positivo. “Para se ter uma idéia, ainda não existia a denominação das ruas no local. E por iniciativa do vereador Reginaldo, agora as ruas de São Mateus já estão denominadas”, exemplifica.  Confira o calendário para junho:

Ponte Nova, sábado, 9 de junho: 14h no prédio da Escola (fechada).

Bom Jardim, sábado, 16 de junho: 14:00 horas na Escola Municipal

Jaguary de Baixo, sábado, 23 de junho: 14:00 horas na Escola (fechada).

Jaguary de Cima, sábado, 30 de junho: 14h na Escola.  

VOZ DA TERRA 26 DE JUNHO DE 2.001

 

A QUESTÃO DOS SETE ASSUNTOS

 

Repórter: Suely Silva  -  Redação final: VOZ DA TERRA

 

As divergências entre a Câmara dos Vereadores e o Prefeito estão atrapalhando bastante a administração municipal.

O Prefeito alega que o presidente da Câmara resolveu dificultar a aprovação de seus projetos em virtude de divergência com a administração em Monte Verde, principalmente relacionada com a atuação do administrador de Monte Verde.

Rúbens Mungioli, presidente da Câmara, recebe muitos pedidos e reclamações dos moradores de Monte Verde e não vê atendida nenhuma delas pelo administrador.

Porém, o Prefeito entende que o administrador é eficiente e não pretende trocá-lo.

Mas os vereadores dizem que o problema é outro e não estão satisfeitos com o

prefeito Emydio Moreira Filho e relacionam sete itens que precisam ser esclarecidos, a fim de que não haja “interpretações adversas e possíveis enganos”.

Na reunião da Câmara dia 7 de junho, os onze vereadores pediram explicações ao prefeito sobre alguns assuntos pendentes.

Eles salientam que, “é preciso nos interar para a votação dos projetos” disseram os vereadores durante a reunião na Câmara.

Através do requerimento nº 013/01, os vereadores pediram as seguintes explicações,veja na integra:

“1-Revisão de 37,5%- apesar de aprovada a lei que concede um reajuste de 37,5%, retroativo a 1º de março do corrente, aos servidores municipais, o Poder Executivo não tem, até a presente data, efetivamente incluído nos salários o benefício concedido.

Por ferir preceito constitucional, tal situação até agora inexplicada está provocando certo constrangimento na Câmara Municipal, que entende que  o reajuste deve ser concedido e que as medidas devem ser postas e prática.O reajuste será concedido ou não? Medidas que serão tomadas e para quando?

2-Com relação aos IPTUs atrasados- está sendo cobrado uma multa de 20%, juros de 1% ao mês e atualização monetária em UFIRs sobre o valor total do carnê, ou seja,incluindo-se as taxas de lixo, iluminação pública, quando incidente, e de expediente. A lei 0348/01 autoriza em seu artigo a cobrança de multa de 20% apenas e tão somente sobre o imposto e não sobre taxas, como está sendo feito.

Os vereadores querem explicações com fundamento legal sobre as multas e juros sobre as taxas.

3-Salários de cargo de chefia e comissionados- Desconhecendo efetivamente em valores e em quantidades, quais foram às alterações salariais, funcionais e numéricas efetuadas pela Lei 0354/01, nos cargos de chefia, comissionados e gratificados , requeremos uma tabela dos mesmos, contendo as seguintes informações: em outubro de 2000: cargo-nome do funcionário-salário-gratificação-comissão.

Em maio de 2001- idem

4-Licitação- Até esta data, foi efetuada alguma modalidade de licitação para transporte de terra, cascalho, pedra ou pedrisco?

5-CiexSul- Qual a posição que o Poder Executivo tomou ou tomará em relação a esse convênio?

6- Convênios- Qual a posição que o Poder Executivo pretende adotar com relação a um possível convênio com as seguintes entidades: Asilo Santa Terezinha, Santa Casa, APAE? Em qual data?

7-Balancetes mensais- Até a presente data não foram protocolados na Secretaria da Câmara os balancetes dos meses de abril e maio de 2001. A falta de prestação de contas está prejudicando a qualidade de análise dos Projetos de Lei de Suplementação recentemente enviados por vossa excelência.

Certo de que estes projetos atendem aos mais altos interesses do Executivo e cientes da responsabilidade desta Câmara de vereadores, solicitamos celeridade ao envio dos balancetes, sem os quais não podemos dar prosseguimento a votação dos mesmos.” 

VOZ DA TERRA – 02 DE JULHO DE  2.001

Texto do debate, coordenado por Walter Monacci  em Monte Verde

De Vereador Rubens Mungioli
Data 29/Junho/01
Olá Walter:
Não tenho enviado mensagens ultimamente devido a uma sobrecarga de trabalho mas, peço que esta seja enviada com urgência.
Foi veiculado pelo VT-7 uma mensagem com a seguinte redação :
"As divergências entre a Câmara dos Vereadores e o Prefeito estão atrapalhando bastante a administração municipal. O Prefeito alega que o Presidente da Câmara resolveu dificultar a aprovação de seus projetos em virtude de divergência com a admnistração em Monte Verde, principalmente relacionada com a atuação do admnistrador de Monte Verde".
Devo esclarecer, a bem da verdade, o seguinte.
A Câmara de Camanducaia, já realizou até esta data:
12 Reuniões Ordinárias ( legalmente 2 por mês )
12 Reuniões de Comissões conjuntas
3 Reuniões Extraordinárias de interesse do Prefeito
3 Reuniões Extraordinárias de Comissões
1 Reunião Extraordinária de interesse da Câmara
1 Reunião Extraordinária de Comissões
7 Audiências públicas nos bairros e distritos do Município
1 Reunião informal para tratar de assuntos relacionados à saúde
Ao todo foram 40 Reuniões, quando poderiamos ter realizado (normalmente) apenas 24.
A Câmara analisou 36 Projetos de Lei 5 Projetos rejeitados sendo,
1 Projeto rejeitado por unanimidade que revogava o aumento do funcionalismo
1 Projeto rejeitado por unanimidade por conter erro do Executivo. A
rápida rejeição atendeu a interesse do Executivo e evitou a natural
demora de tramitação e está sendo reapresentado de foma correta.
3 Projetos rejeitados por maioria.
Ainda, por sugestão do Presidente, em Reunião de Comissões, sugeriu-se a retirada de verbas da Câmara para a área de Saúde ( R$ 80.000,00 )
Temos 6 Projetos em tramitação e mais 4 que entrarão na Reunião do dia 7 de Julho. Muitos destes, a priori, não há objeção das Comissões.
Portanto, foram aprovados 31 dos 36 Projetos de Lei de interesse da comunidade.

ONDE ESTÃO AS DIVERGÊNCIAS DA CÂMARA OU DO PRESIDENTE ?

O Prefeito, a quem tenho apoiado por 2 mandatos, não confirmou a alegação do VT-7 ..." o Presidente da Câmara resolveu dificultar a aprovação de seus Projetos"... .
Pelo exposto anteriormente, pode-se concluir claramente que não há como afirmar que o Presidente dificulta a aprovação dos Projetos do Prefeito, pelo contrário, tanto a Câmara quanto o Presidente tem solicitado rapidez nas soluções dos problemas. Porém, não se entenda que os 11 vereadores, que lá estão, existem para apenas homologar as idéias do Poder Executivo. Mas sim, para compreender, discutir e avaliar a pertinência deste ou daquele Proj. de Lei. Isto não pode ser entendido como dificuldade imposta, mas sim como responsabilidade.
..." divergências com a Admnistração de Monte Verde "... Existem sim, não pela pessoa do Admnistrador, que é amigo meu há 15 anos, mas sim pelo desrespeito a indicação feita pelo PMDB inteiro, com a concordância do próprio Prefeito, para que o Sr. Nassif fosse o Admnistrador. 

Não posso concordar com a desconsideração a um membro do partido e atual Conselheiro Distrital eleito.
Entendo que, o VT-7 deveria ter me procurado antes, para veicular a "notícia".
Como se sabe, um dos princípios básicos do jornalismo sério é:
CONFIRMAR A NOTÍCIA E OUVIR A OUTRA PARTE, ANTES DE DIVULGAR QUALQUER DECLARAÇÃO.
Finalmente, devo também dizer que, a Câmara de Camanducaia tem recebido um público jamais visto. Tem recebido também, elogios insuspeitos de toda a população e das lideranças de todos os partidos.
Reconhecem que estamos trabalhando arduamente para a consecução dos mais altos interesses da comunidade e que em tempo algum viu-se Vereadores tão interessados.
A Câmara entende que o Executivo está imobilizado, por sua assessoria financeira, embora possua R$ 1,5 milhão em caixa ( em 25 de Junho ) e tem exigido medidas urgentes que são :
1 - imediato pagamento do reajuste salarial ao funcionalismo
2 - parcelamento ( já autorizado por lei ) dos IPTUs atrasados
3 - convênios com a Santa Casa, APAE, e Asilo
4 - abertura dos postos de saúde em todo o Município e principalmente em Monte Verde São Matheus com 24 horas de atendimento

Eu pessoalmente, outros Vereadores, e vários membros do partido, entendemos que o Prefeito é refém de sua assessoria financeira.
Já solicitamos, em duas oportunidades, reuniões com esta assessoria que não  compareceu.
A Câmara tem oferecido soluções e apoio total em praticamente todos os Projetos do Prefeito e eu quero crer que a declaração veiculada pelo VT-7 partiu de alguém com terceiras intenções.
Solicito ao VT-7 declinar o nome da pessoa que fez estas declarações pois, retardar injustificadamente a tramitação de algum Projeto de Lei é crime.
O Prefeito nega a declaração, eu nego e provo que não está sendo colocada nenhuma dificuldade mas o VT-7 afirma que sim. Portanto solicito aclaramento da questão.
 

VOZ DA TERRA – 06 DE JULHO DE  2.001

Texto do debate, coordenado por Walter Monacci  em Monte Verde

 

DE: SR. EGYDIO (PRESIDENTE DA ASSOC. COML. DE MONTE VERDE)

De: Egydio Coelho da Silva:

Em resposta ao vereador Rúbens Mungioli, cabe-me informar que as matérias divulgadas em VOZ DA TERRA on line, me são enviadas pela jornalista Suely Silva e eu as reescrevo colocando minha opinião e ouvindo as pessoas que posso e/ou acho importante ouvir.

O próprio texto abaixo explica quem deu a informação e eu, pessoalmente, acho que os poderes devem ser harmônicos entre si, como sugere a Constituição Federal, para o bem da comunidade. Por isso a nossa opinião abaixo.

De qualquer forma, nossa intençao é sempre divulgar fatos, sem tomar partido pessoal de quem quer que seja; provocar o debate para que o assunto seja esclarecido e acho que o objetivo foi conseguido, com as explicações do presidente da Câmara, que confirmam as divergências entre a Câmara e a Prefeitura e do Vereador com o Prefeito.

De qualquer forma me parece salutar a existência de divergência, desde que não vire intransigência de ambas as partes.

"As divergências entre a Câmara dos Vereadores e o Prefeito estão atrapalhando bastante a administração municipal. O Prefeito alega que o Presidente da Câmara resolveu dificultar a aprovação de seus projetos em virtude de divergência com a admnistração em Monte Verde, principalmente relacionada com a atuação do admnistrador de Monte Verde".

