*Desde 1.979

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE MONTE VERDE
Email: acmv@monteverdemg.com.br 

Site: www.montevedemg.com.br 
Sede: Rua dos Eucaliptos, 61 

Fone: 35-438-2035

 Coordenador deste Fórum: Egydio Coelho da Silva

Pensamento

"Seus clientes mais insatisfeitos são a sua maior fonte de aprendizado". 
Bill Gates, empresário e o homem mais rico do mundo.

 

FÓRUM DE HOTÉIS E EMPRESÁRIOS 22 DE JANEIRO DE 2.007

De: Henrique (Email: riquecsr@yahoo.com.br  ).  

Cidade: Mogi das Cruzes. Estado: SP.  País: Brasil

Para: Fórum de hotéis e empresários

 

Assunto: Comprei cachaça, mas praticamente só tinha água.


Conheci monte verde e gostei muito da cidade achei melhor que Campos do Jordão inclusive, mas fique desapontado com o comercio, porque apos degustar algumas cachaças resolvemos trazer varias pra consumo e para presentear amigos e ficamos surpresos quando chegamos em casa ao abrir as garrafas encontramos praticamente só água no seu interior.
Por isso o total desapontamento com o comercio e me fez perder o interesse de voltar a Monte Verde e tb indicar a amigos, apesar da cidade ser boa, mas por causa dessa loja que acha que o turista é idiota, mancha o nome da cidade, e principalmente a imagem que o Brasil tem do mineiro que é receptivo, educado e acima de tudo muito honesto.

Prezado Henrique,

Infelizmente você não informa o nome do estabelecimento, para que possamos saber se é filiado à Acmv. Se for filiado à Acmv, terá infringido nosso código de ética e poderá inclusive ser excluído de nosso quadro de associados. Caso não seja filiado, ficará proibido de se filiar à nossa entidade.
De qualquer forma, seu texto será colocado em nosso Fórum exclusivo de empresários e autoridades de Monte Verde, para conhecimento de todos. Grato pela sua colaboração e participação. Att.
 Egydio Coelho da Silva, presidente da Associação Comercial de Monte Verde-Acmv

 

FÓRUM DE HOTÉIS E EMPRESÁRIOS 22 DE FEVEREIRO DE 2.007

De: Mauricio Merzvinskas (Email: mskas@ig.com.br   ).  

Cidade: São Paulo. Estado: SP.  País: Brasil

Para: Fórum de hotéis e empresários de Monte Verde

 

Assunto: Falta aos comerciantes e as autoridades da região uma maior visão conjunta e de longo prazo, promovendo investimentos de infra-estrutura, preservação ambiental e projeto urbanístico, garantindo a preservação do seu próprio patrimônio turístico já ameaçado a médio prazo.


Com o intuito de colaborar com o desenvolvimento consciente e sustentável do turismo na cidade de Monte Verde, segue meu depoimento:
Passei o Carnaval de 2007, juntamente com minha namorada, no distrito de Monte Verde, pertencente a cidade de Camanducaia,; nos hospedamos em uma pousada simpática nos arredores do centro em busca de tranqüilidade, romantismo e descontração.

