VOZ DA TERRA - jornal impresso e virtual de Monte Verde

Diretor: Egydio Coelho da Silva

ARTESANATOS: EXPOSIÇÃO: MARÇO DE 2.001 A JULHO DE 2.002

 

Repórter: Suely Silva - Redação: VOZ DA TERRA

 

VOZ DA TERRA – 05 DE MARÇO DE  2.001

Repórter: Suely Silva - Redação: VOZ DA TERRA

 

 EXPOSIÇÃO DE ARTE FOI UM SUCESSO

A exposição de artesanato que aconteceu durante o carnaval na Casa de Pedra foi um sucesso. De acordo com os organizadores mais de 600 pessoas visitaram a feira e prestigiaram os artistas de Monte Verde.

Dona Maria Célio Tribst, que há 30 anos pinta porcelanas, ficou feliz com o resultado da exposição. Também participaram os artistas Carlos e Kuki, que apresentaram um belo trabalho em madeira. 

Samira Haddad expôs suas velas artesanais e Izildinha Antonelli apresentou suas lindas peças em faianças.

VOZ DA TERRA em 02 DE JULHO DE  2.002(fee) 

Email recebido 

De: Alberto Gabriel Dias
GRÃO LUME PRODUÇÕES

Cidade: São Paulo

 

Prezado Sr. Egydio - Presidente da Associação Comercial de Monte Verde

Estamos encaminhando a V. Sa. informações referentes ao evento "Os Teares Mineiros", a ser realizado em Monte Verde, no mês de julho/agosto de 2002, num período de 30 dias. Posteriormente estaremos confirmando com exatidão a data de início.
O evento "Os Teares Mineiros" tem como conceito principal divulgar parte da nossa cultura e a riqueza da nossa história.
A tecelagem artesanal é uma arte milenar, datada de aproximadamente 5.000 a.C. Sua importância histórica e cultural é referência nas pesquisas de
costumes e hábitos das civilizações.
Com este evento contamos um pouco da história da tecelagem que sempre foi muito valorizada pelos povos europeus, foi trazida ao Brasil pelos
colonizadores portugueses e sedimentada no Estado de Minas Gerais.
Tecelões e fiandeira operando ao vivo o tear e a roca, demonstrarão suas
técnicas, encantando os olhos daqueles que passam.
Estes equipamentos são bastante rudimentares, conservando as mesmas
características da Idade Média, inclusive no que diz respeito à sua
manipulação.
Para viabilizar a realização do evento, já que são trazidos 4 ateliês de
cidades de Minas Gerais (Pedra Bela, Campanha, Muzambinho e Carmo do Rio Claro), o mesmo é apresentado com um formato de feira, o que significa que todos os produtos expostos estarão à venda, justificando assim, todas as despesas de transporte, alimentação e hospedagem dos participantes. É,
também, uma oportunidade única para se adquirir as peças confeccionadas
diretamente dos produtores.
Assim sendo, pedimos a gentileza de V. Sa. se pronunciar com parecer
favorável à realização do evento ora apresentado, conforme acordado em
conversa telefônica datada de 02/07/2002. Se possível, encaminhar o mesmo
parecer ao Sr. Hamilton de Carvalho, Assessor de Gabinete do Exmo. Sr.
Prefeito do Município de Camanducaia.
Para maiores informações, colocamo-nos à sua inteira disposição pelos
telefones 3744.0198 e 3746.8655.
Agradecemos desde já a atenção dispensada.
Cordialmente,
Alberto Gabriel Dias
GRÃO LUME PRODUÇÕES

Alberto,

Eu pessoalmente sou a favor de eventos dessa natureza, que somente aumentam as atrações em Monte Verde e, inclusive, é objeto de divulgação da mídia especializada em turismo. 

Tenho visto eventos temporários em cidades turísticas como Guarujá (praia da enseada, que possui até um shopping temporário de artesanato), e também em Águas de São Pedro, onde se permitem oficialmente vendas de artesanatos na sua avenida principal. 

O que você propõe, me parece, é até mais atrativo porque implica em exposição e apresentação de teares, de muito valor cultural.

Como se trata de comércio temporário sempre há reclamação de algum comerciante local, que se julga prejudicado, pois, aqui está o ano inteiro e, na época de alta, sofreria a concorrência de atividades temporárias.

Eu entendo diferente. Acho que isso aumenta o fluxo de turistas na cidade e acaba beneficiando até os concorrentes mais próximos. O turista, muitas vezes, visita a exposição, mas, na hora de comprar, prefere outros produtos da cidade.

A ACMV nada tem a opor ao evento e nem poderia se opor, mesmo porque "ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa, senão em virtude de Lei", como prescreve a Constituição Federal.

Sua atividade, acredito, é regulamentada a nível federal pelo Código Tributário Nacional, a nível estadual pelo Regulamento do ICMS e a nível de município,  pelas leis municipais sobre o assunto. Acho que a Prefeitura de Camanducaia autorizará o funcionamento de seu evento sem problemas, desde que sejam cumpridas as disposições legais em vigor.

De qualquer forma, estou encaminhando seu pedido e esta minha opinião a todos os filiados à ACMV, para que se manifestem. Se - dentro de 24 horas nada lógico e legal for apresentado contra, encaminharei esta informação à Prefeitura de Camanducaia.

Atenciosamente,

Egydio Coelho da Silva, presidente da Associação Comercial de Monte Verde.

VOZ DA TERRA em 01 DE JULHO DE  2.002(fee) 

Email recebido 

De: VALÉRIA DE ALMEIDA SA VASCONCELOS

Cidade: São Paulo


Sou artesã, moro em São Paulo, embora metade da minha familia more em Camanducaia e em Monte verde, tenho parentes comerciantes.Gostaria muito de promover um evento na Cidade de Monte Verde, onde divulgaria técnicas diferenciadas de artesanato, nas quais pude observar que ainda não chegaram à cidade.Poderiam me auxiliar quanto as medidas necessárias à tomar sobre eventos na Cidade? Ficaria muito grata.

Sem mais para o momento
Obrigada:
Valéria.

Chalés de madeira, com lareira, aquecimento. Central, som, TV em cores, frigobar e telefone. Também apartamento super luxo, com hidro, sauna, vídeo. Salão de convenções. Av. do Sol Nascente, 883. Fones:      (035) 3438-1246 /1418.

 

 

Piscina-aquecida, campo de futebol, churrasqueiras.   Centro de Convivência com American bar e restaurante.        

 

Chalés de madeira, avarandados no estilo alpino, belo jardim com a graciosidade de esquilos Domesticados. Estacionamento, sauna, mini-bar, lareira.          Av. do Sol Nascente, 890. 

Fone: (035) 3438.1389.

HOTEL POUSADA VARANDA POR DO SOL

Piscina, TV nos apartamentos, antena parabólica.

Fonefax: (035) 3438-1371