 

VOZ DA TERRA EM 19 DE JULHO DE 2.001

Texto do Fórum de debate, coordenado por Walter Monacci (www.monacci.com.br)  em Monte Verde

 

DE: SR. EGYDIO COELHO (PRESIDENTE DA ASSOC. COML. DE M. VERDE)

 Eu sempre tive admiração pela atuação do Rúbens Mungioli porque ele leva jeito para ser oposição; é pessoa competente séria e honesta.

Cheguei a lhe dizer que esperava que ele fosse tão bom vereador da situação como fora da oposição.

Mas o que se percebe é que seu estilo é o de espanhol: "Hay gobierno, soy contra" (não sei se se escreve assim).

Talvez o vereador Rúbens Mungioli se sinta melhor na política psicologicamente sendo prefeito com todos os poderes ou então na oposição.

Mas fazer oposição, sendo base da situação, não é bom para ninguém.

Cabe-me esclarecer que se cometemos algum erro nas notícias que divulgamos pela VT on line e impressa é, com certeza, sem intenção.

Por isso, daremos o direito de resposta a todos que se sintam prejudicado.

Quanto ao fato da ACMV vir a perder o Portal, acho que, na realidade, deixará de ter o custo de manutenção do Portal e não o direito de usá-lo, se ali se continuar a dar informações turísticas.

Com certeza, reduziremos a mensalidade dos associados pela metade e continuaremos a distribuir a relação de hotéis, pousadas e filiados à ACMV no Portal de Entrada da cidade porque isso interessa aos turistas. 

Pois acredito que a Prefeitura - se vier a assumir o Portal - o administrará da mesma forma que nós: dar informação que interessa ao turista e não para beneficiar cabos eleitorais do Prefeito ou de vereadores.

Apenas lamentamos que o custo que os empresários, filiados à ACMV, têm hoje com o Portal será transferido para as classes mais pobres, pois, com certeza, essa verba sairá de algum item do orçamento, que melhor beneficiaria a população carente do município.

VOZ DA TERRA EM 19 DE JULHO DE 2.001

Texto do Fórum de debate, coordenado por Walter Monacci (www.monacci.com.br)  em Monte Verde

 

DE: VEREADOR RUBENS MUNGIOLI, D.D. PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE CAMANDUCAIA

De Vereador Rubens Mungioli
Para Debate

Prezada amiga Angélica

Temos tido contínuas reuniões na Câmara. Graças a Deus, hoje a Câmara Municipal de Camanducaia transformou-se em um fórum de debates, com a participação ativa de todos os Vereadores e onde a público, e as associações, podem manifestar-se livremente. Tenho chegado tarde e cansado. Não tenho saído muito.
Mas quero responder às suas perguntas .

". . . quem indica o administrador é o Prefeito? Por que o prefeito indicou alguém que não é de seu partido, e que não comunga com a sua própria ideologia política?"
Sim. O estilo do Prefeito é centralizador e esses problemas já estavam previstos, mas não havia outra opção.

" . . . cadê o comitê de turismo, ou conselho municipal de turismo ?"
O COMTUR está sendo formado e deverá tomar posse em Agosto. ESPERO !!!

" Quanto a ambulância, assunto antigo em Monte Verde, cumpre destacar que, tão ou mais importante do que ela, é termos MÉDICOS atuando no distrito, 24 horas por dia, "
Penso que um e-mail anterior responda a esta pergunta. Temos que agradecer a todos os Vereadores que atenderam a uma convocação com poucas horas de antecedência para analisar o Proj. de lei 340 que irá resolver a questão.
Os Vereadores são : Reginaldo, Dionísio, Ademir, João Costura, Carlos, Hélio, Gentil, Odair, Celino e Juninho e Rubens. SERÁ QUE A CÂMARA ESTÁ ATRAPALHANDO BASTANTE A ADMINISTRAÇÃO, como noticiou o VT-7 ?

".....de marcar uma reunião com o substituto do Cabo Osmar, . . . . . de um Conselho Comunitário de Segurança,..... "
Não esquecí, mas estou em falta. Aguarde mais um pouco e marcaremos a reunião, talvez junto com COMTUR também.

VOZ DA TERRA EM 19 DE JULHO DE 2.001

Texto do Fórum de debate, coordenado por Walter Monacci (www.monacci.com.br)  em Monte Verde

 

DE: VEREADOR RUBENS MUNGIOLI, D.D. PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE CAMANDUCAIA

De Vereador Rubens Mungioli
Para Debate

Caro amigo Walter.

Perdoe a imprecisão das minhas palavras. Deixe-me comentar algumas das suas posições, para que fique clara a minha.
"O curioso, quanto à intenção da gestão municipal anterior, é que se a Prefeitura não tem atribuições (nem competência legal) policial, fiscaliza apenas o pagamento de ISS, IPTU e Licenças de Funcionamento, o que será que pretendia a gestão municipal anterior fiscalizar com o Portal ou no Portal ?"
1 - O Município tem poder de polícia sim.
Veja, dentre outros, o art. 10º da Lei Orgânica incisos VIII, XXII, XXIV, XXX, XXXII, XXXIV. Alguns exemplos :
XX - regulamentar, licenciar, permitir, autorizar, etc., etc., etc., ..... nos locais sujeitos ao poder de polícia municipal.
XXII - organizar e manter os serviços de fiscalização necessários ao exercício do seu poder de polícia admnistrativa.
2 - Objetivamente, a fiscalização que se pretendia fazer era a de ISS ( leia-se hotéis, pousadas e chalés com o elevadíssimo imposto de 5% ). Era a "única" forma que o governo anterior havia encontrado para aumentar a receita.
Seria feita uma triagem de cada veículo, para localizar o destino de cada turista, principalmente das centenas de chalés.
Há outras possibilidades. Fiscalizar tonelagem de cargas, e indiretamente o ICMS, que apesar de não ser da competência do Município dá para fazer uma pressãozinha. ISS de táxis e finalmente O PEDÁGIO.
Tudo certo se tudo isso valesse para todo o Município e não só para MV.
Creio ter respondido " o que será que pretendia a gestão municipal anterior fiscalizar com o Portal ou no Portal ?"
x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x

"Apenas uma observação. Creio que o Vereador tenha cometído um equívoco ao afirmar que a ação judicial em andamento é para discutir a propriedade do Portal."
Foi uma imprecisão técnico-jurídica-semantica da minha parte. Sabe como é, posse ou propriedade, para um leigo acaba sendo a mesma coisa.

x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x

"De qualquer forma, continuo achando que não será nada conveniente, nem política e nem administrativamente que a Prefeitura gaste dinheiro público com a EVENTUAL administração do Portal. O melhor seria dispor deste mesmo dinheiro com outras prioridades de Monte Verde."
A Prefeitura poderia ter a posse do Portal e conveniar-se, ceder, conceder ou permitir o uso de qualquer entidade.
Sinceramente, acho até meio perigoso que a Prefeitura tenha a posse do Portal. Nunca se sabe o tipo de Prefeito que está por vir. Se fosse o anterior eu sei o que aconteceria. Mas, não tenho conhecimento de que o atual, tenha a intenção de gastar dinheiro público com o Portal. Porém, se alguém quiser ficar usando essa ladainha sem fundamento, nada posso fazer, senão desmentir.
Devo deixar claro também que este é o meu particular pensamento e não um compromisso. Se fosse Prefeito deixaria tudo como está. Trataria apenas de legalizar tudo.

VOZ DA TERRA EM 19 DE JULHO DE 2.001

Texto do Fórum de debate, coordenado por Walter Monacci (www.monacci.com.br)  em Monte Verde

De Vereador Rubens Mungioli
Dr. Walter

A conclusão de que a Prefeitura pretende administrar o Portal foi sua. O processo que corre na justiça é uma formalidade, pois foi aberto pelo Prefeito anterior que queria fazer um Posto de Fiscalização.
Não tenho conhecimento de que o atual Prefeito se interesse em administrar o Portal, ou lá, colocar algum funcionário.

Pessoalmente entendo que :
1 - o Portal pertence ao povo de Monte Verde e não a Assoc. Comercial. É patrimonio público.
2 - a municipalização do Portal irá desfazer alguns privilégios e talvez esteja deixando alguns poucos nervosos.
3 - o Portal poderia continuar sendo administrado pela Assoc Comercial mas, prefiro que seja administrado pelo Cons. Mun. de Turismo, já que tenho recebido várias reclamações de hoteleiros com relação ao uso.
4 - tudo isso, não quer dizer que a Assoc. Comercial necessariamente precise sair de lá.
5 - o que está sendo discutido na justiça é a propriedade e não a administração. Se ficar decidido que a propriedade é do Município ( e eu entendo que seja ) o Portal poderá continuar com a Assoc. ou não.
6 - sem nenhuma sombra de dúvida a Assoc. Comercial investiu dinheiro dos sócios desde a sua inauguração. Eu mesmo já fui presidente da Assoc durante 2 anos.
7 - entendo também que se a Assoc. tivesse uma gestão mais democrática, as reclamações seriam muito menores.

Finalmente, que ninguém venha me dizer que : "eu convoquei os sócios, mas ninguém apareceu, então eu fiz a ata e me autoreelegi" .

Para qualquer dúvida, basta fazer uma pesquisa entre os hoteleiros que são os maiores interessados.

Obs. endosso as palavras da Dra. Angélica. Há sim, descontentamento de todo o partido com o Prefeito e com a Adminstração Distrital de MV e, nós do PMDB, sabemos porque pois - "fazer só política sem admininstrar é politicagem. Administrar sem fazer política é o mesmo que entregar o ouro aos políticos que só sabem fazer politicagem ".

VOZ DA TERRA EM 19 DE JULHO DE 2.001

Texto do Fórum de debate, coordenado por Walter Monacci (www.monacci.com.br)  em Monte Verde

 Acho que devo esclarecer as dúvidas levantadas pelo vereador Rubens Mungioli com relação à ACMV e o Portal.

Ele diz em seu último email para o Debate:

“Rúbens: 1 - Pessoalmente entendo que :

 o Portal pertence ao povo de Monte Verde e não a Assoc. Comercial. É patrimonio público.”

 

ECS: Essa consciência sempre tive com relação ao Portal, porque não só a ACMV e SAMV tiveram gestão intensa no trabalho de conseguir a verba junto à Turminas, como também na sua construção, na sua implantação, na compra dos móveis e das instalações.

Quem não teve participação nenhuma foi a própria Prefeitura, que, conforme a última decisão judicial, é a proprietária do imóvel.

Por ter consciência de que o imóvel e o trabalho ali desenvolvido são de interesse da comunidade, como um todo, é que sempre que sou cobrado por algum hoteleiro ou comerciante para que seu estabelecimento seja indicado pelos recepcionistas do Portal, digo, pessoalmente e em público nas reuniões, que a finalidade do serviço, prestado no Portal, é o de atender ao que melhor interessa ao turista, pois o turista contente e bem informado retorna mais vezes a Monte Verde e isso que interessa aos hoteleiros e comerciantes. POR ESSA RAZÃO, DAMOS TODAS AS INFORMAÇÕES DE QUE DISPOMOS PARA QUE O TURISTA ESCOLHA O QUE MELHOR LHE CONVÉM E NUNCA FAZEMOS INDICAÇÃO QUE INTERESSE IMEDIATAMENTE, INDIVIDUAL E ECONOMICAMENTE A ESTE OU ÀQUELE FILIADO À ACMV.