Para ser sincero, foi isso o que encontramos, as pessoas são hospitaleiras e o ambiente no geral é aconchegante devido ao clima e á paisagem, mas alguns fatos pelos quais nos deparamos fizeram com que a viagem não fosse perfeita e é sobre estes fatos que gostaria de falar:
Primeiramente, sinto que a cidade não tem planejamento algum e não desenvolve sua estrutura urbana para receber o turista de forma satisfatória, a começar pela estrada de acesso à cidade.
O calçamento do centrinho praticamente não existe, dificultando o passeio e por conseqüência o comércio; a rede de esgoto é precária e muitas vezes nos deparamos com esgotos a céu aberto, fossas vazando, cheiros desagradáveis e rios já em processo de poluição, o que, por si só já é uma tragédia.
Falta aos comerciantes e as autoridades da região uma maior visão conjunta e de longo prazo, promovendo investimentos de infra-estrutura, preservação ambiental e projeto urbanístico, garantindo a preservação do seu próprio patrimônio turístico já ameaçado a médio prazo.
Por fim, outro item a ser relatado é a enorme quantidade de fezes de cavalo que dominam a cidade. Os cavalos propiciam um passeio montado agradável e, de fato, consistem em uma atração turística válida, mas isso não é motivo para infestar as ruas com seus dejetos e cheiros! quem explora este ramo tem que limpar!
Por falar em exploração, aproveito a deixa para relatar meu passeio à Cachoeira dos Pretos:
Antes de viajar, procurei me informar dos pontos turísticos da região e um deles era a promissora Cachoeira dos Pretos, uma queda d´água de mais de 140m muito alardeada pelos guias turísticos locais.
De forma geral o passeio vendido era feito com jipe num período de 4 horas e valor aproximado de R$ 180,00.
Eu e minha namorada contratamos o tal passeio e pagamos adiantado, mas isso após perguntarmos várias vezes à vários guias se o jipe era a única forma de chegarmos ao local; a resposta foi sempre a mesma: " da para ir de carro mas corre-se o risco de encalhar,pois a estrada é muito ruim".
Como nós não queríamos correr o risco de encalhar seguimos o conselho dos guias e pagamos o passeio adiantado, apesar de considerarmos um passeio caro. Após um hora chacoalhando dentro do jipe, em uma estrada realmente péssima,subitamente chegamos a uma estrada de asfalto que nos levou finalmente à cachoeira. Nós nos sentimos completamente enganados, e esse tipo de atitude, de explorar a inocência do turista, é revoltante.
Dizer que a estrada é péssima e que só dá para chegar de jipe é uma meia verdade proveniente de uma total má fé por parte de todos os guias.
Ao meu ver, a atitude correta seria a de explicar que existe um acesso à cachoeira pela estrada que vai para Joanópolis mas que o percurso total fica em 120 km e que o passeio de jipe corta por dentro pelas estradas de terra, o que seria uma opção e uma oportunidade de conhecer as fazendas locais.
Mas a história não para por ai; já no local que seria a tal Cachoeira nos deparamos com mais uma frustração, a única forma de realmente ver a cachoeira de perto seria pagando mais um passeio de jipe que nos levaria ao alto da cachoeira! Isto porque os acessos laterais são propriedades privadas com o acesso proibido, ficando para nós turistas incautos a revoltante sensação de exploração e descaso! de onde estávamos só dava para ver a cachoeira ao longe, num acesso pelas pedras onde as pessoas se amontoavam esticando os pescoços para enxergar alguma coisa a mais.
 Procurando maior explicação do porquê disto, o vigia local disse que tal atitude de fechar os acessosá base da cachoeira era para nossa proteção pois algumas pessoas haviam morrido recentemente por pura irresponsabilidade ... se fossemos seguir esta linha de raciocínio, nossas praias deveriam ser fechadas também pois muitos turistas morrem afogados por pura irresponsabilidade!
Por fim voltamos exaustos por mais uma sessão de solavancos no retorno á pousada e após tudo isso fui acordado pelo guia batendo à porta de meu chalé no inicio da noite dizendo que eu não havia pago o passeio ... era o grande final da aventura à Cachoeira dos Pretos! depois disto não contratamos mais nada na cidade, que seja um alerta á pratica do turismos exploratório; turista bem tratado volta!
Espero que ao expor tais fatos eu possa ter colaborado com o desenvolvimento do turismo com qualidade para Cidade De Monte Verde que, no meu entender, ainda vale a pena conhecer, só não sei por quanto tempo!

Caro Maurício,
Agradecemos sua manifestação e críticas construtivas.
Infelizmente as autoridades municipais de Monte Verde/Camanducaia só gostam de elogios e vêem as críticas como manifestação oposicionistas.
Mas felizmente os empresários de Monte Verde, na sua maioria, pensam como Bill Gates:

"Seus clientes mais insatisfeitos são a sua maior fonte de aprendizado". 