Rúbens:  2 - a municipalização do Portal irá desfazer alguns privilégios e talvez esteja deixando alguns poucos nervosos.”

ECS - Não tenho a menor dúvida em afirmar que esta insinuação é no mínimo a reação emotiva e intolerante de um político descontente com a minha atuação de jornalista, que não abre mão de seu direito de escrever o que lhe parece certo e dar espaço a todos inclusive aos adversários políticos do vereador e até aos sem teto, que estão decepcionados com o “Prefeito e vereador que elegeram” e ao ex-vereador Tato, que criticou a coleta de lixo em Monte Verde. 

Dei espaço inclusive ao próprio Prefeito que se queixou do partidarismo xiita do Presidente da Câmara. Aliás, foi pelo mesmo motivo – numa tentativa de me limitar a liberdade – que o ex-prefeito, Dr. Mazinho, requereu na Justiça a posse do Portal, exatamente porque dei total espaço ao vereador Rúbens Mungioli nas suas críticas ao ex-prefeito.  

Acho que agi corretamente em favor de Monte Verde, dando espaço ao vereador e me sinto orgulhoso em ter agido assim e não me arrependerei jamais, porque tenho minhas dúvidas de que o vereador Rúbens Mungioli, ao longo de sua carreira, volte a ter atuação política mais louvável do que a que teve, quando denunciava e fazia oposição ao “pior prefeito de todos os tempos de Camanducaia”, como afirmou um articulista em nosso jornal VOZ DA TERRA impresso.

Vê-se, portanto, que os políticos, quando no Poder são muito semelhantes.

Quanto a privilégios, só posso aceitar como verdadeira sua afirmação se ele julga que é privilégio dedicar tempo, dinheiro, desgaste pessoal, a melhor parte de si, sem interesse político e econômico, apenas com a finalidade de cumprir uma obrigação que ninguém aceita, mas que é imprescindível em Monte Verde.

Acho que ninguém pode ficar nervoso com desfecho judicial, que venha diminuir as despesas da entidade, que preside e irá, diminuir em muito o serviço, que as diretorias da ACMV e do Portal têm em administrá-lo.

Só que não se pode deixar de cumprir uma obrigação e abandonar uma batalha por pressão de quem quer que seja, mesmo que seja do chefe do Poder Legislativo e do chefe do Poder Executivo, que agem sem transparência e com finalidade, que se recusam a explicar qual é.

E, se sou o presidente de uma entidade, tenho obrigação de defender o interesse dos associados, pois, não há nenhuma segurança de que a Prefeitura venha a administrar melhor o Portal do que a ACMV, com todas as nossas falhas e limitações.

Rúbens: 3 - o Portal poderia continuar sendo administrado pela Assoc Comercial mas, prefiro que seja administrado pelo Cons. Mun. de Turismo, já que tenho recebido várias reclamações de hoteleiros com relação ao uso.

ECS: Sabe-se que Conselho planeja, mas não executa. Quem poderia administrar o portal oficialmente seria um Secretário de Turismo, que é executivo, como vem sugerindo o Dante Bachi, seguindo o planejamento feito pelo Conselho de Turismo.

Quanto às reclamações de hoteleiros, evidentemente existem, mesmo porque “toda unanimidade é burra”. Mas elas partem na maioria de não associados, que exigem privilégios que não dou a ninguém.

Rúbens: 4 - tudo isso, não quer dizer que a Assoc. Comercial necessariamente precise sair de lá.

ECS - A Acmv adoraria sair do Portal se o Poder Público ou outra entidade fizer serviço igual, ou melhor, do que ela está fazendo, pois esta não é a finalidade estatutária da Associação Comercial de Monte Verde.

Rúbens: 6 - sem nenhuma sombra de dúvida a Assoc. Comercial investiu dinheiro dos sócios desde a sua inauguração. Eu mesmo já fui presidente da Assoc durante 2 anos.

ECS: É reconhecimento unânime que foi dito por todas as testemunhas no processo que corre na Justiça.

Rúbens: 7 - entendo também que se a Assoc. tivesse uma gestão mais democrática, as reclamações seriam muito menores.

ECS: Acho que o vereador está supervalorizando as reclamações. A minha gestão se baseia exatamente no espírito democrático.

Nunca deixei de atender sugestão ou pedido de quem quer que seja para promover reunião, convocar assembléia geral e discutir qualquer assunto, desde que seja feito por associado.

Os valores arrecadados são totalmente depositados no Bradesco de Monte Verde e os pagamentos se fazem somente com cheque. As entradas são lançadas diariamente no livro caixa (melhor, conta corrente, porque é cópia da conta corrente no bando) e os cheques emitidos lançados no mesmo livro em ordem numérica. Os canhotos dos cheques, os extratos bancários e os documentos se encontram à disposição dos associados no portal e qualquer associado, sem necessitar autorização, poderá examiná-los na presença de nossa funcionária Tati, encarregada da escrituração.

Na verdade, todo mundo sabe que em cidade pequena a técnica do mexerico difamatório é elevado e o acusado nunca tem como se defender.

Estou contente, de certa forma, com o vereador que – apesar de ter os defeitos comuns de todos os políticos – tem pelo menos a virtude de dizer o que pensa e isto me propicia a oportunidade de explicar e me defender. Mas a difamação e calúnia amplamente praticadas nas esquinas sem direito de defesa do acusado – principalmente pelos políticos contra seus adversários – só serão combatidas quando meios de comunicação como este Debate chegar a toda a população.

O bom seria que o vereador tivesse um pouco mais de sinceridade e dissesse quais são as reclamações para que eu possa me defender ou corrigir os nossos defeitos.

Rúbens: 8  Finalmente, que ninguém venha me dizer que : " eu convoquei os sócios, mas ninguém apareceu, então eu fiz a ata e me autoreelegi".

  ECS: Isso não entendi, salvo se o vereador se refere ao tempo em que foi presidente da Associação Comercial, antes de ser destituído da presidência quando estava em campanha eleitoral para Prefeito de Camanducaia. 

Rúbens: Para qualquer dúvida, basta fazer uma pesquisa entre os hoteleiros que são os maiores interessados.

ECS: É necessário esclarecer que não sou presidente dos hoteleiros, mas apenas presidente da Associação Comercial de Monte Verde, cujos associados não são somente hoteleiros. Os hoteleiros, que me criticam pelas costas e nas esquinas, na maioria não são filiados à ACMV.

Um dos motivos de alguns não se filiarem é porque desejariam ter o serviço no Portal gratuito pago pela Prefeitura ou então porque, se filiados, seriam obrigados a se sujeitar ao nosso Código de Ética, que não cumprem, seja por propaganda enganosa publicada nos suplementos de turismo ou por placas colocadas ao longo da estrada e por outros motivos mais sérios.

Tenho absoluta certeza de que tenho o apoio de cerca de 80% a 90% dos associados. Se assim não fosse, eu já teria sido destituído do cargo como aconteceu com o vereador Rúbens Mungioli, quando era presidente da ACMV. Um grupo de associados se reuniu e o destituiu da presidência da ACMV.

O mesmo aconteceu com o presidente que o sucedeu, quando os associados se reuniram e exigiram a sua renúncia.

Até o Dalton Osterne, que é pessoa séria e competente, teve problema com os associados e, em face de oposição radical e injusta de um associado, resolveu deixar a presidência da ACMV.

Porém, se alguém está interessado em destituir a atual diretoria da ACMV, poderá fazê-lo de forma simples.

Pelos Estatutos, cujo texto está disponível no site www.monteverdemg.com.br , basta angariar 50% das assinaturas dos associados, que são mais ou menos 50, portanto, 25 assinaturas e convocar Assembléia Geral específica para isso, para ter validade jurídica. E os associados todos sabem quem são, porque constam na internet e no jornal distribuído na cidade e no portal.

Porém, se algum associado não quiser ter esse trabalho, eu sugiro que colha apenas cinco assinaturas de associados e poderá enviar por email ou por carta ou entregar no Portal de Entrada da Cidade, que eu providenciarei a convocação imediata de Assembléia Geral Extraordinária para eleição de nova diretoria.  

 

VOZ DA TERRA EM 18 DE JULHO DE 2.001

Texto do Fórum de debate, coordenado por Walter Monacci (w

ww.monacci.com.br)  em Monte Verde

DE: WALTER CUNHA MONACCI

 

Caro Vereador Rubens e demais amigos de Monte Verde,

Realmente é minha a conclusão de que a Prefeitura pretende administrar o P

ortal.

Esta conclusão, aliás, esclareço, decorre da última notícia que eu tinha sobre a intenção da Prefeitura, a mesma que o próprio Vereador aponta em sua mensagem supra, (o processo de retomada do Portal) "foi aberto pelo Prefeito anterior que queria fazer um Posto de Fiscalização" (sic).

O curioso, quanto à intenção da gestão municipal anterior, é que se a Prefeitura não tem atribuições (nem competência legal) policial, fiscaliza apenas o pagamento de ISS, IPTU e Licenças de Funcionamento, o que será que pretendia a gestão municipal anterior fiscalizar com o Portal ou no Portal ?

Fiscalizações de rua, que eu saiba, ou são da polícia ou são do ICM-S !

O que se sabe, caro Vereador Rubens, isto sim "corria" bastante em Monte Verde, é que realmente haviam "forças" interessadas em utilizar o Portal (ou simplesmente tirá-lo da Associação Comercial), certamente para exercerem no Portal as suas atividades.

Apenas uma observação. Creio que o Vereador tenha cometído um equívoco ao afirmar que a ação judicial em andamento é para discutir a propriedade do Portal.

Pelo que eu saiba (cheguei a ler a petição inicial da ação ajuizada pela Prefeitura) trata-se de uma ação POSSESSÓRIA, que não discute a propriedade mas sim a posse (ou o direito à posse). Isto, porém, no que estamos discutindo é um mero detalhe.

De qualquer forma, continuo achando que não será nada conveniente, nem política e nem administrativamente que a Prefeitura gaste dinheiro público com a EVENTUAL administração do Portal. O melhor seria dispor deste mesmo dinheiro com outras prioridades de Monte Verde.

Abraços a todfos,

WALTER

 

VOZ DA TERRA EM 19 DE JULHO DE 2.001

Texto do Fórum de debate, coordenado por Walter Monacci (www.monacci.com.br)  em Monte Verde

 

De Vereador Rubens Mungioli
Quero informar que, a Câmara Municipal reuniu-se extraordinariamente ontem, terça-feira, para aprovar por unanimidade o Proj de Lei 340/01 que :

" Institui o serviço de plantão médico, cria cargos, amplia jornada de trabalho de enfermeiro I e auxiliar de enfermagem I, adequa vencimentos destes cargos, altera redação de artigo da Lei nº 0350/01, revoga artigos da Lei nº 270/99 e dá outras providências"

Resumindo - significa que após desgastantes cobranças, propostas e pressões, chegou-se finalmente
( espero ) a uma solução para a área de saúde no Município.

Após longa reunião com o Secret. de Saúde, Dr. Wladimir e a Sra. Inêz ficou decidido que:
1 - teremos médico 24 horas no Posto de Saúde de Monte Verde, já para os próximos dias;
2 - uma ambulância 0 Km. para Monte Verde;
3 - abertura do Posto de Saúde de São Matheus;
4 - assistência médica através de uma unidade móvel, nos bairros do Município.

 

VOZ DA TERRA EM 26 DE JULHO DE 2.001

Texto do Fórum de debate, coordenado por Walter Monacci (www.monacci.com.br)  em Monte Verde

 

De Vereador Rubens Mungioli
Eu disse, em mail anterior, que haveria um recrudescimento da ACMV. E não menti quando disse que alguns poucos iriam perder privilégios.

Disse també

m que o objetivo era o de buscar audiência, portanto, não deixem de visitar o site da ACMV e aproveitar e ver a propaganda do Hotel do Presidente da ACMV.

Continuo dizendo que este jornal VT-online e o VT escrito também é muito desinformado.

Não vou deixar os senhores mal-informados mas, como o atual Presidente da ACMV tem dado algumas "informações" devo dizer, a bem da verdade:

1 - fui Presidente da então ASCIM (atual ACMV) regularmente eleito para o biênio 89/90.

2 - cumpri meu mandato normalmente, por 2 anos e, herdei do Sr. Egydio ( que havia sido o Presidente anterior ) um Portal cheio de vícios, os mesmos de hoje.
3 - herdei também uma reclamação trabalhista (Dr. Celso Petroni deve lembrar) pois, o Sr. Egydio não registrava os funcionários da Associação. Aliás, não registra. Isto não é muito ético nem muito legal mas, é assim, deve haver uma boa desculpa no próximo e-mail.
O próximo Presidente que se vire para pagar. Ou será que ele pretende deixar para a Prefeitura pagar, quer dizer o povo.
4 - assumi a ASCIM com 15 sócios ( foi o que recebi do Sr. Egydio em 89 ) e deixei-a com 72, há 12 anos atrás quando não havia nem 10% do comércio e hotéis que existem hoje. Reparem que, 72 associados em 1.990 representava quase a totalidade.
5 - na minha gestão, forneci 4 cursos pelo SENAC ( garçon, gerência, marketing e admnistração ) inclusive com o apoio de Dna. Nair.
6 - fizemos pesquisas com os turistas; fizemos o primeiro guia turístico de MV, chamado "Guia de Bolso" que existe até hoje com outro nome.
7 - retiramos as placas de propaganda que poluíam toda a cidade substituindo-as pelos ainda existentes quiosques nas esquinas. O Guido terminou o penoso serviço.
8 - iluminamos e ajardinamos o Portal.
9 - tínhamos a PM durante toda a noite no Portal, em troca de um simples jantar para o Sargento que lá ficava.
10 - inauguramos o serviço de informações até a meia-noite nos feriados. E mais um monte de coisas, inclusive a moralização dos serviços.
11 - os funcionários eram registrados e ganhavam em ORTN.
12 - e nunca ninguém ouviu falar que o Presidente Rubens Mungioli foi destituído pelos sócios ! ! !. A este respeito posso lembrar de memória, de alguns Presidentes.

86/87 - * Egydio
87/88 - * Egydio
89/90 - * Presidente Rubens, mandato completo, e os seguintes:
* Guido Seelig ( eleito após a minha gestão ) renunciou, assumiu o vice
* Dante Bacchi depois,
* Silvio Pucci ( licenciou-se para candidatar-se a Vice-Prefeito pelo PSC junto comigo ) assumiu
* Dna. Sonia ( esposa do pai do Bernt ) que foi "destituida" pelo
* Sr. Vicente Forlenza ( retirei-me da ASCIM ) que deixou uma "pequena dívida" de cheques a descoberto para os sócios e após o
* Dalton Osterne que pagou a "pequena dívida" e renunciou
* neste ponto não tenho muita certeza quem assumiu, mas logo após, foi novamente o Sr. Egydio que está na Presidência desde então. E vai deixar outra reclamação trabalhista de 4 funcionários que ganham R$ 250,00/mês ( com mais menos 5 anos de casa )
13 - a minha gestão foi muito boa. Foi o que me projetou politicamente. E volto a lembrar, assumi com 15 sócios e a deixei com 72 sócios que pagavam religiosamente as mensalidades em 1.990. Hoje a ACMV tem 50 sócios inscritos, não sei quantos pagam mesmo.
14 - o Sr. Egydio nunca me cedeu nenhum espaço no seu jornal porque eu nunca pedi.
15 - quem afirma que a Prefeitura quer o Portal é o próprio. Eu reafirmo que deixaria como está, para os sócios decidirem ou, deixaria para o COMTUR. Se precisar do meu depoimento é só pedir.
16 - em tempo. Não deixem de visitar o site da ACMV e de ler o VT-online, está repleto de maledicências a respeito de MV, e de desinformação. É um verdadeiro "desserviço" mas o Sr. Egydio está precisando de audiência. Vamos todos dar uma ajudazinha.
17 - mas, se quiserem ver e prestigiar um bom site que não fala mal de MV, visitem

www.monteverde.web.com

cujo dono não é filiado a nenhum partido, como o Sr. Egydio que é filiado ao PSDB, partido do ex-vice prefeito.
18 - e tem mais, aliás tem muito mais. Mas não entendo porque um hoteleiro que paga 5% de ISS ( lembro que a ACMV não se manifestou contra ), paga IPTU e ICMS, sem contar o IR e o IPVA ainda tem que pagar 10% de "comissão" para o Sr. Egydio, sem esquecer que o Portal foi construído com o dinheiro do povo. Como será que os hoteleiros contabilizam esses 10% ?
Tenho amigos que não são sócios, não pagam os 10% e o Sr. Egydio manda dizer que eles não existem. A seguir envio cópia de um dos vários e-mails que recebi. Omito o nome porque não quero envolvê-los pessoalmente. As letras em maísculo são minhas omissões

Rubens: gostaria de dar um depoimento sobre as "informações em geral, para todos" que o Portal diz que oferece, colocando-se como se fosse de utilidade pública: certa vez, a editora da Revista VEJA ligou para o Portal, pedindo nosso telefone para fazer uma matéria, e o Portal "informou" que não conhecia a Pousada XXXXXXXXXX. Não somos e nunca seremos associados da ACMV, enquanto ela for o que está aí, e lamento a entrada da cidade ser dominada por um grupo restrito de empresários. Achamos que a ACMV pode seguir a linha que quiser e informar do jeito que quiser, mas NÃO na entrada da cidade, onde deveria estar a Prefeitura de Camanducaia informando sobre tudo e todos, democraticamente. Gostaria de acrescentar que, ETC ETC ETC . . . desde que fosse um projeto e serviço coletivo, para todos. Grande abraço, FULANO DE TAL.

VOZ DA TERRA EM 27 DE JULHO DE 2.001

Texto do Fórum de debate, coordenado por Walter Monacci (www.monacci.com.br)  em Monte Verde

 

De: Egydio Coelho da Silva

Acho que a polêmica com o vereador Rúbens Mungioli não interessa a ninguém, aliás só interessa a ele que assim, enquanto eu me defendo das acusações levianas,

1- ele não precisa explicar porque era contra o aumento do ISS e agora, como presidente da Câmara e da situação nada faz para reduzir esse imposto;

2- Não precisa explicar o que está fazendo para impedir o crescimento de favelas em Monte Verde.

3 - Não precisa dar explicações sobre o pronunciamento do presidente do PT de Camanducaia sobre o abandono do serviço de saúde no município e citou muitas vezes seu nome com as respectivas promessas não cumpridas;

4- Não precisa explicar porque os animais continuam soltos nas ruas e não há nenhuma política administrativa para enfrentar o problema;

5- Não precisa explicar os buracos na estrada e nas ruas de Monte Verde;

6- Não precisa explicar seu partidarismo xiita que se preocupa somente com sua candidatura a prefeito daqui a 4 anos e procura defeito o tempo todo no administrador de Monte Verde, nos secretários municipais e no Prefeito, que se recusam a ser seu cabo eleitoral, como eu também me recuso a colocar meu jornal impresso e on line a serviço de sua candidatura; não que seja contra, mas está muito longe e temos coisas mais urgente a resolver;

7- Não precisa explicar porque, como legislador, não faz voltar a Lei, criada pelo ex-prefeito Odair Paiva Sá que permitia que a ACMV fiscalizasse a poluição visual e que o ex-prefeito, Dr. Mazinho revogou;

8- Não precisa explicar também porque quer que a ACMV se proponha a fiscalizar poluição visual nas ruas e na estrada de Monte Verde, enquanto ele, chefe do Poder Legislativo e situacionista, nada faz para colocar ordem nas coisas;

9- Não precisa explicar porque não elabora nova lei de uso do solo e coloca paradeiro no crescimento ilegal e desordenado de Monte Verde.

10- Não precisa explicar porque quer ser vereador só do PMDB e não de toda a população do município, especialmente de Monte Verde;

11- Não precisa explicar porque a poluição avança assustadoramente em Monte Verde e nada se faz para equacionar o problema, a não ser como sempre colocar a culpa na administração anterior e no Governo do Estado;

12- Acho que apenas ele precisa explicar porque não está sendo tão competente presidente da Câmara como foi da ACMV, pois seu relatório de presidente da ACMV mostra uma competência de super herói.

Eu, porém, que não sou super-herói, não tenho nada que explicar sobre a ACMV a não ser para seus sócios devidamente filiados, e reitero que se eu receber pedido de 05 (cinco) associados, convocarei imediatamente uma Assembléia Geral Extraordinária para a eleição de uma nova diretoria.

Algumas acusações, porém, preciso explicar:

1- A propaganda de hotéis, como Green Village, Green Mountains, Áustria, Varanda Por do Sol, Portal das Videiras, etc., Camping BAMBU, Centro de Informática Avançada, Unger"s Pottery House, etc. não estão no website da ACMV, mas sim de no website da VOZ DA TERRA. (Eu tenho o domínio de VOZ DA TERRA devidamente registrado). O que existe é um link no website da ACMV para o jornal e vise versa.

2- Não deixei nenhuma pendência trabalhista, quando não quis continuar presidente da ACMV e indiquei seu nome para presidente. A pendência trabalhista foi o vereador quem criou porque demitiu injustamente as duas funcionárias da ACMV e uma delas foi a Justiça do Trabalho.

3- Os direitos trabalhistas de todos os funcionários da ACMV são e estão todos pagos e o ambiente de trabalho é o de amizade entre todos. Por isso, que estão há tanto tempo lá e nunca tive uma reclamação trabalhista. Hoje, o contador está consultando o INSS para ver se enquadra a ACMV no mesmo esquema de micro-empresa para não aumentar o custo da ACMV.

4- A idéia de que divulgo informações negativas sobre Monte Verde não procede. Só posso dizer que a verdade não é negativa, nem positiva, é verdade.

5- E a verdade, que tem sido divulgada em VOZ DA TERRA e no Debate, é que Monte Verde, um dos lugares mais lindos do mundo, e se encontra abandonado pelo poder público e, se não houver denúncia, ficará mais abandonado ainda.

6- Finalmente, devo dizer que jamais levarei o debate para questões pessoais, porque entendo que a discussão se deve dar no campo das idéias e não no campo pessoal, sem difamação ou calúnia. Só assim o debate é útil, porque esclarece e forma opinião.