Sua manifestação foi repassada a todos os empresários de Monte Verde e para as autoridades municipais e estaduais.
Quanto ao passeio à Cachoeira dos Pretos, quando a ACMV cuidava do setor de informações turísticas no Portal, vendia um guia por dois reais, onde constava o roteiro detalhado para se chegar a Cachoeira dos Pretos (inclusive disponível na internet em seu site) partindo do Portal. Inclusive informava que - para quem volta para São Paulo, a opção é fazer a visita no retorno, pois aumenta muito pouco o percurso de retorno.
Ao contrário a ida e volta a Cachoeira dos Pretos tem cerca de 60 quilômetros.
Agora Monte Verde tem Secretária de Turismo que recebe verba de cerca de 300 mil reais, mantém o Portal mais fechado do que aberto, e não se digna a dar essas informações aos turistas.
Grato pela sua colaboração e participação. Att.
 Egydio Coelho da Silva, presidente da Associação Comercial de Monte Verde-Acmv

 

FÓRUM DE HOTÉIS E EMPRESÁRIOS 24 DE MAIO DE 2.007

De: Priscila

Cidade:  Estado:.  País: Brasil

Para: Fórum de hotéis e empresários de Monte Verde

 

From: priscillaparini@ig.com.br

fica registrada aqui a minha mais profunda indignação.Fomos até monte verde final de semana passado,eu meu marido e um casal de amigos.alugamos um quadricículo (um casal em cada),o guia nos levou até a zona de reflorestamento da melhoramentos,e só aí ficamos sabendo que era proibido.Por uma infelicidade o quadricículo do outro casal virou em cima da minha amiga,que foi levada com suspeita de várias fraturas p o hospital ,transferida em seguida p camanducaia e mais tarde p Poços de caldas onde foi internada.Nao recebemos socorro de guias e a empresa tão pouco se preucupou em ajudar,fiquei extremamente decepcionada com o descaso dos profisssionais que deveriam dar pelo menos socorro a pessoa!

 

FÓRUM DE HOTÉIS E EMPRESÁRIOS 12 DE JULHO DE 2.007

De: Nico Queiroz

Cidade: Monte Verde. Estado: MG.  País: Brasil

Para: Fórum de hotéis e empresários de Monte Verde


Caro Egydio:
acho que no caso de overbockin de pousadas, a mesma deve ser identificada SIM, o que evitaria pensarem que pode ser qualquer outra pessoa. Grande abraço,
Caro Nico,
Um ou dois over-booking é prática comum nos dias de pico em grandes hotéis, porque dificilmente dá problema, porque há o aspecto estatístico. Em pequenos hotéis, com certeza, dará problema e prejuízo ao hóspede.
De qualquer forma é prática condenável e antiética.
No caso da Pousada de Monte Verde houve confissão de que o funcionário errou e o proprietário ofereceu a própria casa para reparar o erro.
Além disso, não tive a oportunidade de ouvir as explicações da pousada acusada e, sem este procedimento, poderia haver injustiça e também infringir a Lei de Imprensa.
Abs.  Egydio Coelho da Silva, presidente da Associação Comercial de Monte Verde-Acmv

 

FÓRUM DE HOTÉIS E EMPRESÁRIOS 12 DE JULHO DE 2.007

De: Amanda Mendes Moscardini

Cidade: Campinas. Estado: SP.  País: Brasil

Para: Fórum de hotéis e empresários de Monte Verde

 


Boa tarde Egydio,
Muito obrigada pela atenção.
Entendo que a pousada não esteja filiada a associação, mas fico grata que repasse o meu relato aos empresários da região, para que sirva de exemplo de como não atender um cliente.
Mais uma vez, obrigada.
 

1) Participe do Fórum de empresários de Monte Verde, enviando sua sugestão e opinião por email para: acmv@monteverdemg.com.br 

2) Pensamento a ser cultivado: "Não concordo com uma só palavra do que dizes, mas defenderei até a morte o teu direito de dizê-la", Voltaire.

3) Se você se sentir prejudicado com qualquer notícia aqui divulgada  e quiser se utilizar do direito de resposta, favor enviar email para: acmv@monteverdemg.com.br, que a sua opinião será divulgada com o mesmo destaque.

Egydio Coelho da Silva, coordenador do Fórum de empresários de Monte Verde