VOZ DA TERRA EM 17 DE DEZEMBRO DE 2.001

Texto do Fórum de debate, coordenado por Walter Monacci (wmonacci@uol.com.br)  em Monte Verde

 

DE: SR. ANTONIO AMANTE JUNIOR.

 

Prezado Dr. Walter:

Agradeço as notícias e peço licença para comentar uma delas. Trata-se da resposta do Ver. Rubens.

Quando o referido diz que todos os problemas são originados pelo Administrador Regional, está dizendo apenas meia verdade.

Assim, serviço mal executado como a repavimentação da Av. Monte Verde, onde buracos menores que 60 cm foram " esquecidos"., Ainda na mesma repavimentação, na subida da curva, onde os carros por imposição física tem de ser acelerados, os buracos enchidos foram compactados com socador usado para bater placas de grama. Assim, ao subir a referida curva, os carros corcoveam como touros em rodeios. Talvez seja essa uma tentativa de treinar-nos para as proximas festas de peões.

Assim, parte da culpa cabe ao Adm.Reg. porem outra parcela, e muito maior, a quem deveria fiscalizar esse serviço e não o faz.

Tambem, esqueceu-se o Ver. Rubens de informar qual a destinação para a verba "conseguida".

Creio que essa dúvida assolou outros moradores, que como eu esperam maiores informações do Ver.

Rubens.

Grato e abraços

Antonio.

 

VOZ DA TERRA EM 17 DE DEZEMBRO DE 2.001

Texto do Fórum de debate, coordenado por Walter Monacci (wmonacci@uol.com.br)  em Monte Verde

DE: WALTER CUNHA MONACCI

Prezado Antonio e demais amigos do Debate,

Com relação à vossa mensagem, gostaria de dizer o seguinte:

Se eu fosse inimigo ou inimigo político do Vereador Rubens, seria suspeito para falar.

Não é porém, o caso. Ao contrário, antes das últimas eleições, recomendei a muita gente de Monte Verde que votasse nele. Não só à moça que limpa a minha casa, ao meu jardineiro, mas também a outras pessoas sugeri que votasse no Vereador Rubens.

Outro dia o amigo Eduardo Rossetto nos enviou mensagem do Sr., Wilson Tambellini, que, com relação ao fato de ter votado no Vereador Rubens, dizia o seguinte:

"Pela primeira vêz em minha vida, posso dizer que não tive ainda que me arrepender do voto sufragado em seu nome."

É também o meu caso. Eu também não me arrependi.

Mas, o que eu não posso concordar é com a explícita intenção, do Vereador Rubens, manifestada veladamente neste DEBATE inúmeras vêzes, a última em 17/11/01, quando o Vereador Rubens disse: "Entendo que estes problemas com as ruas se resume a apenas uma pessoa - o Administrador Distrital, o qual desde o começo não recebeu o meu apoio. Não existe diálogo. Já tentei, com o apoio de outros Vereadores, convencer o Prefeito. Não tivemos sucesso."

Como sempre diz o nosso amigo Egydio, frase de Voltaire, "Não concordo com uma só palavra do que dizes, mas defenderei até a morte o teu direito de dizê-la".

Assim, defendo o direito do Vereador Rubens de não gostar do Sr. Ribas (Administrador Distrital de Monte Verde) ou do trabalho dele.

Porém, também tenho o direito de não concordar com esta opinião e de manifestar-me neste sentido.

O Sr. Armemiro Ribas, que todos devem conhecer (é Corretor de Imóveis daquela Imobiliária que fica quase em frente ao Restaurante Bavária), está, a meu ver, realizando um excelente trabalho.

A minha rua, que não fica no centro de MV, mas lá em cima, no Selado, foi, só neste ano, reparada várias vêzes e EU PAGUEI IPTU.

O que em Monte Verde tem sido falado à boca pequena é que a intenção da Prefeitura seria a de consertar apenas as ruas da VILA, pois alí é que estão os eleitores.

Segundo também ouvi, o Sr. Ribas não concorda com este posicionamento e quer consertar todas as ruas, não só a dos eleitores mas também as dos contribuintes do IPTU, o que é no mínimo justo.

PERGUNTO: ALGUÉM CONHECEU, ATÉ HOJE, ALGUM ADMINISTRADOR DISTRITAL DE MONTE VERDE ??? EU NÃO.

SÓ QUE NO PENÚLTIMO FERIADO, O ADMINISTRADOR RIBAS ESTAVA NA MINHA RUA, COORDENANDO PESSOALMENTE O 

TRABALHO DO TRATOR !!!

É ISSO QUE MONTE VERDE PRECISA: TRABALHO.

Desta forma, concordo plenamente com o Sr. Antonio Amante Junior, 

especialmente quanto à outra parte, muito maior, que não compete ao Administrador Regional, que não está sendo feita pela Prefeitura.

Aliás, a atual gestão municipal está, na MINHA OPINIÃO PESSOAL, deixando bastante a desejar. É SÓ PASSAR PELA ESTRADA PARA TAL CONCLUSÃO !

Abraços a todos,

 

VOZ DA TERRA EM 05 DE SETEMBRO DE 2.002

Texto do Fórum de debate, coordenado por Walter Monacci (wmonacci@uol.com.br)  em Monte Verde

De: Walter Monacci (texto repassado)

 

Boletim informativo expedido pelo vereador Rúbens Mungiolli

Convite
Dia 6 de Setembro, sexta-feira, no Hotel Cabeça de Boi, às 14:00 horas, estaremos oferecendo um coquetel de frutas com salgadinhos.
Teremos a presença de várias autoridades municipais e do :
* Secret. de Turismo do Estado - Dr. Antonio Henrique
* Dep. Federal - Dr. Manoel Costa
* Dep. Estadual - Dr. Alberto Coelho
Estaremos conversando a respeito dos problemas de Monte Verde e principalmente anunciando o início das obras da estrada.

Programação
10:00 horas - chegada no aeroporto de MV
10:00 às 13:00 horas - passeio por toda MV
13:00 às 13:30 horas - almoço
14:00 horas - reunião no Hotel Cabeça de Boi
15:00 horas - saída

Comentários
Desnecessário dizer que a sua presença é indispensável.
A reconstrução da estrada, que tanto nos aborrece, dado a quantidade de reclamações dos turistas, finalmente poderá acontecer.
Naturalmente, muitos dos senhores estarão ocupadíssimos mas, creio que esta é uma oportunidade única e a sua ausência será notada.
Peço que cada um dos senhores traga consigo pelo menos 3 pessoas ou mais ( funcionários, amigos ou familiares ) para prestigiarmos aqueles que realmente se importam com os nossos problemas.
Não conseguirei avisar a todos, portanto conto também com a sua ajuda, convidando aqueles que estiverem ao seu alcance.
O novo salão do Hotel tem capacidade para 200 pessoas, portanto não faltará espaço.

 VOZ DA TERRA ON LINE 14 DE  ABRIL DE  2003

Conforme informação transmitida pelo vereador Rúbens Mungioli a seus correligionários, por email, o projeto de Lei, do  Sr. Prefeito enviado à Câmara Municipal entrou com Proj de Lei solicitando a criação de Dotação Orçamentária de R$ 700.000,00 para a construção de um novo prédio para a Prefeitura foi retirado.

Segundo ainda o vereador, no dia 29 de março, ele e o vereador Carlos Buta estiveram em Poços de Caldas com o Ministro dos Transportes, mas não conseguiram obter a confirmação da recuperação da Estrada de Monte Verde. Os Deputados Estaduais presentes também teriam sido  lacônicos: "ainda não temos nada de concreto para vocês".

Ponte do Guilherme

Segundo o mesmo boletim, foram colocados 4 pilares-tora de madeira na Ponte que já está com o tráfego normal.
Consta que foi consignado, pela segunda vez, no Orçamento Municipal, verbas para a construção de uma nova Ponte.
"Se o Prefeito quiser basta licitar e fazer".
A preocupação também reside no um projeto de uma PCH ( Pequena Central Hidrelétrica ) no Rio Jaguary e, com aquela ponte de madeira, será  difícil a passagem de material para a obra.


VOZ DA TERRA  EM 12 DE ABRIL DE  2003

Email recebido 

De:  Zico do PT

Cidade: Monte Verde - Estado: MG - País: Brasil

 

Senhor diretor do jornal Voz da Terra on line:

Recordar é viver! eu ontem lí um convite expedido pelo Sr Rubens Mungioli em 2002 que dizia seguinte:

Data 06/09/2002

Local: Hotel Cabeça de Boi

Presença:

Secretário de Turismo de Estado: Dr. Antonio Henrique

Dep. Federal Dr. Manoel Costa  ( Acho que era candidato)

Dep. Estadual Dr. Alberto Coelho

**** Frase na  1ª pessoa do plural*******

" Estaremos conversando a respeito de Monte Verde e principalmente anunciando o início das obras da estrada.

Desnecessário dizer que a sua presença é indispensável à reconstrução da estrada que tanto nos aborrece, dada a quantidade de reclamação dos turistas  finalmente poderá acontecer".

Infelizmente a votação em Monte Verde foi por ordem de promessas , onde quem prometeu mais levou mais votos e nós do Partido dos Trabalhadores que não prometemos nada tivemos a menor votação. Mas nem por isso nós deixaremos de trabalhar em prol do desenvolvimento de Monte Verde e até já agendei com um  Dep. Estadual e um Dep. Federal  do Sul de Minas para vir aquí em Monte Verde discutir os nossos ploblemas e apontar as soluções, mas sem promessas.

 

VOZ DA TERRA  EM 25 DE ABRIL DE  2003

Email recebido 

De: Vicente Forlenza Neto

Cidade: Monte Verde - Estado: MG - País: Brasil

 

Prezados Senhores:

Ao navegar pela pagina do jornal virtual Voz da Terra  pude tomar conhecimento de uma matéria publicada no dia 26 de julho de 2001 sobre o recrudescimento da ACMV ( Associação Comercial de Monte Verde}  a qual já fui Presidente .Nesta matéria pude tomar conhecimento tardiamente das afirmações do ex-presidente da Associação e atual vereador o Sr. Rubens Mungioli que afirma estar o atual presidente( 2001) e o Jornal  VT on-line e o VT escrito mal informado e ele , o Sr. Mungioli iria colaborar com os leitores e  sócios com as suas informações corretas. Afirma ele que após o mandato do Sr.Dante Bacchi jr , assumiu o Sr.Silvio Pucci , como presidente . Até ai , não tenho nada a acrescentar , mas a partir do Sr. Pucci  acho que alguns fatos foram deliberadamente esquecidos pelo Sr. Mungioli. Ele não informa que era o vice presidente da associação . Não informa também que tanto ele como o Sr. Pucci , se licenciaram dos cargos de Presidente e vice , para concorrer as eleições Municipais em Camanducaia ,e só por esta razão é que a Sra.Sonia  assumiu a presidência da Associação Comercial. Ele presta uma desinformação quando diz que a Sra. Sonia foi destituída pelo Sr. Vicente Forlenza . Na Verdade ela não desejava continuar na presidência , pois apesar de licenciados , o Sr.Pucci e o Sr.Mungioli ainda continuavam mandando na Associação Comercial , e que a licença era fictícia só para satisfazer a lei eleitoral. Portanto a Sra. Sonia convocou uma reunião na qual ela se retirou  da Associação , e nesta data foi eleita uma nova Diretoria a qual eu Vicente Forlenza Neto fui eleito presidente. Confesso que se tivesse conhecimento do abacaxi em que eu acabava de me meter , não teria aceito o cargo. Primeiramente fui procurado pelo ex-vice presidente o Sr.Rubens Mungioli . Neste encontro realizado no estabelecimento comercial da Sra. Sonia , o Sr.Rubens questionou o porque da minha eleição. Eu , não entendendo o motivo de tal indagação , argumentei que a eleição só se concretizou após o desejo livre e soberano da Sra.Sonia em renunciar ao cargo , e que ele deveria indagar a ex.presidente o porque desta decisão. Após esta conversa , o Sr.Mungioli trabalhou para que minha administração fosse a mais tumultuada até então.

Sofri por parte dele e dos ex diretores empossados por ele e o Sr.Pucci todo e qualquer tipo de perseguição. A maioria deles antes mesmo de saber quais seriam as minhas diretrizes , simplesmente se retiraram da Associação comercial , demonstrando o quanto eles desprezavam a ACMV e minha pessoa.O Sr Mungioli não  informa ao Jornal VT , mas a tal pequena divida de cheques

a descoberto nada mais era que compra de materiais para o Portal e a Associação Comercial com 2 ou 3 cheques pré datados de valores irrisórios.

O Sr. Mungioli omite o fato que seu ex-tesoureiro, só foi me entregar os  talões de cheque que ainda estavam  em seu poder após ter sido Intimado extra Judicialmente de que se não o fizesse sofreria um processo Judicial. Esquece-se também de informar que  o mesmo ex-tesoureiro nunca prestou-me contas do seu período , e que eu apesar das perseguições, provocações ,e hostilidades patrocinadas pelo Sr. Rubens Mungioli , que não se conformou até hoje da minha eleição , eu só renunciei por um pedido de minha companheira , que posteriormente tornou-se minha esposa , e que eu não me furtei em entregar todos os documentos financeiros de minha administração, ao contrario da administração anterior a qual ele fazia parte. Com isto , se existisse alguma irregularidade financeira não tenho duvidas que,no firme propósito de se vangloriar , ele teria se aproveitado delas para me punir.

Lamento estar prestando estes esclarecimentos tardiamente , mas como são fatos  relevantes  envolvendo minha pessoa não poderia me manter calado.

Quanto ao Sr. Rubens Mungioli , não guardo nenhum tipo de magoa, mas nunca o entendi. Lamento apenas que em sua cruzada desesperada em me perseguir , ele tenha prejudicado  a ACMV. Digo isso porque assim que assumi a presidência da Associação Comercial o numero de associados que não eram 72 como ele erradamente informa ,mas pouco mais de 40 , reduziu para perto de 20 graças ao ótimo trabalho do Sr.Mungioli que convenceu seus amigos a se retirarem da Associação  com inverdades 3 dias após minha eleição . Somente com minha visita aos ex associados munido do livro de registro de atas das assembléias na qual estava registrada a renuncia ao cargo pelo Sr.Pucci , e pelo Sr. Mungioli , é que consegui que uns poucos retornassem ao quadro de associados , e que outros que estavam prestes a abandonar a ACMV , como era o caso do Sr.Gustavo Resende  , proprietário do Hotel Cabeça de Boi , não o fizesse.  Tais fatos , podem ser comprovados;.bastando uma simples consulta ao livro de registro da ACMV ( anteriormente ASCIM) , ou ainda  com algumas perguntas ao Sr. Egydio , igualmente ex presidente da ACMV que por varias vezes procurei durante minha gestão  a procura de conselhos.

Coloco-me a inteira disposição  para quaisquer esclarecimento futuros sobre este assunto , mas acredito que os mortos devem ser enterrados e este assunto para mim já estava morto , e espero que daqui para frente também morra para o Sr.Rubens Mungioli , como sabiamente fez o Sr.Silvio Pucci.

 Atenciosamente

 Vicente,

Acho justo que você se manifeste sobre fatos, que envolvem a história da ACMV, inclusive por direito de se defender, pois, quem cala consente.

Como se trata de assunto antigo,não vou enviar seu texto para os participantes do fórum; estou apenas repassando sua manifestação ao vereador Rúbens Mungioli e vou colocar o texto na página na internet em que se encontram as demais matérias sobre o assunto.

Att.

Egydio Coelho da Silva 

 

VOZ DA TERRA  IMPRESSA  EM 02 SETEMBRO DE  2003  

 

Prefeito irritado

 No seu boletim político distribuído a seus correligionários, o vereador Rúbens Mungioli dá as seguintes informações:

 

"Em reunião realizada com os Vereadores, em meados do mês passado, o senhor Prefeito solicitou apoio da Câmara para poder investir naquilo que ele chamou de "prioridades do Município".
1º Na cidade, construção do Palácio para a Prefeitura = R$ 700 mil.
2º Na cidade, construção de uma Rodoviária = R$ 500 mil.
3º Na cidade, asfalto sobre paralelepípedo = R$ 400 mil.
4º Na cidade, um Portal de Entrada = 100 mil
5º Na cidade, casas populares com o que sobrar dos 2 milhões disponíveis.
Após o anúncio das "prioridades" e o inevitável protesto de vários Vereadores, o senhor Prefeito ficou bastante irritado quando ouviu que as prioridades já estavam definidas pela Câmara. E são:
1º Água encanada para São Matheus.
2º Água encanada para a Vila da Melhoramentos.
3º Ponte do Guilherme ( que já matou 4 pessoas e está caída)
4º Asfalto da Estrada.
5º Esgoto da Avenida Monte Verde.
Este processo será iniciado na próxima 5º feira com o remanejamento de verbas para a colocação de asfalto sobre as ruas que já estão calçadas da cidade.
Diante de tanta insanidade, nada posso dizer senão pedir aos senhores que estão lendo este Boletim, para estarem presentes dia 4 próximo, 5º feira, às 15:00 horas na Reunião de Comissões e às 19:30 horas para a Reunião Ordinária quando será feita a votação.
Tenho conhecimento que o senhor Prefeito está solicitando a presença de torcida para pressionar e convencer os "Vereadores revoltados que estão atrapalhando muito a administração dele".
Creio que a presença de alguns eleitores de MV é indispensável para que, pelo menos fique claro, onde está indo o seu imposto".

Nota da redação:

É pena que a versão acima do vereador Rúbens Mungioli, que, por conter muitos detalhes, deve ser verdadeira, não tenha o contraditório do prefeito Emydio Moreira Filho e dos vereadores da situação. Só assim teríamos uma discussão esclarecedora dos fatos. Este espaço está disponível também parta os vereadores da situação e do prefeito para que se manifestem, pois, quem cala consente.

Egydio Coelho da Silva, diretor de Voz da Terra

 

VOZ DA TERRA  EM 13 DE JULHO DE  2004

Email recebido 

De: Rubens Mungioli

Cidade: Monte Verde - Estado: MG - País: Brasil

 

 

From: Rubens Mungioli 
To: Suely 
Sent: Tuesday, July 13, 2004 6:19 PM
Subject: Vereador Rubens Mungioli
Como Presidente da Câmara e Vereador eleito por Monte Verde me senti na obrigação de oferecer aos leitores um contraditório à entrevista concedida à jornalista Suely Silva do jornal virtual Voz da Terra de Monte Verde no dia 18 de junho.
1 - O que disse o Prefeito:
"o município é muito grande e Monte Verde é uma cidade que deve ser emancipada o quanto antes".
O que ele não disse:
A hipótese de emancipação é remotíssima já que não existe nenhuma indicação de que isto irá acontecer em longo prazo, é portanto, uma forma muito clara para dizer que vai abandonar Monte Verde mas continuar arrecadando 50% dos impostos.
2 - O que disse o Prefeito:
"Olha, eu nem durmo direito só de pensar nesta abençoada ponte. As quatro firmas que vão participar da licitação são muito boas e espero que essa burocracia termine logo para que possamos dar inicio".
O que ele não disse:
Desde o início deste mandato incluímos, através de emenda orçamentária a construção da ponte.
Como se sabe a Ponte quebrou há mais de um ano. A Câmara convocou o Secret. de Obras, na época, para exigir providências imediatas. Este nos assegurou que já estava abrindo a licitação para a construção da mesma. Não era verdade.
A obra foi protelada ao máximo para ser inaugurada quase que no dia da próxima eleição apesar de que as vigas ( apenas 3 ) já estavam disponíveis desde 2.001. O Sr. Prefeito apenas não ia buscá-las.
Todos os Vereadores estiveram em BH e até em Brasília pressionando as autoridades, inclusive o Governador.
Da última vez que estive em BH fiquei bastante preocupado. Tive que esclarecer que a tal ponte ligava o maior destino turístico do sul de Minas e a maior fábrica de pasta de papel da Am. Latina por onde passavam caminhões e treminhões de até 50 toneladas. Somente a partir desta conversa que foi resolvido o envio de mais duas vigas.
Somente após a chegada das 5 vigas recebemos um Projeto de Suplementação de verbas de mais R$ 100.000,00 perfazendo um total de R$ 150.000,00 mais as vigas de R$ 78.000,00.
Enquanto isso uma ponte semelhante de concreto e sem a menor urgência estava sendo construída em Camanducaia - ele não disse que estava gastando dinheiro em uma ponte quase sem utilidade.
Se o Prefeito não está dormindo direito deve ser por outros motivos e com certeza absoluta não é por causa da Ponte do Guilherme.
3 - Disse o Prefeito:
"As vigas foram conseguidas através da Secretaria de Obras do município por intermédio do Deputado Estadual Dalmo Ribeiro".
Retificando a declaração:
"As vigas foram conseguidas através da Secretaria de Obras do ESTADO por intermédio do GOVERNADOR AÉCIO NEVES que é a única autoridade que tem poder para liberar qualquer coisa do Governo Estadual e devido as constantes pressões dos Vereadores.
Vale dizer que o próprio Prefeito atrapalhou bastante, pois se quisesse construir a Ponte com dinheiro da Prefeitura já o teria feito desde 2.001.
4 - Disse o Prefeito referindo-se à estrada:
"Não depende mais da prefeitura. A DER aprovou o projeto, já falamos com a Serveng que vai executar. Tudo deverá ficar em quatro milhões, mas falta o aval do governo do Estado".
O que ele não disse:
A estrada é de total e completa responsabilidade da Prefeitura. É uma estrada municipal e nunca foi estadual.
Que o trecho que vai da cidade até a fazenda dele já foi consertado com asfalto 18 vezes ( eu contei). Que desperdiçou R$ 500.000,00 para asfaltar os paralelepípedos da cidade.
A possibilidade de o Governo Estadual colocar dinheiro na nossa estrada é remota já que a questão da falta de prestação de contas do Dr. Mazinho ainda não foi julgada.
A frase - "não depende mais da Prefeitura" é só uma piada.
A filosofia de trabalho do Sr. Emydio é a seguinte - obras para Monte Verde ou para São Matheus, só com dinheiro do Estado (que nunca vem). Para a cidade, com dinheiro do Município, com a colaboração de MV em 50%. 
5 - Disse o Prefeito sobre o esgoto:
"Já tentamos fazer uma vez através da prefeitura, mas não havia um projeto para o tratamento do esgoto. Agora através da COPASA o projeto incluiu o tratamento da água antes de cair no riacho. De acordo com o Dalmo a Copasa tem 600 mil em verba para gastar em todo município. Vamos aguardar que desta vez sai".
O que ele não disse:
Que a COPASA está quase que implorando para ele entrar com o Projeto de autorização de convênio na Câmara, mas ele não protocola.
Estou com a minuta deste projeto na minha gaveta desde Dezembro, mas a iniciativa é obrigatoriamente do Prefeito. Qualquer dúvida entre em contato com o Edgard Salemi que foi quem mais se dedicou a este pleito e foi mal-tratado por um assessor do Prefeito quando levou este presente. 
7 - Disse o Prefeito com relação às ruas de MV:
"Eu faço o que eu posso. . .acaso chovesse, iria fazer lama. Não deu outra, foi muito azar. Bastou o Sr. Estevan jogar terra choveu e virou barro, saiu até na televisão".
O que ele não disse:
Que ouvimos a desculpa da chuva há 53 anos. Que ele entrou com uma ADIN contra Lei de minha autoria que proíbe colocar terra sem compactação ou tratamento químico nas ruas.
Já sugeri que ele consertasse as ruas de Camanducaia com terra ( já que ele gosta tanto ) e não com asfalto como ele faz por aqui. A reação foi a de um leve sorriso sarcástico.
Neste caso lavo minhas mãos porque, como disse o Prefeito, o Sr. Roberto Lucas foi pedir para ele colocar terra nas ruas.
8 - O que disse o Prefeito:
"É aplicado tudo que é arrecadado ( em MV) em saúde, educação, ruas e ainda não dá. Por isso, quero a emancipação de MV, pois o prefeito não dá conta de tudo.
O que ele não disse:
Somados todos os impostos ( IPTU, IPVA, ISS, ICMS, ITBI, Taxas diversas, etc) arrecadados em MV temos a quantia estimada de R$ 4 a R$ 5 milhões por ano.
A arrecadação total é de R$ 10 milhões. Caso estes valores fossem aplicados aqui, creio que estaríamos procurando onde gastar dinheiro.
Já fiz as contas - para suprir todas as necessidades de MV precisaríamos algo como R$ 4 milhões.
Os custos em MV são:
* Funcionários do Hospital - médicos, enfermeiras, motorista, ambulância, medicamentos, etc. - é a parte mais cara. 
* Trabalhadores braçais e administração distrital - são 12 funcionários com salários médios de R$ 300,00 a 400,00.
* Escola ( 1.300 alunos ) - o custo é mínimo pois, como se sabe, o dinheiro vem do FUNDEF.
* Ruas - sem comentários. 
9 - O que disse o Prefeito:
Para Camanducaia administrar MV é problemático. É muita rua e gasta muito.
Comentário:
Infelizmente é assim. Decepção pura e simples. Calote eleitoral clássico.
Fizemos campanha, despejamos 75% dos votos para ele, para ouvir isso.
O Sr. Emydio é candidato novamente e espero que MV saiba dar a resposta a ele e ao candidato Mazinho.
10 - O que disse o Prefeito:
"Os políticos adversários e principalmente a câmara não querem mais saber de Emidinho na prefeitura. Sofro pressão da câmara desde que assumi eles não querem saber dos problemas do município."
O que ele não disse:
Como Presidente devo dizer que a Câmara de Camanducaia está sendo considerada uma das melhores do Brasil.
Recebemos 3 prêmios - Destaque Administrativo 2.003 e Dest. Adm. 2.004 e fomos considerados um dos melhores Vereadores do Brasil, entre mais de 60.000 
Temos a pauta eletrônica, Câmara Mirim, Comissões de Petições, Tribuna Livre do Cidadão, Jornal Informativo da Câmara e devolvemos 300 mil anualmente em média aos cofres do município.
Aliás, o Sr. Prefeito já nos processou por ceder a palavra ao povo. É um processo que muito me orgulhou ter ganho.
Os Vereadores não recebem nenhuma outra vantagem além dos subsídios de R$ 1 mil, não tem assessores nem secretárias, não tem gabinetes e nem verbas de gabinete, não tem carros e nem motoristas.
Abolimos o voto secreto, e o recesso de julho, temos uma nova Lei Orgânica e um novo Regimento em estudos.
ACABAMOS COM O NEPOTISMO EM CAMANDUCAIA e isso o deixou quase que pateticamente irritado, já que a soma dos salários de seus familiares é maior que o dos 11 Vereadores.
O Sr. Prefeito está muito decepcionado com uma Câmara desse tipo. Fica claro o motivo.
Vetamos os projetos faraônicos do Prefeito tais como uma Prefeitura nova de quase
1 milhão e um PORTAL de 200 mil para Camanducaia. 
Estamos exigindo as obras de que o povo precisa, constantes do Orçamento Participativo que fizemos e que inclui principalmente - água para São Matheus, esgoto para MV, água para a Ponte Nova e Melhoramentos, estradas e ruas boas, dentre outras.
É válido dizer que, nos últimos 20 anos, o Sr. Emydio ocupou o Prédio da Prefeitura por 14 anos ( 1 mandato de 6 anos e dois de 4 ) e quase o destruiu.
Talvez o desleixo justifique querer gastar 1 milhão em um novo prédio para o conforto de seus assessores e funcionários já que ele nem fica lá.
Dada a sua avançada idade, o Sr. Emydio vem confundindo problemas do município com problemas da família Moreira que sempre viveu (bem) às custas da política.
Podemos até dizer que é ininputável e que já circulou nos meios políticos a possibilidade de considerá-lo incapaz.
Completamente subjugado e dominado, em função de sua baixa escolaridade, não vem exercendo seu cargo de forma independente.
Para concluir:
Há décadas, Monte Verde, vem pagando a preço de ouro em pó, as migalhas que recebe deste e de outros Prefeitos.
Neste mandato, com muito suor, custo, esforço político, e como Vereador, conseguimos ampliar a creche, manter o hospital aberto 24 hs., velório, uma ambulância nova, 220 m. de tubulação de água para o Barro Preto, asfaltamento da rua da escola, reformas das 4 pontes de madeira e (acho) a Ponte do Guilherme.

 

 

 

(FIM DAS NOTÍCIAS)

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

 MONTE VERDE-MG

GREEN

VILLAGE

 HOTEL

 

Hotel pitoresco a 800m do centro. Apt.ºs., calefação no inverno. Piscina, frigobar,  interfone, antena parabólica.  Lareira. Sauna.

 

O Green Village possui uma área de 13mil metros quadrados de araucárias brasilienses. Os apartamentos são aconchegantes, com TV, frigobar. As diárias são com pensão completa, onde é servido um delicioso café da manhã. Um lugar encantador bem pertinho de tudo. Av. Sol Nascente, 711. Reservas: (35)3438-2035 e (11)3258-9898.

Emails: gm@greenhotel.com.br reservas@greenhotel.com.br

 www.greenhotel.com.br   

 

 

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

GREEN

MOUNTAINS HOTEL

 

reservas@greenhotel.com.br

 

O Green Mountains é o hotel fazenda com a vista mais deslumbrante de Monte Verde. Chalés luxuosos com lareira, tv, aquecimento central, restaurante e pensão completa. Além de piscina e lago para a pesca. Um lugar inesquecível para toda família se divertir na montanha.

Estrada de Monte Verde, Km 20

Reservas:

(35)3438-1317 e (11) 3258-9898

 

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

 MONTE VERDE-MG

GREEN

VILLAGE

 HOTEL

Emails: gm@greenhotel.com.br reservas@greenhotel.com.br

 www.greenhotel.com.br   

 

Hotel pitoresco a 800m do centro. Apt.ºs., calefação no inverno. Piscina, frigobar,  interfone, antena parabólica.  Lareira. Sauna.

 

O Green Village possui uma área de 13mil metros quadrados de araucárias brasilienses. Os apartamentos são aconchegantes, com TV, frigobar. As diárias são com pensão completa, onde é servido um delicioso café da manhã. Um lugar encantador bem pertinho de tudo. Av. Sol Nascente, 711. Reservas: (35)3438-2035 e (11)3258-9898.

 

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

GREEN

MOUNTAINS HOTEL

reservas@greenhotel.com.br

 

O Green Mountains é o hotel fazenda com a vista mais deslumbrante de Monte Verde. Chalés luxuosos com lareira, tv, aquecimento central, restaurante e pensão completa. Além de piscina e lago para a pesca. Um lugar inesquecível para toda família se divertir na montanha.

Estrada de Monte Verde, Km 20

Reservas:

(35)3438-1317 e (11) 3258-9898

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

 MONTE VERDE-MG

GREEN

VILLAGE

 HOTEL

 

Hotel pitoresco a 800m do centro. Apt.ºs., calefação no inverno. Piscina, frigobar,  interfone, antena parabólica.  Lareira. Sauna.

 

O Green Village possui uma área de 13mil metros quadrados de araucárias brasilienses. Os apartamentos são aconchegantes, com TV, frigobar. As diárias são com pensão completa, onde é servido um delicioso café da manhã. Um lugar encantador bem pertinho de tudo. Av. Sol Nascente, 711. Reservas: (35)3438-2035 e (11)3258-9898.

Emails: gm@greenhotel.com.br reservas@greenhotel.com.br

 www.greenhotel.com.br   

 

 

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

GREEN

MOUNTAINS HOTEL

 

reservas@greenhotel.com.br

 

O Green Mountains é o hotel fazenda com a vista mais deslumbrante de Monte Verde. Chalés luxuosos com lareira, tv, aquecimento central, restaurante e pensão completa. Além de piscina e lago para a pesca. Um lugar inesquecível para toda família se divertir na montanha.

Estrada de Monte Verde, Km 20

Reservas:

(35)3438-1317 e (11) 3258-9898

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

 MONTE VERDE-MG

GREEN

VILLAGE

 HOTEL

 

Hotel pitoresco a 800m do centro. Apt.ºs., calefação no inverno. Piscina, frigobar,  interfone, antena parabólica.  Lareira. Sauna.

 

O Green Village possui uma área de 13mil metros quadrados de araucárias brasilienses. Os apartamentos são aconchegantes, com TV, frigobar. As diárias são com pensão completa, onde é servido um delicioso café da manhã. Um lugar encantador bem pertinho de tudo. Av. Sol Nascente, 711. Reservas: (35)3438-2035 e (11)3258-9898.

Emails: gm@greenhotel.com.br reservas@greenhotel.com.br

 www.greenhotel.com.br   

 

 

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

GREEN

MOUNTAINS HOTEL

 

reservas@greenhotel.com.br

 

O Green Mountains é o hotel fazenda com a vista mais deslumbrante de Monte Verde. Chalés luxuosos com lareira, tv, aquecimento central, restaurante e pensão completa. Além de piscina e lago para a pesca. Um lugar inesquecível para toda família se divertir na montanha.

Estrada de Monte Verde, Km 20

Reservas:

(35)3438-1317 e (11) 3258-9898

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

 MONTE VERDE-MG

GREEN

VILLAGE

 HOTEL

 

Hotel pitoresco a 800m do centro. Apt.ºs., calefação no inverno. Piscina, frigobar,  interfone, antena parabólica.  Lareira. Sauna.

 

O Green Village possui uma área de 13mil metros quadrados de araucárias brasilienses. Os apartamentos são aconchegantes, com TV, frigobar. As diárias são com pensão completa, onde é servido um delicioso café da manhã. Um lugar encantador bem pertinho de tudo. Av. Sol Nascente, 711. Reservas: (35)3438-2035 e (11)3258-9898.

Emails: gm@greenhotel.com.br reservas@greenhotel.com.br

 www.greenhotel.com.br   

 

 

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

GREEN

MOUNTAINS HOTEL

 

reservas@greenhotel.com.br

 

O Green Mountains é o hotel fazenda com a vista mais deslumbrante de Monte Verde. Chalés luxuosos com lareira, tv, aquecimento central, restaurante e pensão completa. Além de piscina e lago para a pesca. Um lugar inesquecível para toda família se divertir na montanha.

Estrada de Monte Verde, Km 20

Reservas:

(35)3438-1317 e (11) 3258-9898

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

 MONTE VERDE-MG

GREEN

VILLAGE

 HOTEL

 

Hotel pitoresco a 800m do centro. Apt.ºs., calefação no inverno. Piscina, frigobar,  interfone, antena parabólica.  Lareira. Sauna.

 

O Green Village possui uma área de 13mil metros quadrados de araucárias brasilienses. Os apartamentos são aconchegantes, com TV, frigobar. As diárias são com pensão completa, onde é servido um delicioso café da manhã. Um lugar encantador bem pertinho de tudo. Av. Sol Nascente, 711. Reservas: (35)3438-2035 e (11)3258-9898.

Emails: gm@greenhotel.com.br reservas@greenhotel.com.br

 www.greenhotel.com.br

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

 MONTE VERDE-MG

GREEN

VILLAGE

 HOTEL

 

Hotel pitoresco a 800m do centro. Apt.ºs., calefação no inverno. Piscina, frigobar,  interfone, antena parabólica.  Lareira. Sauna.

 

O Green Village possui uma área de 13mil metros quadrados de araucárias brasilienses. Os apartamentos são aconchegantes, com TV, frigobar. As diárias são com pensão completa, onde é servido um delicioso café da manhã. Um lugar encantador bem pertinho de tudo. Av. Sol Nascente, 711. Reservas: (35)3438-2035 e (11)3258-9898.

Emails: gm@greenhotel.com.br reservas@greenhotel.com.br

 www.greenhotel.com.br   

 

 

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

GREEN

MOUNTAINS HOTEL

 

reservas@greenhotel.com.br

 

O Green Mountains é o hotel fazenda com a vista mais deslumbrante de Monte Verde. Chalés luxuosos com lareira, tv, aquecimento central, restaurante e pensão completa. Além de piscina e lago para a pesca. Um lugar inesquecível para toda família se divertir na montanha.

Estrada de Monte Verde, Km 20

Reservas:

(35)3438-1317 e (11) 3258-9898

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

 MONTE VERDE-MG

GREEN

VILLAGE

 HOTEL

 

Hotel pitoresco a 800m do centro. Apt.ºs., calefação no inverno. Piscina, frigobar,  interfone, antena parabólica.  Lareira. Sauna.

 

O Green Village possui uma área de 13mil metros quadrados de araucárias brasilienses. Os apartamentos são aconchegantes, com TV, frigobar. As diárias são com pensão completa, onde é servido um delicioso café da manhã. Um lugar encantador bem pertinho de tudo. Av. Sol Nascente, 711. Reservas: (35)3438-2035 e (11)3258-9898.

Emails: gm@greenhotel.com.br reservas@greenhotel.com.br

 www.greenhotel.com.br   

 

 

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

GREEN

MOUNTAINS HOTEL

 

reservas@greenhotel.com.br

 

O Green Mountains é o hotel fazenda com a vista mais deslumbrante de Monte Verde. Chalés luxuosos com lareira, tv, aquecimento central, restaurante e pensão completa. Além de piscina e lago para a pesca. Um lugar inesquecível para toda família se divertir na montanha.

Estrada de Monte Verde, Km 20

Reservas:

(35)3438-1317 e (11) 3258-9898

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

 MONTE VERDE-MG

GREEN

VILLAGE

 HOTEL

 

Hotel pitoresco a 800m do centro. Apt.ºs., calefação no inverno. Piscina, frigobar,  interfone, antena parabólica.  Lareira. Sauna.

 

O Green Village possui uma área de 13mil metros quadrados de araucárias brasilienses. Os apartamentos são aconchegantes, com TV, frigobar. As diárias são com pensão completa, onde é servido um delicioso café da manhã. Um lugar encantador bem pertinho de tudo. Av. Sol Nascente, 711. Reservas: (35)3438-2035 e (11)3258-9898.

Emails: gm@greenhotel.com.br reservas@greenhotel.com.br

 www.greenhotel.com.br   

 

 

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

GREEN

MOUNTAINS HOTEL

 

reservas@greenhotel.com.br

 

O Green Mountains é o hotel fazenda com a vista mais deslumbrante de Monte Verde. Chalés luxuosos com lareira, tv, aquecimento central, restaurante e pensão completa. Além de piscina e lago para a pesca. Um lugar inesquecível para toda família se divertir na montanha.

Estrada de Monte Verde, Km 20

Reservas:

(35)3438-1317 e (11) 3258-9898

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

 MONTE VERDE-MG

GREEN

VILLAGE

 HOTEL

 

Hotel pitoresco a 800m do centro. Apt.ºs., calefação no inverno. Piscina, frigobar,  interfone, antena parabólica.  Lareira. Sauna.

 

O Green Village possui uma área de 13mil metros quadrados de araucárias brasilienses. Os apartamentos são aconchegantes, com TV, frigobar. As diárias são com pensão completa, onde é servido um delicioso café da manhã. Um lugar encantador bem pertinho de tudo. Av. Sol Nascente, 711. Reservas: (35)3438-2035 e (11)3258-9898.

Emails: gm@greenhotel.com.br reservas@greenhotel.com.br

 www.greenhotel.com.br   

 

 

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

GREEN

MOUNTAINS HOTEL

 

reservas@greenhotel.com.br

 

O Green Mountains é o hotel fazenda com a vista mais deslumbrante de Monte Verde. Chalés luxuosos com lareira, tv, aquecimento central, restaurante e pensão completa. Além de piscina e lago para a pesca. Um lugar inesquecível para toda família se divertir na montanha.

Estrada de Monte Verde, Km 20

Reservas:

(35)3438-1317 e (11) 3258-9898

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

 MONTE VERDE-MG

GREEN

VILLAGE

 HOTEL

 

Hotel pitoresco a 800m do centro. Apt.ºs., calefação no inverno. Piscina, frigobar,  interfone, antena parabólica.  Lareira. Sauna.

 

O Green Village possui uma área de 13mil metros quadrados de araucárias brasilienses. Os apartamentos são aconchegantes, com TV, frigobar. As diárias são com pensão completa, onde é servido um delicioso café da manhã. Um lugar encantador bem pertinho de tudo. Av. Sol Nascente, 711. Reservas: (35)3438-2035 e (11)3258-9898.

Emails: gm@greenhotel.com.br reservas@greenhotel.com.br

 www.greenhotel.com.br   

 

 

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

GREEN

MOUNTAINS HOTEL

 

reservas@greenhotel.com.br

 

O Green Mountains é o hotel fazenda com a vista mais deslumbrante de Monte Verde. Chalés luxuosos com lareira, tv, aquecimento central, restaurante e pensão completa. Além de piscina e lago para a pesca. Um lugar inesquecível para toda família se divertir na montanha.

Estrada de Monte Verde, Km 20

Reservas:

(35)3438-1317 e (11) 3258-9898

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

 MONTE VERDE-MG

GREEN

VILLAGE

 HOTEL

 

Hotel pitoresco a 800m do centro. Apt.ºs., calefação no inverno. Piscina, frigobar,  interfone, antena parabólica.  Lareira. Sauna.

 

O Green Village possui uma área de 13mil metros quadrados de araucárias brasilienses. Os apartamentos são aconchegantes, com TV, frigobar. As diárias são com pensão completa, onde é servido um delicioso café da manhã. Um lugar encantador bem pertinho de tudo. Av. Sol Nascente, 711. Reservas: (35)3438-2035 e (11)3258-9898.

Emails: gm@greenhotel.com.br reservas@greenhotel.com.br

 www.greenhotel.com.br   

 

 

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

GREEN

MOUNTAINS HOTEL

 

reservas@greenhotel.com.br

 

O Green Mountains é o hotel fazenda com a vista mais deslumbrante de Monte Verde. Chalés luxuosos com lareira, tv, aquecimento central, restaurante e pensão completa. Além de piscina e lago para a pesca. Um lugar inesquecível para toda família se divertir na montanha.

Estrada de Monte Verde, Km 20

Reservas:

(35)3438-1317 e (11) 3258-9898

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

 MONTE VERDE-MG

GREEN

VILLAGE

 HOTEL

 

Hotel pitoresco a 800m do centro. Apt.ºs., calefação no inverno. Piscina, frigobar,  interfone, antena parabólica.  Lareira. Sauna.

 

O Green Village possui uma área de 13mil metros quadrados de araucárias brasilienses. Os apartamentos são aconchegantes, com TV, frigobar. As diárias são com pensão completa, onde é servido um delicioso café da manhã. Um lugar encantador bem pertinho de tudo. Av. Sol Nascente, 711. Reservas: (35)3438-2035 e (11)3258-9898.

Emails: gm@greenhotel.com.br reservas@greenhotel.com.br

 www.greenhotel.com.br   

 

 

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

GREEN

MOUNTAINS HOTEL

 

reservas@greenhotel.com.br

 

O Green Mountains é o hotel fazenda com a vista mais deslumbrante de Monte Verde. Chalés luxuosos com lareira, tv, aquecimento central, restaurante e pensão completa. Além de piscina e lago para a pesca. Um lugar inesquecível para toda família se divertir na montanha.

Estrada de Monte Verde, Km 20

Reservas:

(35)3438-1317 e (11) 3258-9898

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

 MONTE VERDE-MG

GREEN

VILLAGE

 HOTEL

 

Hotel pitoresco a 800m do centro. Apt.ºs., calefação no inverno. Piscina, frigobar,  interfone, antena parabólica.  Lareira. Sauna.

 

O Green Village possui uma área de 13mil metros quadrados de araucárias brasilienses. Os apartamentos são aconchegantes, com TV, frigobar. As diárias são com pensão completa, onde é servido um delicioso café da manhã. Um lugar encantador bem pertinho de tudo. Av. Sol Nascente, 711. Reservas: (35)3438-2035 e (11)3258-9898.

Emails: gm@greenhotel.com.br reservas@greenhotel.com.br

 www.greenhotel.com.br   

 

 

Empresas que

apóiam e tornam possível a manutenção destas páginas na internet

 

GREEN

MOUNTAINS HOTEL

 

reservas@greenhotel.com.br

 

O Green Mountains é o hotel fazenda com a vista mais deslumbrante de Monte Verde. Chalés luxuosos com lareira, tv, aquecimento central, restaurante e pensão completa. Além de piscina e lago para a pesca. Um lugar inesquecível para toda família se divertir na montanha.

Estrada de Monte Verde, Km 20

Reservas:

(35)3438-1317 e (11) 3258-9898